Os e-consumidores e empresas, sob a influência das redes sociais ?

Fevereiro 2017

Segundo uma sondagem feita pelo Observatório de utilização da Internet Médiamétrie, a barra dos 20 milhões de membros em sites comunitários acaba de ser alcançada na França, este ano. Além de certas tendências, como a feminização e a maturação das redes sociais (tantas mulheres quanto homens inscritos este ano e uma adesão crescente de usuários mais velhos), outro fenômeno está crescendo e acelerando: os comentários positivos e negativos dos usuários de plataformas comunitárias seriam, agora, um fator decisivo na hora da compra dos e-consumidores. Uma tendência confirmada por outros estudos recentemente publicados, que também destacam o papel essencial do Facebook em relações marcas-clientes. Síntese de novas tendências.

As redes sociais estão se feminizando. Principalmente entre 35 e 49 anos


A pesquisa da Médiamétrie mostra, primeiramente, que o número dos membros inscritos em sites comunitários aumentou em mais de 25% em um ano, atingindo hoje, mais de 20 milhões de usuários. Se a "pirâmide etária" continua desequilibrada, em favor de adultos jovens (com menos de 24 anos representando mais de um terço dos inscritos), estamos a um estrangulamento por cima e por baixo: no primeiro trimestre de 2010, a faixa etária de 11 a 15 anos conheceu um grande crescimento (+ de 63%), enquanto que em um ano, a faixa etária de 35 a 49 anos aumentou em 28% (5 milhões de membros). Outra tendência importante: a feminização dos sites comunitários. "Eles" já representam 49% dos membros, contra 46,5% em 2009. Três evoluções significativas cujas marcas presentes em redes sociais deverão ser consideradas para refinar sua segmentação de marketing.

O boom quantitativo observado pela Médiamétrie também é acompanhado por um maior controle dos sites comunitários, pelos membros: quase 4 milhões de membros atualizariam, regularmente, os seus "perfis". Eles também usariam as funcionalidades associadas às suas contas, uma tendência ilustrada pelo sucesso dos aplicativos do Facebook, por exemplo.

Opinião dos membros : um impacto crescente na hora da compra


Mais interessante para as empresas, os inscritos estão cada vez mais influenciados pelos comentários dos membros da comunidade, na hora da compra de novos produtos. Assim, mais de metade deles leem os comentários dos internautas para preparar a sua compra, enquanto que 21,6% o fazem sistematicamente. Ainda de acordo com o estudo da Médiamétrie, estes inscritos baseariam sua decisão de compra em comentários positivos ou negativos de um usuário: eles seriam 6,9 milhões a comprar um produto com base nas recomendações dos internautas e, inversamente, mais de 7,5 milhões inscritos deixariam de comprar após a publicação de comentários negativos.

Uma tendência que corrobora o estudo realizado nos Estados Unidos, há algumas semanas, pelo provedor de soluções de marketing da web, Power Review: 55% dos e-consumidores entrevistados declararam que os comentários postados pelos seus amigos no Facebook, influenciavam prioritariamente suas decisões na hora de comprar.

Relação clientes-marcas: Facebook, epicentro das trocas comunitárias


Se nos fiarmos aos resultados de um terceiro estudo publicado na semana passada pela agência de marketing da web, a Invoke Solutions, o lugar que ocupa o Facebook no comércio entre marcas e clientes se confirma. Dos 300 usuários de mídias sociais entrevistados, 65% seguem uma marca ou uma empresa na rede social e 47% declaram ter postado um comentário na página do Facebook da mesma. Neste estudo, o Twitter não ficaria de fora, já que 31% dos usuários entrevistados dizem seguir os tweets de uma marca.

Para Peter Mackey, vice-presidente da Invoke Solutions, estes números representam uma aceleração dessa tendência: "Nós já sabíamos que as redes sociais tinham um papel importante na interação entre os usuários, mas a velocidade com que o consumidor aceitaram as redes sociais como meio de comunicação com as marcas e a amplitude do fenômeno, são dois fatos marcantes."

Tradução feita por Lucia Maurity y Nouira

Veja também

Publicado por pintuda. Última modificação: 24 de outubro de 2012 às 19:51 por pintuda.
Este documento, intitulado 'Os e-consumidores e empresas, sob a influência das redes sociais ? ', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM (br.ccm.net) ao utilizar este artigo.