802.11i / WPA2

Novembro 2017

Introdução ao 802.11i

O 802.11i foi ratificado no dia 24 de junho de 2004, para abordar o problema de segurança nas redes Wi-Fi. Ele se baseia no algoritmo de codificação TKIP, como o WPE, mas também suporta o AES (Advanced Encryption Standard), que é muito mais seguro.

A WiFi Alliance criou um novo certificado, chamado WPA2 para dispositivos que suportam o padrão 802.11i (laptop, PDA, placa de rede, etc.). Contrariamente ao WPA, o WPA2 protege tanto as redes sem fio em modo de infraestrutura, quanto as rede em modo ad hoc.

Arquitetura WPA

A norma IEEE 802.11i define dois modos de funcionamento:


WPA Personal: este modo permite instalar uma infraestrutura segura baseada no WPA sem precisar utilizar um servidor de autenticação. O WPA Personal se baseia no uso de uma chave compartilhada, chamada PSK (Pre-shared Key), armazenada no ponto de acesso e nos dispositivos clientes. Contrariamente ao WEP, não é preciso inserir uma chave de comprimento predefinido.O WPA permite que o usuário escreva uma frase-passe (frase secreta). Depois disso, um algoritmo condensador a converterá em PSK.

WPA Enterprise: este modo requer o uso de uma infraestrutura de autenticação 802.1x com um servidor de autenticação, geralmente um servidor RADIUS (Remote Authentication Dial-in User Service) e de um controlador de rede (ponto de acesso).

Veja também


802.11i / WPA2
802.11i / WPA2
802.11i / WPA2
802.11i / WPA2
802.11i / WPA2
802.11i / WPA2
802.11i/WPA2
802.11i/WPA2
Última modificação: 12 de julho de 2017 às 09:52 por ninha25.
Este documento, intitulado '802.11i / WPA2', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM (br.ccm.net) ao utilizar este artigo.