Integração das mídias sociais na emresa: um verdadeiro quebra-cabeças estratégico

Dezembro 2016

De acordo com um estudo publicado pelo site de busca de empregos on-line CareerBuilder, um número crescente de empresas utilizam as mídias sociais para promover seus negócios na internet. A passagem do público em geral para a esfera profissional destas ferramentas seria umfato consumado hoje em dia: o reconhecimento por profissionais que traz novos desafios estratégicos, com demandas crescentes (wiki, blog, espaços comunitários) que devem responder às necessidades específicas. Como parte de um webinar sobre as "Tendências dos softwares sociais", Gartner indica que as empresas estão cada vez mais com dificuldade de determinar as melhores ofertas. Um problema ao qual se adiciona a necessidade de se treinar funcionários em novas ferramentas, depois de adotadas. O ponto sobre este "quebra-cabeça estratégico" com as recomendações da Gartner.

Redes sociais: fim do preconceito sobre a "contra-produtividade" ?


O estudo recentemente publicado pelo site de busca de empregos CareerBuilder ilustra a crescente consciência das redes sociais, na esfera profissional, para fins produtivos. Os resultados, baseados em um questionário enviado a mais de 2.500 executivos e 4.500 funcionários de PME e grandes empresas dos Estados Unidos, mostram que o "processo em contra-produtividade" relacionado à elas pertencem ao passado: no total, 35% dos profissionais usariam mídias sociais para promover seus negócios na internet. Entre eles, 25% as usariam para se comunicar com clientes e encontrar novos sócios, enquanto que 21%, para recrutar novos empregados e 13%, para fortalecer a imagem da empresa. Após muito tempo relutando em adotá-las, estando as mídias sociais rotuladas como "grande público" e reservadas aos usuários privados - as empresas "agora, se aproveitam destas plataformas para alcançar objetivos profissionais, uma evolução que corresponde à massificação dessas ferramentas", segundo o site CareerBuilder.

Paralelismo entre o uso das mídias sociais profissionais e pessoais


Para a agência Gartner, esta nova âncora mostra as semelhanças entre o uso das redes sociais na esfera profissional e pessoal, mesmo se os objetivos divergem. Como parte de um webinar que explora "Tendências dos softwares sociais", a Gartner aponta para o fato de que os funcionários das empresas utilizam as redes sociais como os usuários do Facebook: para se manter a par do que fazem e pensam seus colegas, para solicitar comentários e opiniões, ou ainda, para mobilizar os funcionários em torno de projetos ou eventos.

Com possibilidades técnicas semelhantes: a personalização da plataforma com extensões e aplicativos, marcação de conteúdos interessantes (tagging) e compartilhamento de fontes e sites com os membros de sua rede. As vantagens para os colaboradores dessas ferramentas seriam, por ordem decrescente: melhorar a comunicação, capitalizar informações (aprendizagem), aumentar a eficácia no trabalho de equipe, melhorar a criatividade e obter um impacto positivo sobre a resolução de problemas, a gestão de equipes e a ajuda na decisão. Portanto, a adoção das mídias sociais pelas empresas é um fenômeno crescente mas, segundo a agência Gartner, que ainda terá que enfrentar novas barreiras.

Boom das mídias sociais: problemas de escolha e de suporte técnico interno


Segundo a Gartner, os diferentes tipos de mídias sociais atendem às necessidades localizadas entre a comunicação por e-mail e o uso de ferramentas colaborativas mais estruturadas (Sharepoint, por exemplo). Primeira dificuldade: escolher soluções que atendam às necessidades da empresa. A Gartner as classifica em três categorias: as plataformas intra-empresa (colaboração interna), as plataformas abertas para o exterior (clientes, sócios, etc) e mídias sociais públicas (ex: Facebook), que visam públicos transversais envolvidos na relação com a clientela (marketing, comunicação, serviço ao cliente). Dentro de suas categorias, existem inúmeras ferramentas que prenchem funções e cobrem as necessidades específicas da empresa. Neste contexto, saber que ferramentas escolher é um desafio. Ainda segundo a Gartner, sua implementação e sua adoção pelos funcionários, é um aspecto que requer muita pedagogia

Recomendações da Gartner


Ao concluir seu webinar, a Gartner propões uma programação, em um prazo de um ano, para ajudar as empresas a selecionar as ferramentas certas e a implementá-las progressivamente:
  • No início, determinar que ferramentas sociais são oficialmente, ou não oficialmente, utilizadas na empresa (e como ?).
  • Após três meses: inventariar as ferramentas colaborativas e sociais, selecionar os pilotos com valor adicionado, estudar a estratégia dos fornecedores de soluções (aliás, a Gartner também afirma que o editor de softwares "Jive"- e "Jive Sociais Business Software (SBS)"- é o melhor posicionado entre os fornecedores de soluções de softwares sociais integrados.
  • Após um ano: introduzir funções sociais pertinentes em suas soluções e treinar o pessoal para utilizá-las.

Tradução feita por Lucia Maurity y Nouira

Veja também :
Este documento, intitulado « Integração das mídias sociais na emresa: um verdadeiro quebra-cabeças estratégico »a partir de CCM (br.ccm.net) está disponibilizado sob a licença Creative Commons. Você pode copiar, modificar cópias desta página, nas condições estipuladas pela licença, como esta nota aparece claramente.