Como escolher uma placa-mãe para o seu PC

Maio 2017

A placa-mãe é o componente de base do computador. Em função desta escolha decorrem as escolhas do processador - (CPU), do tipo de memória viva - RAM e das portas de periféricos: números de portas gráficos, número de conexões Sata para os discos rígidos e os leitores óticos, entre outros.

O componente fundamental da placa-mãe é o chipset. Este determina quais CPUs podem funcionar nesta placa-mãe (é preciso que sejam compatíveis com o socket), ele determina, também, o tipo de RAM gerenciado (DDR2, DDR3, ou DDR2 / DDR3).


Para escolher uma placa mãe, é necessário cuidar de dois pontos principais:

A compatibilidade com os outros elementos do PC: para que possam ser perfeitamente compatíveis, eles deverão fazer parte da mesma geração e, às vezes, vindos do mesmo fabricante. Um processador dito de nova geração não poderá funcionar em uma placa mãe muita antiga, mesmo com uma atualização do Bios.

A evolução da conexão: para compor um computador capaz de evoluir e de colar aos progressos tecnológicos futuros, a evolução da conexão de sua placa mãe é primordial. É à ela que você deverá conectar os novos elementos: ela deverá suportá-los. Para a integração de elementos, é preciso sobretudo um número suficiente de portas USB e tipos particulares, como ( SATA, FireWire, HDMI,...)

O uso que você desejar fazer de seu PC é determinante: suas necessidades não são as mesmas para um computador utilizado para as tarefas de um escritório e de navegação web e aquelas de um PC de jogadores de vídeo 3D.

Duo Placa-mãe/Processador

Sem harmonia entre estes dois elementos, não haverá bom desempenho. Resumindo, não adianta investir em um processador com um ultra desempenho (tipo quad-core) se sua placa mãe (e sobretudo seu chipset) for incapaz de fazer roda-lo. Recomenda-se a escolha de uma placa mãe com chipset da mesma marca que seu processador, porém não é obrigatório. AMD ou Intel, a guerra das duas marcas de processadores provoca faíscas e as placas mães são compatíveis somente com uma marca, por isso escolha antes o processador.

Escolha do socket

AMD ou Intel, a guerra das duas marcas de processadores faz um alarde, e as placas-mãe só são compatíveis com uma marca: então escolha primeiro seu processador. Em seguida, alguns sockets serão mais resistentes que outros: se você comprar um PC equipado com uma placa-mãe com socket 775 ou AM2, é provável que nenhuma atualização do CPU será possível daqui a alguns anos.

Escolha do chipset

Após ter escolhido o CPU, a escolha do chipset se colocava, em outros tempos, imprescindível para as plataformas socket 775 ou AM2/AM2+. Esta escolha não existe mais praticamente nas plataformas AM3 e desapareceu nas plataformas Intel 1156, 1366 e 1155.

Placas mães para CPU Intel socket 1156/1366

Depois dos sockets 1156 e 1366, é o processador que embarca o controlador de memória, como nos AMD a partir do Athlon 64, e mesmo o controlador PCI-Express para o socket 1156: neste caso, o chipset se reduz a um Southbridge, e só gera as entradas/saídas, quer dizer, os discos rígidos, portas USB. Para os sockets 1156 e 1366, não tem escolha, só existem, até o momento, o X58 para o socket 1366, e principalmente o P55 para o socket 1156. O H55 é, na verdade, um P55 com chip gráfico integrado, e os H57 ou Q57 não são recomendados, pois não trazem nenhuma vantagem. Note que, no caso de uma placa mãe para o processador i5 ou i7, o chipset P55 ou X58 gera tanto o CrossFire quanto o SLI (atenção, isto depende dos acordos de licença de acordo com as placas mães): nVidia não propõe nenhum chipset para os sockets 1156/1366.

Placa-mãe para Intel CPU socket 1155

Em janeiro de 2011 saíram as placas-mãe socket 1.155 CPU para Sandy Bridge.
Tal como acontece com o socket 1156 é o processador que integra o controlador de memória.
Chipsets estão disponíveis para esta plataforma:

No primeiro preço, H61, H67 versão reduzida: não SATA 3 (6 Gb / s) ou RAID
O H67, para usar o chip gráfico integrado, mas não permite overclocking,
O P67, tornando possível fazer overclock usando o fator de CPU, mas não para usar o chip gráfico integrado,
O Z68, tornando possível fazer overclock da CPU através do coeficiente de <souligne> e </ destaques> usar a CPU de chips gráficos integrados.

