Com o iPhone 5, Apple pretende manter seu domínio

Fevereiro 2017


Uma concorrência ferrada, um mercado em pleno desenvolvimento e um obstáculo incontornável para Apple : inovar para permanecer o líder da competição.

Apple marcou encontro neste dia 12 de setembro. Neste dia, a grande miss encantará os jornalistas, os blogadores e os fãs. Todos gostariam de morder um pouquinho a maçã. " Tem uma coisa incrível na história da Apple. Eu não tenho nenhuma lembrança de uma empresa desde 10 anos que faz tanto sucesso", diz Olivier Frigara, jornalista especializado da marca e responsável do site On refait le Mac, quando foi interrogado pelo « Nouvel Observateur ».

A Apple certamente já tem a certeza de conseguir a cobertura máxima da mídia para o simbólico keynote Tim Cook. A operação de comunicação vai ser um sucesso, mesmo esperando pouco, todos ficarão satisfeitos. No entanto, nada é menos certo do que o futuro do grupo no mundo dos sobre smartphones. "Uma área que a Apple criou", lembra Olivier Frigara. Mesmo que a empresa obtenha 71% dos lucros no setor, surge a pergunta: como a Apple pode continuar a ser um líder neste mercado?

Apple está em uma situação mais perigosa do que antes.

"Obviamente, a competição está lá e ela sabe", diz Philippe Torres, diretor de consultoria e estratégia de l'Atelier, célula de vigilância tecnológica, no "Nouvel Observateur". Em termos de volume de vendas, a Apple já não é o líder de mercado. Em 2011, a Apple realizou a pole position com uma quota de mercado de 19,1%. Hoje, a gigante sul-coreana Samsung assumiu a liderança com força. O grupo atingiu um pico de 32,1% de Seul. Philippe análise Torres: "Mas estes são apenas seguidores Exceto que a Samsung compreendeu uma coisa: como produzir smartphones"

O perigo está bem presente para a Apple. "Este é um ano de grande perigo, como nos anos 80, quando a marca foi lançada nos acessórios de escritório antes de ser acompanhado por Microsoft e IBM", diz Philippe Torres. "A Apple sempre demonstrou liderança nesta área. Hoje em dia, é toda uma indústria que está se ligou contra a marca."
Manter sempre à frente, ou a estratégia de "killer app"


Manter-se sempre à frente, ou a estratégia de "killer app"

"Aonde a Apple ataca forte, é nos aplicativos de seu sistema operacional, o iOS", disse Olivier Frigara. Embora superado em vendas, a Apple mantém um passo à frente neste campo. "Basta olhar como a Apple se comunica com cada nova geração de iPhone, é sempre em uma aplicação específica", acrescenta Philippe Torres. Qualquer campanha publicitária do iPhone 4S foi focada em Siri, que permite usar a voz para escrever uma mensagem ou escreva em sua agenda.

Se referindo ao novo iPhone, todo mundo está olhando para essa "killer app". A funcionalidade contará com a atratividade do smartphone da Apple no futuro. "Esperamos algo novo", diz Philippe Torres. "Como é que a empresa vai usar o seu eco-sistema criado em torno do iTunes, para esta famosa funcionalidade ainda desconhecido do iPhone? Essa é a questão."

"Eu não ficaria surpreso se a Apple chegasse com um serviço, uma aplicação, uma característica que os diferencia do resto da competição e que os consumidores apreciem", disse Francisco Jeronimo, analista da IDC, uma empresa de inteligência de negócios o "Guardian".

Charles Arthur, editor-chefe de serviço de tecnologia do "Guardian", também foi em busca desse "extra", este "coelho da cartola".

As "últimas fontes" indicam um serviço de streaming de música, pelo menos nos Estados Unidos, para competir com Spotify e Pandora. "Outros sugerem que o próximo iPhone terá tecnologia NFC para a transmissão de dados a curta distância que poderiam ser utilizados para efetuar pagamentos ". Qualquer que seja a funcionalidade, ela deve atingir o espírito. Mas, para tanto é preciso que a inovação tecnológica acompanhe.

Objetivo: 50 milhões de iPhones vendidos no 4ºsemestre de 2012


"A Apple não irá anunciar inovação tecnológica de ruptura, quer dizer realmente inovadora", argumenta Philippe Torres. "O que podemos inventar mais nesta área?" Resumindo: a Apple pode fazer melhor qua q Apple? "Não se pede à empresa reinventar o iPhone a cada ano", continuou Olivier Frigara. Embora muitos rumores sugerem uma tela maior, uma conectividade de rede 4G LTE, um cartão SIM menor, uma bateria maior e um conector menor. "Mas isso não é nada comparado com o impacto que teve sobre o setor com a tela multitoque", diz Olivier Frigara.

O importante para a Apple é, então, não cometer erros. "É por isso os ajustes na atualização.. Não se deve esquecer uma coisa, a estratégia da Apple é elevar a norma, os standards para smartphones. Deve ter progressos, mesmo assim" , Olivier análise Frigara.

Para a Apple, trata-se de garantir seu principal produto. A série IPhone gera a metade da receita da marca. "Sobretudo que , o iPhone não é o melhor smartphone", disse Olivier Frigara.

"Mas uma coisa está clara, com a Apple, sabemos o que esperar." Isto é o que faça diferença do produto: a simplicidade. O jornalista da marca acrescenta: "Quando a Samsung disse:" Mas, o nosso telefone é o melhor do mercado! "Eu digo: "Sim, certamente, mas minha avó não seria capaz de usar o seu celular".

As centros de Estudos Estratégicos afirmam que o iPhone 5 vai ser um sucesso comercial. Neil Mawston, diretor executivo de estratégia analítica vê o quadro da seguinte forma: "Estima-se que a Apple vai vender cerca de 50 milhões de iPhones no quarto trimestre de 2012, mais de 28 milhões de iPhones serão 5". Ao Comparar os 37 milhões de iPhones vendidos no mesmo período um ano atrás, é muito.

Tradução feita por Ana Spadari

Veja também

Publicado por ninha25. Última modificação: 12 de setembro de 2012 às 06:45 por ninha25.
Este documento, intitulado 'Com o iPhone 5, Apple pretende manter seu domínio', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM (br.ccm.net) ao utilizar este artigo.