Linux: Preparação do sistema antes da instalação

Setembro 2017

Qual é o hardware necessário

O Linux não requer um computador de último geração para sua configuração mínima. Ele só precisa de um processador 386SX ou superior, 4 MB de memória viva (8 MB aconselhados), um controlador de disco rígido e um disco rígido com 20 MB de espaço livre (100 MB aconselhados). Na prática, o Linux só pode funcionar a partir de uma simples disquete). E um leitor de CD-ROM.
Quanto aos dispositivos adicionais anexos, é muito mais provável que o Linux suporte os componentes de hardware normalmente disponíveis no mercado.

Quais são os pré-requisitos

O Linux pode ser instalado junto com o sistema operacional já existente na máquina.
Antes de iniciar a instalação, verifique se o sistema de arquivos não tem nenhum erro, utilizando um programa como scandisk ou chkdsk para verificar a integridade do disco, porque o Linux usa muito mais o disco do que o DOS, por exemplo.

Quais são as fases de instalação

A instalação do Linux é feita em várias etapas, o que permite implementar um sistema de arquivos reconhecido pelo Linux (ext2fs) em uma ou várias partições dedicadas e, em seguida, procede-se à instalação propriamente dita. Para configurar um núcleo antes do arranque do disco, os passos são os seguintes: a criação dos disquetes de arranque, a inicialização do sistema a partir do disquete, a criação da partição principal do disco rígido, a criação da partição swap, a criação do sistema de arquivos, a instalação do Linux, a configuração do núcleo e o reinício do sistema.

Como criar os discos ‘boot e ‘root’

Os disquetes que permitem o arranque do sistema no Linux com um núcleo mínimo, possibilitam a instalação do Linux. Estes disquetes vão ser criados com a ajuda de um programa que permite copiar arquivos de imagens (todos os arquivos colocados nos disquetes) em outro disquete, ou seja, o disquete boot, que contém um núcleo Linux para inicializar o sistema e o disquete root, que contém o programa de instalação.

O arquivo de imagem a ser escolhido em cada caso depende da configuração do seu sistema e se chamará:

scsi, no caso de um leitor de CD-ROM SCSI
sbpcd, no caso de um leitor de CD-ROM Panasonic ou conectado a um Sound Blaster pro
nec260, no caso de um leitor de CD-ROM Nec 260
Mitsumi, no caso de um leitor de CD-ROM Mitsumi
cdu31a, no caso de um leitor de CD-ROM Sony CDU31 ou CDU33a
cdu535, no caso de um leitor de CD-ROM Sony CDU531 ou CDU535

Para cada um dos dois arquivos de imagem (boot e root), basta ir no diretório que contém o arquivo de imagem correto e, em seguida, introduzir rawrite. Depois disso, o programa solicitará o nome do arquivo (scsi, por exemplo, para o arquivo de imagem do disquete boot) e o leitor (a:).

Eventualmente, você poderá criar um disquete adicional para utilizar posteriormente (ex: pensar em comprar uma placa SCSI porque tem um leitor CD-ROM IDE).

Como arrancar o sistema a partir do disquete ‘boot’

Uma vez que os disquetes foram criados, coloque o disquete boot no leitor a: e reinicie o computador. Depois de inserir algumas mensagens, o sistema mostrará a linha: boot:. Para continuar, pressione a tecla Enter. Em seguida, o sistema solicitará o disquete root.

Como criar as partições

Para poder usar o Linux, você deverá criar uma partição (de preferência, superior a 900 MB, para poder instalar todas as opções) que utilize o sistema de arquivos “Linux Ext2” e (eventualmente) uma partição swap (memória virtual, isto é, uma parte do disco que se utiliza na falta de memória viva) com um tamanho de vários MB.

Você pode optar por criar outras partições que se dediquem a um tipo especial de dados, como uma partição para os seus documentos, outra para os utilitários, etc. Existem várias maneiras de criar partições:

Em um sistema operacional da Microsoft, antes do início do sistema com o disquete ‘boot’: no Windows 9x, o software Partition Magic 4 permite criar as partições swap ext2fs facilmente e sem perder os dados do disco. No MS-DOS, com o software fdisk fornecido de maneira predeterminada, que é mais ergonômico do que o seu homólogo integrado no Linux. É preciso levar em conta a existência de um utilitário DOS chamado fips, que permite efetuar operações não destrutivas em partições.

No Linux, depois da inicialização do sistema. O procedimento de instalação varia de acordo com a distribuição. Com as distribuições tipo Slackware, você deverá digitar os comandos manualmente, ou seja, fragmentar, formatar, criar o sistema de arquivos e instalar, sucessivamente. Nas distribuições RedHat, essas operações são automatizadas e deverão responder a perguntas.

Depois de criar as partições, você deverá indicar o tipo de cada uma das duas partições precedentes: tipo 82, para a memória secundária e tipo 83 para a partição principal:


A partição principal deve situar-se no intervalo do disco compreendido entre o primeiro e o 1023ero
Anote o tamanho (em número de blocos) da partição principal e da partição swap em um papel para consulta-lo mais tarde

Como criar um sistema de arquivos

Em determinadas distribuições você deverá criar um sistema de arquivos antes de iniciar a instalação (isto não ocorre nas distribuições RedHat 5.2 e Mandrake 6.0, onde as operações seguintes são menus automatizados). Depois de criar a partição principal e a partição da memória secundária (partição swap), ative a memória secundária e crie o sistema de arquivos da partição principal.

A memória secundária é ativada com o seguinte comando:

mkswap -c partição tamanho

Por exemplo, para uma memória secundária que usa 10.000 blocos, na segunda partição do segundo disco (hdb2), o comando seria o seguinte:

mkswap -c /dev/hdb2 11000

Em seguida, utilize o comando swapon para ativar esta partição.
A criação do sistema de arquivos ext2fs é feita graças ao seguinte comando:

mke2fs -c partição tamanho

Por exemplo:

mke2fs -c /dev/hda2 202137

Veja também


Linux: Preparation of the system prior to installation
Linux: Preparation of the system prior to installation
Linux: Preparación del sistema antes de la instalación
Linux: Preparación del sistema antes de la instalación
Linux: Préparation du système avant installation
Linux: Préparation du système avant installation
Linux: preparazione del sistema prima dell'installazione
Linux: preparazione del sistema prima dell'installazione
Última modificação: 3 de julho de 2017 às 15:29 por Pedro.CCM.
Este documento, intitulado 'Linux: Preparação do sistema antes da instalação', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM (br.ccm.net) ao utilizar este artigo.