Na verdade, o overclocking clássico não é mais possível no socket 1155, você só pode overclocker pelo coeficiente de CPU versões K, com coeficiente livre.

O chipset mais completo até o momento é o chipset Z68: é possível fazer um overclock como você quiser da memória do sistema, a frequência de seu processador e a frequência de gráficos integrados da Intel, enquanto desfruta do circuito gráfico integrado ao processador. Há também uma nova função, o SSD Caching. Mas as limitações em termos de overclocking da plataforma Sandy Bridge permanecem as mesmas com o P67, ou seja, sem o overclocking para o bus BCLK ... um pouco decepcionante...

Placas mãe para CPU AMD, socket AM2/AM2+/AM3/AM3+

Para uma placa-mãe em AM2/AM2+, deveríamos escolher em seguida o chipset AMD ou nVidia?

Os chipsets AMD são previstos pelo Crossfire, e consiste em acoplar 2 placas AMD/ATI.
Os chipsets habituais atualmente na AMD em socket AM3 são os 785, 790 et 880, 890: eles permitem o CrossFire sem restrições. É preciso escolher uma placa mãe à chipset anterior ao 760G, o bus HyperTransport seria Bride, deixaria lentas as trocas com a RAM. Os últimos a terem saídos são os chipsets 890, previstos pelos Phenom II X6.

Os chipsets nVidia são previstos para o SLI, e consiste em acoplar 2 placas gráficas Nvidia. Mas, Nvidia, não tendo desenvolvido praticamente nenhum chipset para placa-mãe AM3, trata-se, sobretudo de antigos chipsets adaptados sobre placas mães DDR3. Aconselho então a optar por um chipset AMD se você se equipar com uma plataforma AM3. Para os fiéis do SLI na plataforma AM3, encontra-se ainda alguns chipsets. Recomendo o nForce 630a, alias GeForce 7025, que data de 2007, e é baseado em um chipset ainda mais antigo. Os chipsets Nvidia em socket AM2+/AM3 ainda possíveis para o SLI sont le 750a SLI e o 980a SLI:

O 750a SLI permite o SLI em condições corretas;
O 980a SLI permite o SLI sem restrições, com 2 portas PCI-Express en x16.

Perenidade dos sockets

A escolha de uma placa mãe condiciona o tipo de processadores possíveis: seria interessante escolher uma placa-mãe equipada com um socker que tem uma duração de vida muito longa, para poder atualizar seu PC nos próximos anos sem ter que trocar tudo. Infelizmente, é bastante difícil saber o que os construtores farão no futuro próximo, digamos em 1 ou dois anos.

Perenidade Intel

No maior construtor, a perenidade não é nada boa: se o soquete 775 durava cinco anos, mas com várias inconsistências, o socket 1156 dura somente um pouco mais de um ano, agora que os processadores Sandy Bridge em 1155 foram lançados.

Más notícias para o socket 1156, nenhum CPU deve sair em 2011 com este socket. Pelo que sabemos sobre o novo socket 1155, ele deverá durar pelo menos até 2012, quando o novo CPU Ivy Bridge, gravado em 22nm, deverá sair na versão hexa e octo-core (6 e 8-core). Mas o bug dos chipsets P67/H67, provavelmente, vai mudar a agenda inteira.


O socket 1366 fica disponível para a média e alta qualidade (hexa-core i7 980X) ou as verões Pro (Xeon), ou menos até o final de 2011. Mas, ele está também ameaçado, os Sandy Brige Extreme deveriam sair em socket 2011 fim de 2011.

Perenidade do processador AMD

No segundo construtor, em tamanho, a perenidade é melhor, a compatibilidade AM2/AM2+/AM3 é grande, mas não é total: desde 2006, e o socket AM2, os CPUs AMD são amplamente compatível placas-mãe AM2/AM2 +. Mas a transição para DDR3 com o soquete AM3 provoca inconsistências:
Athlon X2 tem um controlador de memória que suporta apenas DDR2, portanto, compatível placa-mãe AM2/AM2 +, enquanto que o Athlon II/Phenom II tem um controlador de memória gerenciador do DDR2 e DDR3, placa-mãe de modo que compatível com AM2 + AM3.
Em relação ao novo socket AM3 + processadores Bulldozer, ligeiramente diferente da AM3, agora sabemos que é possível: AMD fez um ajuste, indicando uma compatibilidade quase completa do novo CPU à placa mãe AM3, algumas funções continuam a prerrogativa de AM3 +.

Os fabricantes de placa-mãe anunciaram placas mãe AM3 "compatível" CPU AM3+ com chipsets indo do 760G ao 990FX. Porém, agora que os CPU Bulldozer foram lançados, compatibilidade/bridage apareceram e os corretivos acabam de serem lançados.

