As tecnologias do Green IT na empresa

Agosto 2017

"Green IT, cloud computing, computação verde": a chegada de novas tecnologias e métodos de trabalho mais ecológicos é, agora, reconhecida como um fator de crescimento para as PME, como atesta um estudo publicado recentemente pela Microsoft. Contenção de custos de hardware e de energia, maior segurança informática, virtualização dos computadores: a gama de possibilidades técnicas é vasta para as PME, preoccupadas com seu orçamento e sua imagem eco-responsável. Para muitas delas, as soluções de softwares SaaS são uma boa maneira de pegar carona nas tecnologias verdes.


Green IT na empresa: por que, como?

Reduzir o impacto financeiro e ambiental


Por trás do termo genérico "Green IT": um conjunto de processos, meios tecnológicos e métodos de trabalho que permitam às PME:

1 - Reduzir os custos energéticos associados ao uso de ferramentas tecnológicas

2 - Reduzir o impacto ambiental do consumo de energia (libertação de CO2) e o ciclo de vida do equipamento (ex: metais pesados)

Consequência do segundo ponto: as empresas realocam uma parcela de seu orçamento de TI (tecnologia de informática) para outros setores com valores acrescentados. De acordo com um recente estudo feito pela Microsoft, as PME que utilizam os serviços hospedados (ex: software em modo SaaS, uma parte importante das ofertas do Green IT) teem melhor desempenho financeiro do que as que ainda não deram esse passo.

A gama do Green IT para a empresa


Em um contexto profissional, as tecnologias verdes cobrem muitas áreas. Inovação e estratégia estão intimamente ligadas, pois a implementação de soluções do Green IT afeta o modo de organização empresarial.

Veja algumas áreas-chave de aplicações da eco-tecnologia nas empresas:
  • Virtualização dos servidores e computadores: concretamente, o servidor da empresa desaparece em favor de um servidor operado por um provedor (host), mais eficiente, menos consumidor de recursos e, mais seguro. Softwares e aplicativos são hospedados remotamente (em modo SaaS)
  • Melhoria das salas de servidores já instalados, construção de novos centros de dados (Data Center) mais eficientes.
  • Consolidação do armazenamento de dados
  • Controle do consumo elétrico (ex : computadores).
  • Centralização dos sistemas de impressão
  • Métodos de trabalho remoto: teleconferência, teletrabalho
  • Reciclagem do equipamentos de IT
  • Desmaterialização de documentos (ex: arquivamento digital)

Green IT: algumas vantagens para as PME ?


De acordo com uma pesquisa realizada pela Info-Tech Research Group nas PME em 12 países, 80% das empresas já lançaram projetos do Green IT em uma das áreas mencionadas acima. Uma tendência que mostra seu interesse em tecnologias ecológicas justificada por razões econômicas.

Controle dos custos energéticos: exemplo do servidor da emresa


Em certos aíses, as tecnologias de informação e comunicação consomem 13,5% de energia. Para as PME, a questão econômica do Green IT é muito importante, visto que a eletricidade representa 10% do orçamento.

O servidor instalado na empresa é um bom exemplo: a sua taxa de utilização é de 20%, em média, dependendo do tipo de máquinas usadas. As PME que investem neste tipo de material só utilizam uma parte muito pequena, apesar de um consumo de energia constante.

Para diminuir essas perdas financeiras, uma das soluções do Green IT é propor o aluguel de servidores remotos para as empresas. A sua eficiência energética é ótima (utilização de 90%) e sua manutenção fica a cargo do fornecedor. Este tipo de serviço locativo permite às empresas:
  • Reduzir as contas de energia
  • Controlar as despesas, contabilizando os custos fixos (sem investimento em hardware).


Uma economia que varia de algumas centenas para vários milhares de euros por ano, dependendo do tamanho de seu computador.

Um estudo realizado pela TheInfoPro com 195 empresas americanas e europeias revelou que metade dos servidores implantados em 2009 são virtualizados.

Segurança e flexibilidade


Algumas soluções relacionadas ao "movimento do Green IT" permitem que as empresas possam resolver alguns dos problemas de segurança ligados às vulnerabilidades informáticas. Este é o caso, por exemplo, dos softwares em modo SaaS (em servidor remoto).

Neste caso, o PC da empresa não armazena nada localmente e não está sujeito a ataques de vírus ou malwares.

A virtualização das aplicações (acesso remoto, pela internet) se adapta a contextos em mudança da empresa: situação de mobilidade e teletrabalho, chegada de interinos (criação de acesso virtual), etc.

O marketing verde


O surgimento de soluções do Green IT permite que as empresas comuniquem suas escolhas eco-responsáveis . Portanto, essa mudança de rumo tecnológico integra as estratégias de venda atual: o marketing verde.

