Utilizar o Xubuntu no live pen drive

Junho 2017

O live pen drive permite que você use um sistema operacional sem precisar instala-lo. A vantagem principal é que não há risco de destruição do seu Windows atual. Você pode utilizá-lo em um PC com um disco rígido em pane ou até mesmo sem disco rígido. Ele também permite contornar certos problemas de compatibilidade de hardware, muito antigo ou muito novo. E, para completar, ele exige poucos recursos, logo, um PC com desempenho médio é o suficiente.


O Xubuntu 16.04 LTS
LTS de suporte estendido
é baseado no núcleo Linux kernel 4.4. Esta dica é baseada em um live pen drive e pode ser utilizada em caso de falha do PC rodando no Windows, e que dados importantes devam ser recuperados, ou simplesmente para testar o Xubuntu, para descobrir o mundo do Open Source do Linux. Por último, ele também serve para uma eventual instalação para substituir o seu atual Windows.

O que é preciso para preparar o Pen drive

Você precisa de um PC que funcione, um pen drive de no mínimo de 2 GB, uma imagem ISO do Xubuntu 32 ou 64 bits, dependendo do seu PC, o qual pode ser encontrado aqui para a ISO 64 bits e aqui para a ISO 32 bits. Você também vai precisar do software LiLi USB Creator, versão portátil, para não ter que instalá-lo no PC.

Preparação do Pen drive

Para começar, vamos criar o nosso pen drive para torná-lo Bootável (para que um PC possa inicializar com ele). Para fazê-lo, vamos conectar o pen drive ao PC e, quando ele for detectado, vamos salvar o seu conteúdo no PC ou em um disco rígido externo, pois ele será formatado. Em seguida, vamos extrair o arquivo do LiLi USB Creator que obtivemos aqui. Vamos abrir a pasta descompactada e clicar com o botão direito em Executar como Administrador no arquivo
LiLi USB Creator.exe
. Feito isso, o pequeno software será iniciado e se parecerá com isso:


A seguir, vamos prepara-lo e, se tiver dificuldade, veja este tutorial.

Vamos escolher o nosso pen drive na lista suspensa e importar o Xubuntu 16.04 LTS. O software vai ajustar as configurações apropriadas através do Xubuntu 15.04, que é sensivelmente o mesmo, e não atrapalha o funcionamento.

Existe a opção Persistência, que permite manter o Xubuntu tal como ele era quando nós o deixamos, o que significa que da próxima vez que o utilizarmos, vamos encontrar o nosso Xubuntu com os nossos softwares instalados, como o papel de parede, por exemplo. Devemos definir este valor na Persistência de acordo com o tamanho do pen drive. Podemos optar por não colocar nenhum valor, para utilizar 100% do live, e, assim, não haverá nenhum backup das configurações, etc.

Para as opções, nenhuma caixa será marcada. Em seguida, vamos clicar sobre o pequeno ícone do Raio amarelo para lançar a preparação do pen drive. A etapa de preparação do arquivo Persistência pode levar algum tempo. Aguarde. E, se optarmos por não criar o arquivo Persistência, poderemos pular esta etapa. Entre 5 a 10 minutos se passarão até que o pen drive fique pronto. Vamos esperar e ver se funciona. Paciência!

Desativar a inicialização rápida no Windows 8, 8.1 e 10

Para desativar a inicialização rápida do Windows, clique com o botão direito no logotipo do Windows, no canto inferior esquerdo, e selecione Painel de controle > Sistema e Segurança > Mudar o comportamento dos botões de energia > Opção de energia. Em seguida, clique em Alterar configurações não disponíveis atualmente e desmarque a opção Habilitar a inicialização rápida (recomendado) e clique em Salvar alterações. Agora, é possível iniciar um pen drive ou um DVD.

Iniciar o PC com o pen drive

Se o PC utilizado roda em uma versão do Windows anterior ao 8, não desative a inicialização rápida. Vamos usar uma tecla específica de cada fabricante para iniciar um pen drive, ou seja, olhar no manual do PC e/ou no site do fabricante para os computadores de marca. Em geral, estas teclas são a F12, ESC ou F10. A apresentação do Menu de Inicialização (Boot Menu – a janela que nos permitirá escolher em qual suporte Iniciar) varia muito de um PC para outro, devido à marca e ao modelo da placa-mãe. Em algumas placas-mãe, o início de um sistema operacional que não seja o Windows 8 e/ou 10 é totalmente impossível. Assim, uma mensagem como desse tipo, poderá aparecer:


Para isso, basta desligar o PC pelo botão ON/OFF. Reinicie e vá no BIOS, pressionando várias vezes a tecla F2 ou ESC, dependendo da marca da placa-mãe e desative o Secure Boot (Arranque seguro), coloque-o em Disable (Desativado), que se encontra na aba Security (Segurança). Depois de usar o Xubuntu, lembre-se de colocar o Secure Boot em Enable (Ativado), caso contrário, o Windows pode não se reiniciar.

Veja aqui, dois exemplos de menu de inicialização BIOS e UEFI. Vamos escolher o UEFI seguido do nome do seu pen drive, usando as setas para cima e para baixo do teclado e confirmaremos com a tecla Enter, para lançar o arranque no pen drive:



Depois de selecionado e confirmado, o pen drive inicializará e esta tela deverá aparecer:


O arranque do menu do Linux (chamado de Grub) será feito em modo EFI. Vamos escolher a opção Try Xubuntu Without installing (tentar o Xubuntu sem instalação), o que permitirá utilizar o Xubuntu em live, sem que o disco rígido com o Windows seja solicitado e, consequentemente, sem correr nenhum risco. O live vai utilizar a RAM (Memória viva) do PC.