MSI finalmente anunciou que para os chipsets anteriores à série a 900, somente 3 placas com chipsets 890 serão compatíveis com os Bulldozer FX, e Asus não confirmou nada até agora.

Para evitar qualquer limitação dos novos CPU Bulldozer FX, aconselho as placas mãe com chipset AMD série 900 (970, 990X, 990FX ) para se equipar. Se você já tem uma placa mãe AM3 «declarou» compatível AM3+, será preciso esperar o anúncio oficial do suporte (ou não) dos FX pelo seu fabricante, com, em último caso, o lançamento do Bios adaptado.

Links

Asus
AM3 +
Gigabyte:
Gigabyte AM3+
Asrock
Asrock AM3+
MSI :
MSI AM3+

As portas e os conectivos

São as tomadas nas quais os elementos vem se conectar à placa-mãe. Em uma placa-mãe, deve-se encontrar conectivos USB 2.0 em número suficiente, mas também um porto e-SATA para conectar no vivo um disco rígido e os leitores (a porta SATA ou IDE são em via de extinção). As portas SATA 2 para discos rígidos com bandeja e para os leitores/gravadores óticos, as portas SATA destinadas aos SSD (a porta PATA ou IDE encontra-se em vias de desaparecer).

Você deve verificar o número de portas e conectivos para estar seguro de poder conectar todos os componentes que você tenha necessidade. Se você desejar desenvolver seu computador, alguns portos devem estar disponíveis.

O formato e os elementos integrados

Tem em primeiro formato (fator de incomodo): para um PC standard, será o formato ATX, o mais comum atualmente, compatível com quase todas as configurações, e que dá a maior escolha possível da placas mães, com funcionalidades. Para um mini PC, tem diversos formatos reduzidos, o mais comum é o micro-ATX. Você pode ver todos os formatos de placa mãe no guia placa-mãe. Os elementos integrados são de mais em mais frequentes nas placas-mãe recentes voltados a um uso tranquilo: placa gráfica, placa som, firewall. O uso comanda: para rodar jogos 3D, uma placa gráfica complementar é necessária; uma placa som no porto PCI se faz também necessária se você tem um aparelho de som com alto desempenho (amplificadores, caixas de som...).

Certas placas-mãe, geralmente no formato-ATX, embarcam um chip gráfico integrado, os 3 fabricantes possíveis atualmente são Intel, AMD e nVidia. Seus desempenhos gráficos são bastante limitados, mas elas são convenientes para uma utilização de escritório ou multimídia. Aqueles chips com maior desempenho atualmente são os GeForce 9300/9400 em placa mãe Intel, e HD 4200 (chipset 785G) em placa mãe AMD:

Estes dois chips gráficos integrados permitem mesmo de jogar, um pouco, mas seus desempenhos são mais ou menos 2 vezes menor do que aqueles da HD 4670. Sempre em evolução, as qualidades e formatos das placas memória nem sempre são aceitos pelas cartas mães: DDR2, DDR3, ou DDR2/DDR3. Geralmente, estas indicações de compatibilidade estão presentes nos descritivos das placas. Basta saber qual o gênero de máquinas você deseja criar e para qual uso.

Conclusões

Estas características sendo precisadas, você deveria estar pronto para escolher sua placa mãe em função do CPU e do tipo de utilização que você deseja para o seu PC. Os fabricantes são pouco numerosos, a fabricação das placas-mãe se resume em 3 construtores: Asus, Gigabytes e MSI, mas existe alguns outsiders, como Foxconn.

A maior parte das placas atuais funcionam com a DDR2, pois a DDR3 custa ainda mais cara para um ganho fraco, mas seus sockets são em fim de percurso e a DDR3 vai acabar por ter vantagens, pois ela consome menos e sua banda passante e mais elevada. As soluções Intel i5/i7 ou AMD Phenom II deveriam se equipar de DDR3, é obrigatório para as placas mães sockets 1156/1366 e socket AM3.

Para os testes de DDR3, você pode ler: Característica e performance da RAM. A DDR2 é ainda possível, apesar de sua adsl.

Seleção de equipamentos

As placas-mãe recomendadas estão são listadas na:CPU unidade Central de um computador

Veja também

Artigo original publicado por . Tradução feita por ninha25. Última modificação: 21 de junho de 2016 às 12:49 por ninha25.
Este documento, intitulado 'Como escolher uma placa-mãe para o seu PC', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM (br.ccm.net) ao utilizar este artigo.