Além das economias de energia, o marketing verde permite que as marcas valorizem a sua imagem junto aos seus clientes. Mas esta vantagem também é uma vítima do seu próprio sucesso: algumas empresas abusam da bandeira do "desenvolvimento sustentável".

Daí a importância, hoje, das marcas e certificados ecológicos emitidos para as empresas que se comprometeram com o "Green IT".

Freios para a evolução do Green IT


Embora o crescimento de tecnologias do Green IT é suportado, as PME demonstram preocupação sobre três pontos relacionados às tecnologias do "Cloud Computing", como revelou um estudo da empresa de auditoria e consultoria Deloitte, principalmente sobre:
  • A segurança e a confidencialidade de dados confiados a um alojador de serviços.
  • A compatibilidade entre as plataformas SaaS em caso de migração de dados para outro alojador (host).
  • A confiabilidade dos alojadores (principalmente em termos de back-up de dados)

SaaS e escritório virtual: as PME estão aderindo ao verde


Dependendo do tamanho, o número de funcionários e o setor de atividade da empresa, as iniciativas "Green IT" não são os mesmos. Se há um denominador comum é, sem dúvida, o das soluções SaaS ("Software como serviço") para profissionais. Eles podem trabalhar em aplicações profissionais (área de trabalho contínuo, mensagens, VoIP) instalados no servidor remoto a partir de um fornecedor e acessíveis pela internet.

As pequenas empresas que já utilizam a suíte do Google Docs, já teem um pé no "escritório virtual".

Mas existem outros aplicativos deste tipo:
  • Gestão de Clientes e possíveis clientes
  • Gestão de Marketing
  • Gestão do Serviço Cliente
  • Softwares de profissões: finança, contabilidade, pagamento, RH
  • Software profissional de gestão integrada


Alguns provedores de aplicações hospedadas propõem diversas ofertas, outros são especializados em "aplicações profissionais" mais específicas: flexibilidade que permite testar o modo SaaS antes da aprovação final.

A opinião de um especialista


Rodolphe Alonso é diretor da Helios/GreenSaaS, uma PME especializada na prestação de aplicações hospedadas para as empresas.
CCM - Pode-se estimar o ganho energético e financeiro para uma PME utilizando serviços hospedados?

RA -Sim. Por exemplo, vejamos o servidor da empresa. Na configuração padrão, o servidor da empresa é como um motor a gasolina em baixo regime: ele usa apenas 20 a 30% de sua capacidade. No modo virtual, o servidor remoto de um provedor de soluções SaaS usa 80% de sua capacidade, com alta eficiência energética. Ao mudar para hospedagem virtualizada, a empresa se libera de seus servidores e faz baixar, significativamente, seus custos energéticos. No final, uma economia de várias centenas a vários milhares de euros, dependendo do número de computadores.

Adicione a isso, as economias ligadas ao sistema de "aluguel" das soluções SaaS: a empresa aluga um espaço do seu hospedeiro sem precisar gastar com novos equipamentos.

CCM - Para uma PME, que forma pode tomar a passagem em modo SaaS?

RA - Podemos citar o exemplo do "thin client" (cliente lagro). É um dispositivo do tamanho de uma pequena caixa que substitui o PC e permite que usuário se conecte com todas as suas soluções SaaS. Ao contrário do computador tradicional, ele não armazena nada localmente. Já que todas os aplicativos estão disponíveis no servidor remoto, não há qualquer problema com vírus ou malware, por exemplo. E, do ponto de vista energético, o thin client é equipado com uma fonte de alimentação elétrica altamente eficaz, o que reduz os custos de energia.

CCM - Quais são os tipos de aplicativos profissionais disponíveis em modo SaaS?

RA - Há muitos, é preciso listar as suas necessidades. Vários módulos estão disponíveis: o escritório virtual com aplicativos da Micosoft, a VoIP, as mensagens, os softwares ERP, etc. O interesse das soluções SaaS é que elas se prestam a uma variedade de contextos profissionais: como por exemplo, o trabalho colaborativo e o uso móvel. Como é possível se conectar a qualquer momento ao seu escritório virtual, os usuários de smartphones podem sincronizar suas mensagens imediatamente e se conectar com a operadora.

CCM - A dependência à internet é um problema?

RA - Este é um argumento real. No entanto, existem formas de minimizar este risco. Como, por exemplo, a criação de dois acessos diferentes à Internet. Assim, podemos distribuir os fluxos de informação entre os dois. E um apoia o outro em caso de problema. Enfim, se os dois acessos à Internet falharem, um roteador com conexão 3G pode permitir que a empresa trabalhe com seus aplicativos SaaS.


Tradução feita por Lucia Maurity y Nouira

Veja também

Artigo original publicado por . Tradução feita por pintuda. Última modificação: 10 de abril de 2013 às 08:14 por pintuda.
Este documento, intitulado 'As tecnologias do Green IT na empresa ', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM (br.ccm.net) ao utilizar este artigo.