iPhone 5: com sua nova porta, a Apple se torna menos acessível

Janeiro 2017

Os últimos iPhone e iPod teem uma nova porta que requer um adaptador para conectá-los a todos os seus acessórios. Vendido pela Apple por 29 dólares, é claro...

Em toda a Web os reclamadores e críticos da Apple dizem que ela não revelou nada de particularmente inovador ou surpreendente em sua recente apresentação do iPhone 5, em San Francisco. Nada está mais longe da verdade. Para começar, porque este é o primeiro a se chamar iPhone 5. Ele é o primeiro iPhone com um número superior a 4. Atreva-se a dizer que este não é um grande avanço.

Este ano, especialmente, a Apple decidiu dar um golpe de mestre e produzir o "melhor iPhone já lançado", como disseram vários funcionários da Apple em cena, quarta-feira passada (12/09/2012). Bom, tudo bem: essas mesmas pessoas disseram a mesma coisa no ano passado, na época do lançamento do iPhone 4S, em 2010, no lançamento do iPhone 4 e, isso, a cada lançamento de um novo iPhone. Mas este ano, eles insistiram especialmente neste ponto, embora eu ache que isso é só da boca pra fora.

Fim do efeito de surpresa


O iPhone 5 é o primeiro iPhone a apresentar uma tela de 4 polegadas, maior do que a tela de 3,5 polegadas dos antigos iPhones. Então, você vai me dizer: "qual a vantagem de uma tela de 4 polegadas ?". Você não vai acreditar !!!! quando você abrir um aplicativo desenvolvido para o grande ecrã do iPhone 5, você verá muito mais coisas que nas telas menores dos outros iPhones.

Por exemplo, o calendário se estende por 5 dias, em vez de três como anteriormente. Quando você abre um novo aplicativo, como o da CNN, você pode ver mais pessoas, sem precisar rolar. Ao procurar um restaurante no OpenTable ... você verá mais restaurantes aparecerem. É por causa deste tipo de avanço que a Apple lembra a todos que ela não se tornou o que é, à toa.

Você está me achando radical ? Talvez eu seja. Veja o que acontece quando, apesar das promessas de manter um segredo total, a Apple vaza todos os seus segredos bem cedo. Tudo o que havia para saber sobre o novo iPhone tem sido amplamente divulgado, a apresentação erdeu completamente o seu efeito.

Para ser honesto, o iPhone 5 é um instrumento particularmente impressionante. Se você estiver procurando um novo telefone, pense seriamente em comprá-lo (porém, se você estiver satisfeito com o seu iPhone 4S, não vejo razão para fazê-lo). Além de sua tela maior, o iPhone 5 é o mais leve e mais fino já colocado no mercado, a diferença é palpável.

Eu pude manipulá-lo alguns minutos, após a apresentação para a imprensa e fiquei realmente surpreso com a sua finura, em comparação com as versões anteriores. Também adorei o casco de alumínio deste novo telefone. O iPhone 5 parece mais sólido do que as versões anteriores e é, de fato, menos frágil. Com isso, sem dúvida, o telefone não precisará mais de capa protetora; se isso for confirmado, a sua finura e leveza não serão palavras vãs.

Problema de porta


Eu só tenho uma crítica a fazer - crítica essa de grande importância - em relação ao novo iPhone. Trata-se do seu novo " dock conector " (porta de conexão) - essa coisinha que conecta o iPhone aos seus acessórios. A nova porta, que também encontramos nos novos modelos do iPod apresentados pela Apple hoje, é muito menor do que o antigo conector que a Apple integrou em quase todos os iPod, iPhone e iPad, desde 2003.

A Apple decidiu mudar o conector porque o antigo era muito grande - simplesmente não há espaço suficiente nos novos dispositivos da Apple para encaixar a antiga porta. Mas a Apple afirma que esse novo conector tem outras vantagens. Com ele, é possível conectar um cabo em qualquer direção, ao contrário do anterior, o que poderia só podia ser usado numa direção. O conector em si foi revisto, o que permitirá, no futuro, transferências mais rápidas de dados. (Ele já é mais rápido que o antigo? A resposta ainda é um mistério.)


