BYOD, os dispositivos móveis pessoais na empresa

Novembro 2016

A tendência "Bring Your Own Device" vem sendo implantada há algum tempo no mundo dos negócios. Os profissionais usam cada vez mais seus dispositivos móveis pessoais no trabalho ou a recorrer aos serviços da web, como o armazenamento online, por exemplo. Um novo desafio para as empresas que devem se adaptar à esta evolução que, mesmo sendo um desafio (ex: em termos de segurança), não deixa de ser uma vantagem em termos de competitividade. Mas seria importante falar dos riscos técnicos (de segurança) e jurídicos do BYOD. Visão geral e conselhos práticos para as pequenas empresas que desejam aproveitar ao máximo estes novos hábitos que revolucionam a organização do trabalho.


Os dispositivos móveis pessoais se impõem na empresa

De acordo com um estudo realizado com mais de 600 empresas e responsáveis pela informática em 17 países, por Avanade (fornecedor de soluções tecnológicas de empresas) o quadro de trabalho é marcado por uma evolução rápida do uso de tecnologias públicas. Este estudo revela que, cerca de 60% das empresas adaptam seu sistema IT ao uso de dispositivos pessoais pelos seus empregados, enquanto que 90% dos patrões de empresa se dizem informados pela utilização dos dispositivos pessoais para o trabalho, pelos empregados. As recentes previsões da empresa de sondagem Gartner indicam que, além da tendência ser "inexorável", ela pode acarretar alguns problemas de segurança e/ou de direção para as empresas. Outro estudo publicado em março de 2012 revela que 74% dos assalariados utilizam, pelo menos, dois dispositivos para o seu trabalho e 52%, pelo menos, três. Estas evoluções exigem certas adaptações nas empresas (pequenas ou grandes) que encorajam o trabalho móvel.

Boas práticas do BYOD

Negociar o uso dos dispositivos móveis pessoais na empresa

Assim como para o uso das redes sociais na empresa, é melhor redigir uma convenção referente à utilização dos dispositivos móveis pessoais, na prática profissional. Uma referência que pode encorajar a adoção de boas condutas.

Segurança dos dispositivos móveis e seu uso

Obviamente, a perda de dados é um dos principais riscos ao qual estão expostos os profissionais móveis que utilizam seus smartphones pessoais (ex: BlackBerry, iPhone, Android) no trabalho. Para minimizar este risco, pode ser útil divulgar um documento sensibilizando os empregados para as boas condutas na empresa:
Sistematizar a ativação por senha (proteção por código PIN) e outros procedimentos que possam limitar o acesso ao seu telefone, como a adoção de umcaminho de desbloqueio (no Android).
Atualizar o seu Sistema Operacionall regularmente.
Instalar aplicativos que permitam geolocalizar seu smartphone ou apagar os dados, remotamente, em caso de roubo e/ou perda (Find My iPhone no iOS, BlackBerry Protect, Androidtheft).
Sincronizar seu caderno de endereços</underline (ex: clientes) com serviços em cloud ou outros dispositivos (ex: iCloud para o iPhone, BlackBerry Desktop Software) para salvar dados de contatos.
<underline>Evitar instalar aplicativos
propostos por desenvolvedores desconhecidos nas lojas de apps (ex: Google Play).
Preferir pontos de acesso seguros pagos em lugares públicos, (protegidos por senha).
Veja aqui alguns conselhos para proteger seu smartphone corretamente.

Selecionar os aplicativos móveis

Para completar as ações relatadas acima, pode ser útil fazer uma lista dos aplicativos autorizados (ex: sites oficiais) e, ao mesmo tempo, criar uma lista "negra" dos aplicativos não recomendados e/ou proibidos. Alguns conselhos: escolha os aplicativos desenvolvidos por editores reconhecidos; escolha os aplicativos cross-plateform, compatíveis com a maior parte dos dispositivos móveis (aplicativos desenvolvidos para iOS, Android OS, WP7 e Nokia). Alguns serviços em cloud (ex: Salesforce e Google Docs) foram otimizados para as plataformas móveis. Prefira o uso de serviços em cloud (ex: Google Docs e Salesforce), propondo aplicativos otimizados para os dispositivos móveis. Priorize os aplicativos móveis que atendem às necessidades mais comuns. De acordo com o estudo feito por Avenade sobre o "consumo da IT", as empresas preferem os aplicativos "business core". Na ordem: o serviço de mensagens, a agenda e os contatos (85 %); as redes sociais (46 %); o CRM (45 %); a gestão do tempo e das despesas (44 %) e o ERP (38 %).
Veja também a dica iPad: os melhores aplicativos para o trabalho

O papel dos DSI

Nas PME, a direção dos sistemas de informática (DSI) devem respeitar a conformidade do uso de dispositivos móveis de acordo com as regras de empresa em matéria de:
proteção da rede de empresa, acesso aos aplicativos e enquadramento das práticas através de uma convenção específica.

BYOD e desenvolvimento de tele-trabalho

O uso de dispositivos móveis no trabalho (ex: em viagens) é, evidentemente, um fator de desenvolvimento do tele-trabalho. Assim, esta evolução dos hábitos deve ser preparada através de um dispositivo preciso (ex: volume de horários autorizados em tele-trabalho), no caso de encorajamento do uso de dispositivos pessoais para fins profissionais.

Saiba mais

Smartphones: as utilizações profissionais em pleno crescimento
As empresas "ultrapassadas" pelas ferramentas tecnológicas
Os dispositivos móveis pessoais se impõem na empresa
Dispositivos móveis na empresa: os empregados ditam a lei

Veja também :
Este documento, intitulado « BYOD, os dispositivos móveis pessoais na empresa  »a partir de CCM (br.ccm.net) está disponibilizado sob a licença Creative Commons. Você pode copiar, modificar cópias desta página, nas condições estipuladas pela licença, como esta nota aparece claramente.