"Guild Wars 2", a pequena revolução no jogo online

Dezembro 2016



Este MMORPG multiplica as boas surpresas, ao ponto de fazer melhor que o "World of Warcraft".

Renovar uma fórmula que funciona bem é um desafio perigoso. No setor saturado dos jogos de personagens online massivamente multi-jogadores (chamados "MMORPG"),ão é evidente conseguir um lugar. Desde muitos anos já, "World of Warcraft" faz a lei. Depois de um grande lifting, o challenger "Guild Wars 2" tem a petulância de fazer melhor e de representar uma pequena revolução.
As boas surpresas começam desde a criação do personagem. É possível escolher entre cinco raças : o humano, o gnomo Asura, o Sylvari, o glacial Norn, ou o selvagem Charr. Lá onde os principais MMORPG, tais como "World of Warcraft", propõe pouca personalização, "Guild Wars 2" oferece a possibilidade de criar um avatar nos mínimos detalhes: história pessoal, conflito interno, crenças, motivações, origem social...

Estas escolhas ajudarão traçar uma via narrativa específica para seu personagem: seu destino pessoal. Esta via dará aos jogadores uma sensação de imersão única e importante. Só faltará escolher entre oito profissões antes de partir explorar o mundo de Tyria.

Os poderosos dragões ancestrais acordam e ameaçam o mundo. O objetivo final é o de afrontar Zhaïtan, o dragão ancestral. Ao invés de retomar a arquitetura clássica dos MMORPG, "Guild Wars 2" inova ainda mais. Não existe mais o jogador associal que percorre um mundo imenso. Aqui, o sistema de buscas dinâmicas permite participar da vida do mundo e de reagir as ações dos outros jogadores. Não existe busca propriamente falando, mas unicamente acontecimentos dinâmicos que evoluem em função de suas ações e tem consequências duráveis em Tyrie. Tem-se, então e logo, a sensação de construir um mundo, de modelá-lo. E é um verdadeiro prazer.
Do lado visual, o trabalho artístico é esplêndido. A arquitetura das cidades, das campanhas e os conceitos trazem uma coerência colorida à este universo. É lindo e isto dá vontade de ficar conectado mais tempo.

Quem fala de MMORPG, quer dizer que está falando de diversos modos de jogo : « destino pessoal », o clássico modo "jogadores contra jogadores" e enfim, a pérola, o modo "World contra World". Este conceito, totalmente novo, propõe aos jogadores três servidores, assim três campos diferentes, de combater em um imenso mapa. Cada campo deve defender seu QG instalado em um canto, enquanto que no centro se encontra uma zona neutra com recursos (minas, serradoras, vilarejos e postos avançados a ocupar). O objetivo último é o de invadir e de roubar as zonas adversárias.

O algo a mais
- O destino pessoal - O modo "World contra World"- A massa artística - Não tem nenhum pagamento

O algo a menos
- Os grafismos médios - a trilha sonora som - O cenário clássico
Note : 4,5/5

Disponível para PC (conexão internet indispensável).

A partir de 12 anos.
Tradução feita or Ana Spadari

Veja também :
Este documento, intitulado « "Guild Wars 2", a pequena revolução no jogo online  »a partir de CCM (br.ccm.net) está disponibilizado sob a licença Creative Commons. Você pode copiar, modificar cópias desta página, nas condições estipuladas pela licença, como esta nota aparece claramente.