Eu entendo que a Apple tenha optado por mudar seu conector. Mas devemos reconhecer que a mudança não é neutra. Como muitos usuários deste charmoso gadget, eu, ao longo dos anos, acumulei uma série de acessórios que podem ser conectados à antiga porta de conexão. Começando pelo meu carro (tenho sempre um conector antigo no porta-luvas) e meu despertador. Também tenho um monte de cabos de carregamento, espalhados por toda a casa, para recarregar ou alimentar o meu iPad e iPhone, onde eu estiver.

Todo esse hardware, ou seja, dezenas de milhões de acessórios, tornou-se obsoleto. A única maneira de conectar os novos iPhone e iPad aos acessórios com o antigo sistema de conexão é comprar um adaptador muito feio. A Apple o vende a 29 dólares, uma curiosa maneira de agradecer aos seus clientes fiéis.

Esta não é a primeira vez que a Apple acaba com as tecnologias que considera como obsoleta. Na década de 1990, a Apple acabou com o leitor de disquetes do iMac apesar de muitas pessoas ainda armazenarem dados nesses discos. O primeiro MacBook Air não tinha nem leitor de DVD, nem porta Ethernet. Apesar de tais omissões terem parecido frustrantes na época, elas eram defensáveis porque a Apple estava seguindo a tendência geral. Todo mundo sabia que as disquetes e mídias óticas iam se tornar, mais cedo ou mais tarde, obsoletas. A Apple só estava à frente dos outros fabricantes.

Porque não uma porta USB ?


É difícil defender a introdução deste novo conector com os mesmos argumentos. Neste caso, a Apple só está substituido um padrão que ela detém a patente, por outro padrão de sua propriedade, o que só irá resultar na insatisfação dos usuários, por juros próximos de zero. Se a Apple considerava o outro conector grande demais para os seus novos dispositivos, porque não o substituiu pelo padrãpo de todas as outras empresas tecnológicas: o USB? Este sistema de conexão existe em muitas formas, incluíndo uma (micro-USB), que se encontra em quase todos os outros telefones do mundo, atualmente.

É verdade, o USB não é reversível: só podemos conectá-lo em uma direção. Mas, fora isso, ele poderia funcionar, exatamente como o novo conector Apple, com a vantagem adicional de ser universal. Se a Apple tivesse adotado o USB, o mundo sofreria uma grande mudança: todos os telefones do mundo usariam o mesmo conector de carregamento.

Assim sendo, poderíamos, de forma padronizada, conectar qualquer aparelho a qualquer outro - o seu iPad à sua TV, independentemente da marca ou modelo, o seu iPhone à sua câmera, facilitando a recuperação instantânea de suas fotografias e, assim por diante. Acima de tudo, o USB sendo um padrão aberto, os fabricantes de acessórios já não precisariam do acordo da Apple para oferecer novos acessórios.

Nós viramos caixas registradoras


Este último ponto é provavelmente a razão da Apple não querer adotar a porta USB. Com a introdução de um conector de sua propriedade, a Apple continua a supervisionar o mercado lucrativo dos acessórios. Assim sendo, a Apple poderá, por um lado, exigir dos fabricantes o pagamento dos direito de utilização do seu conector e, por outro, proibir a venda de acessórios que ele não quer. E, em um futuro próximo, a Apple poderá , mais uma vez, bagunçar toda a indústria, mudando novamente de conector.

Este novo conector, por mais chato que seja, certamente não terá nenhuma consequência nefasta quanto ao número de vendas do iPhone 5. Mas o que resulta disso tudo é a revelação da ideia que a Apple faz de quem compra seus produtos: caixas registradoras. Então, não, o iPhone 5 não é o melhor iPhone já produzido. Se fosse, a Apple não faria isso com os seu clientes fiéis.

Artigo original publicado por Farhad Manjoo e traduzido em francês por Antoine Bourguilleau

Tradução feita por Lucia Maurity y Nouira

Veja também

Publicado por pintuda. Última modificação: 14 de setembro de 2012 às 08:52 por pintuda.
Este documento, intitulado 'iPhone 5: com sua nova porta, a Apple se torna menos acessível ', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM (br.ccm.net) ao utilizar este artigo.