Ambiente gráficos 2D

Fevereiro 2017



Ao contrário de certas soluções proprietárias (Windows e Mac), GNU/Linux oferecem nativamente a possibilidade de escolher seu desktop de trabalho. Você pode, assim, escolher entre "simples" gerenciador de janelas e um ambiente gráfico. O primeiro é mais leve, menos consumidor de memória viva, comparado ao ambiente.

O ambiente gráfico utiliza um gerenciador de janelas qualquer tipo de dispositivo de entrada (teclado, mouse, comando vocal. O ambiente gráfico permite também de gerar os menus de aplicações, dos espaços de trabalho (nomeados geralmente « Desktops virtuais »), ícones no desktop que tem o papel de atalhos (para arquivos, pastas, aplicações, periféricos). Resumindo, o ambiente gráfico (ou janela) constitui um conjunto integrado desenvolvido com o objetivo de oferecer trabalho coerente e plenamente ergonômico

Você encontrará aqui abaixo as diversas soluções possíveis (afora desktops em 3D).

Enlightenment


Totalmente configurável, com janelas de diálogo, Enlightenment (também chamado de E) é uma solução para configurações de pequena dimensão, desde é claro de não sobrecarregar muito os applets mais ou menos inútil. O conjunto é agradável,ergonômico,consistente.Ele gerencia desktops virtuais,os agrupamentos de janelas,personalização das bordas de janelas,atalhos de teclado.O menu para os aplicativos é feito via botão direito sobre o fundo desktop.

FVWM - Crystal


Como o próprio nome sugere,FVWM- Crystal usa o gerenciador de janelas FVWM. Na verdade,FVWM- Crystal é um conjunto de temas para FVWM que finalmente se transforma em ambiente gráfico FVWM. Scripts de configuração torna operacional o escritório a partir de sua primeira inicialização. O menu permite de iniciar aplicativos, mas também de gerenciar preferências.

GNOME


GNOME (GNU Network Object Model Environment) é provavelmente um dos escritórios mais usados, disponível em pacotes prontos para uso com a maioria das distribuições. Desenvolvido emGTK+ (a biblioteca originalmente escrita para o TheGimp) num espírito de total liberdade e simplicidade,GNOME federa inteligente diversas aplicações, incluindo:
  • Metacity: gerenciador de janelas, mas é possível utilizar outros (tal comoSawfish (sem manutenção desde 2003), WindowMaker ou IceWM),
  • Nautilus : gerenciador de arquivos,
  • GConf : gerenciar dados de configuração,
  • GNOME Office: AbiWord (tratamento de textos), Gnumeric (tabulador),
  • Epiphany: navegador internet com o motor Gecko (aquele do Mozilla / Firefox),
  • Gedit:editor de arquivos texto
  • Evince : leitor de arquivos PDF
  • The Gimp : retoque de fotos e criação gráfico 2D ponto por ponto (não vetorial),
  • Totem : leitor multimídia.

Por outro lado, GNOME permite copiar/colar, e cortar/colar, o arrastar/soltar, de trabalhar nos desktop virtuais, de personalizar a aparência dos desktops virtuais (possibilidade de colocar atalhos para pastas / arquivos e aplicações) e janelas, a automontagem de periféricos. Na base, o desktop GNOME (sem personalização) compreende assim:
  • A barra de menu do desktop (no alto) que engloba também as applets (pequenas aplicações), a data e a hora, e o menu para as aplicações,
  • O painel de controle (em baixo) que agrupa todas as janelas abertas e os acessos para os desktops virtuais.

Alguns criticam GNOME à sua falta de flexibilidade, porque as janelas de diálogo que oferecem configurações refinado. Na verdade, de acordo com a equipe do GNOME, a simplicidade não significa nenhum defeito. Esta é mais uma questão de gosto, mas lembre-se que mesmo Linus Torvalds (criador e líder do projeto do kernel do Linux) criticou severamente algumas deficiências básicas. Por outro lado, a abordagem do GNOME pode confundir os desertores do Windows, mas deliciar os de Mac OS. Ainda uma questão de gosto!

No entanto, o projeto GNOME agora está bem encaminhado e evoluindo. Você pode contar com esse escritório. Além disso, GNOME já foi traduzido para mais de 70 línguas, usando não falhar.
.

