A codificação por substituição

Setembro 2017

A codificação por substituição

A codificação por substituição consiste em substituir em uma mensagem uma ou várias entidades (geralmente letras), por uma ou várias outras entidades. Geralmente, distinguimos vários tipos de criptossistemas por substituição:


A substituição monoalfabética, que consiste em substituir cada letra da mensagem por outra letra do alfabeto;

A substituição poli-alfabética, que consiste em utilizar uma sequência de números mono-alfabética reutilizada periodicamente;

A substituição homófona, que possibilita que cada letra da mensagem de texto simples corresponda a um grupo possível de outros caracteres;

A substituição de transposição, que consiste em substituir um grupo de caracteres, por um outro grupo de caracteres, em uma mensagem.

A codificação César

Este código de codificação é um dos mais antigos, já que teria sido utilizado por Júlio César. O princípio de codificação se baseia na adição de um valor constante a todos os caracteres da mensagem ou, mais exatamente, o seu código ASCII (para uma versão ‘informática’ desta codificação).

Basta trocar todos os valores dos caracteres de uma mensagem em um certo número de posições, ou seja, substituir cada letra por outra. Por exemplo, se trocarmos 3 posições da frase 'COMMENT CA MARCHE', obteremos 'FRPPHQW FD PDUFKH'. Quando o valor agregado der uma letra posterior a Z, basta continuar começando por A, o que é o mesmo que aplicar um módulo 26 como no caso do filme Uma odisseia no espaço, o computador tem o nome de HAL. Este apelido é, na realidade, IBM deslocado de 1 posição para baixo.

O caractere que corresponde ao valor que se agregou à mensagem para efetuar a codificação chama-se chave. Neste caso, a chave é C, já que é a 3ª letra do alfabeto.

Este sistema de codificação é, na realidade, muito fácil de aplicar, mas a sua desvantagem é ele que é totalmente assimétrico, o que significa que basta fazer uma subtração para ver a mensagem inicial. Um método básico consiste em uma simples subtração dos números 1 a 26 para ver se um destes números nos dá uma mensagem inteligível.

Um método mais avançado consiste em calcular a frequência com que aparecem as letras na mensagem codificada (quanto mais longa a mensagem, mais fácil de fazer). Dependendo do idioma, algumas letras mais usadas do que outras (por exemplo, em português a letra mais utilizada é a letra A). Assim sendo, a letra que mais aparece num texto cifrado pela codificação César corresponderá provavelmente à letra A e a simples subtração nos dará a chave de codificação.

A codificação ROT13

No caso específico da codificação César, onde a chave de codificação é N (13ª letra do alfabeto), ela é chamada de ROT13 (o número 13, metade de 26, foi escolhido para que seja possível calcular e decifrar as mensagens de texto).

Veja também


Substitution cipher
Substitution cipher
Cifrado de sustitución
Cifrado de sustitución
Chiffrement par substitution
Chiffrement par substitution
Cifrario a sostituzione
Cifrario a sostituzione
Última modificação: 19 de maio de 2017 às 12:33 por ninha25.
Este documento, intitulado 'A codificação por substituição', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM (br.ccm.net) ao utilizar este artigo.