KDE


KDE (K (ou Kool) Desktop Environment) é o outro desktop muito utilizado (GNOME). Ele é instalado automaticamente com a maioria das distribuições. Desenvolvido com base na biblioteca QT (da empresa Trolltech) biblioteca agora sob a licença GPL para projetos de código aberto, o KDE é projetado com uma arquitetura dividida em sub-sistema e federa, como GNOME, várias aplicações, incluindo:
  • Kwin: gerenciador de janelas internas
  • Konqueror: Navegador web gerenciador de arquivos sofisticado,
  • Kcontrol: centro de controle para o KDE
  • Kuser: gerenciamento de usuários,
  • Koffice: o sub-projeto que constitui o maior conjunto de aplicações e desktop usando o formato OpenDocument padrão: KWord (processador de texto), KSpread (planilha eletrônica), KPresenter (slides), Kexi (banco de dados), KPlato (gerenciamento de projetos), Kivio (fluxogramas e esquemas), Karbon14 (desenho vetorial), Krita (desenho de pixels), KChart (gráficos), KFormula (editor de fórmulas)
  • Ntact: conjunto de aplicações web: Kmail (email), KAddressBook (livro de endereços), o KOrganizer (agenda), Knode (newsreader), Knot (notas pequenas), Akregator (agregador de feeds RSS)
  • Kooka: interface scanner,
  • Showimg e Gwenviev: visualizadores de imagem
  • Kpdf: leitor [/ systemes/format.php3 PDF]
  • Kaffeine: áudio e vídeo player,
  • Amarok: gestor / leitor de áudio,
  • K3B: CD / DVD,
  • Ark: archive
  • Konsole : terminal.


Como GNOME, KDE permite o copiar / colar , cortar / colar, arrastar / soltar para trabalhar em escritórios virtuais, para personalizar a aparência do escritório virtual (oportunidade de colocar atalhos ícones para as pastas / arquivos e aplicativos) e janelas, a auto-montagem dos dispositivos. O ícone K (canto inferior esquerdo da área de trabalho por padrão) dá acesso ao menu de aplicativos. Note que algumas distribuições (FedoraCore, Mandriva, Suse / OpenSuse ...) substituem o botão K, com seu próprio logotipo.

O aparência e a ergonomia são semelhantes aos do Windows com:
  • A barra de tarefas na parte inferior do desktop agrupa os atalhos para aplicações de captação, uma visão geral dos desktops virtuais, janelas abertas, applets iniciadas automaticamente e a hora,
  • A configuração do KDE, que se efetua pelas janelas de diálogo.


As criticas contra KDE é o oposto daqueles contra GNOME:
  • Não é simples o suficiente para alguns,
  • A configuração não é muito clicavel para os puristas


Utilizado em todo o mundo (tradução em mais de 65 idiomas), contribuirá certamente para escritórios sempre com manutenção..

Xfce


lXfce constitui um escritório a caminho da popularização. Originalmente escrito a partir da biblioteca XForms (daí o nome XForms Common Environment), o projeto foi redesenhado em GTK + 2.x, biblioteca considerada mais apropriada. Xfce é desenvolvido para ser leve e de baixo consumo de RAM, enquanto permanece funcional e ergonômico. A aposta parece bem sucedida como algumas distribuições incluem o Xfce como desktop padrão (Xubuntu, Zenwalk), mas a maioria propõe como uma alternativa. Além disso, Xfce atende aos padrões estabelecidos pela Freedesktop (em vez de troca de colaboração entre projetos de código aberto como o GNOME, KDE, X.org, ...). Xfce agrupa diversos elementos de forma coerente e ergonomica:
  • Xfwm: gerenciador de janelas internas
  • Thunar: gerenciador de arquivos (xffm muito criticado desapareceu com a versão 4.4.)
  • Xfdesktop: gerente de escritório suporta ícones para arquivos, pastas e aplicativos,
  • Terminal: terminal,
  • Xfmedia: player de mídia baseado no motor Xine,
  • Mousepad: editor de arquivos de texto,
  • Xfburn: software de gravação,
  • Xarchiver: gerenciamento de registros,
  • Orange: calendário e gerenciador de compromissos.


Como outros ambientes gráficos, gerencia desktops virtuais (e aparências), copiar / colar, cortar / colar, arrastar / soltar, dispositivos de automontagem, transparência, além de goodies , que são pequenos programas auxiliares.

A unidade é fácil de usar. Há duas maneiras de acessar o menu de aplicações:
  • Ou use o ícone do painel de instrumentos (botão esquerdo)
  • Ou com o botão direito sobre o fundo desktop.


O painel de controle, completo e intuitivo, também leva para as configurações do Xfce (display, modo de espera, screen saver, margens e espaços de trabalho, aspecto janelas, interface do usuário, mouse, aplicações favoritas ...).

A aparência do Xfce é um pouco diferente da abordagem tradicional do GNOME e KDE:
  • O painel de controle: uma barra que não ocupa não toda a largura da tela, que dá acesso ao menu de aplicativos (ícone de um mouse (e um golfinho no Zenwalk)), os atalhos para um terminal , Thunar, Firefox, ... Há também o acesso à área de trabalho virtual, Painel de Controle, Gerenciador de impressão, com um botão de logout, o volume sonoro e o tempo.
  • um barra das janelas : barra que da acesso as janelas abertas pelos desktops virtuais.

Em resumo, Xfce constitui plenamente uma excelente alternativa 0 Gnome e KDE.

Na rede


Na rede você pode visitar os seguintes links :

Artigo original publicado por teutates

Tradução feita por Ana Spadari

Veja também

Publicado por ninha25. Última modificação: 18 de dezembro de 2011 às 06:07 por ninha25.
Este documento, intitulado 'Ambiente gráficos 2D ', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM (br.ccm.net) ao utilizar este artigo.