Se o PC for antigo (do Windows 95 até o Vista e certos Windows 7) vamos encontrar este arranque do Menu Linux:


Basta clicar em Tentar o Xubuntu e escolher o idioma Português. Feito isso, esta tela aparecerá:


Depois do arranque, nos encontraremos no Desktop do Xubuntu; o enquadrado vermelho representa os discos rígidos, ou seja, as partições do PC:


Todo o cuidado é pouco ao manusear todas as pastas, pois os arquivos do Windows necessários ao bom funcionamento do PC se encontram dentro delas. Ao explorar os discos rígidos, veremos arquivos que nunca vimos no Windows, pois eles são protegidos para evitar qualquer manipulação errada, então, muito cuidado, Não exclua nenhum arquivo ou pasta que lhe pareça inútil ou desconhecido !.

A pasta Home, presente no Desktop, representa o nosso explorador de arquivos, onde serão armazenados os dados que você salvar pelo Xubuntu e, não, os seus dados do Windows. Os dados do Windows se encontram no disco Local C: e na pasta Users (Usuários), em seguida, basta navegar pelas pastas de Fotos, Vídeos, Download e Música.

A pasta File System (Arquivo do Sistema) é o seu Live USB Xubuntu. E o atalho install Xubuntu 16.04 LTS é criado automaticamente no arranque do pen drive, e permite que instalemos o Xubuntu no PC, substituindo o Windows, ou fazendo um dual boot (Windows + Xubuntu). E, para concluir, quando conectamos um dispositivo, pen drive, disco rígido ou telefone, ele aparecerá automaticamente no Desktop.

Agora, vamos ver o Painel de Controle do Xubuntu. Com um clique na parte superior esquerda, em Pegada de pata, um pequeno menu se abrirá:


A interface é completamente em inglês e o teclado é qwerty, o que pode provocar alguns problemas, caso não estejamos acostumados com este teclado, mas existe uma solução. No menu do Painel de Controle (foto em anexo), clique em Terminal Emulador. Na janela aberta, digite setxkbmap fr e confirme com a tecla Enter. O teclado ficará em, azerty. Por outro lado, se o usuário morar nas Américas, por exemplo, ele não precisara mudar de teclado, pois lá, usa-se o qwerty.

Devemos lembrar que, ao utilizar uma conexão com fio, por cabo Ethernet, a conexão é feita automaticamente, e o acesso ao Firefox é imediato. Porém, ao usar o Wi-Fi, é necessário (como no Windows) digitar a senha. Se a senha for muito longa, podemos perder a conexão. Assim sendo, a técnica é simples, digite a senha no Windows, no bloco de notas, salve-a, e transfira-a para o pen drive ou para o cartão de memória. Ao entrar no Xubuntu, basta conectar o pen drive e clicar duas vezes sobre ele quando o seu ícone aparecer no Desktop, mais um clique duplo no arquivo de texto, para que ele se abra através do bloco de notas do Xubuntu. Selecione a sua senha, clique com o botão direito e selecione a opção Copiar. Em seguida, clique no ícone do Wi-Fi no canto superior direito (ao lado do ícone em forma de alto-falante). Uma janela se abrirá, um clique com o botão direito no campo em branco (usado para informar a nossa senha do Wi-Fi) e selecione Colar. Em seguida, clique em Conectar. Se tudo foi feito corretamente, a conexão à internet se efetuará em alguns segundos.

Veja o Painel de Controle por seção, basta digitar Setting (Configurações) na barra de pesquisa, clicando no logotipo Pegada de pata na parte superior esquerda:


Através da mesma tela, acima, podemos ver como desativar o Xubuntu. Vemos o ícone Ligar/Desligar com a frase Log Out:


Basta clicar nela para que esta tela apareça:


Em seguida, clique em Shut Down (Estender). Para a navegação na internet clique na Pegada de pata e digite na barra de pesquisa do Firefox. Clique nela, para que o navegador se abra:


Também é possível clicar com o botão direito no Firefox e clicar em Add to Desktop (adicionar ao desktop):


Esse dica funciona com todos os atalhos presentes no Painel de Controle e, a opção Add to Panel (Adicionar no Painel de Controle), permite adicionar o atalho à barra de tarefas, na parte superior da tela.

Com um clique direito na barra de tarefas, também podemos move-lo, mudar o tamanho dos ícones e a cor, vamos ter que mexer um pouco para descobrir as novas funcionalidades e, se não soubermos para quê serve tal ou tal opção, procuramos por tutoriais que possam nos ajudar no Firefox.

Recuperar dados em caso de falha

Nesta última parte, vamos falar sobre a eventual recuperação de dados em caso de falha do Windows, caso você precise seguir este passo a passo. No Desktop, clique duas vezes no Disco rígido local C:. Ele se abrirá assim:


Todos os nossos arquivos estão presentes nesta janela, vamos ver arquivos e pastas que nunca tínhamos visto no Windows (incluindoConfig.msi, bootmgr, bootnxt, swapfile.sys, Recovery, Recycle $bin, System Volume Information). NÃO OS EXCLUA DE JEITO NENHUM! Em seguida, à esquerda, clique duas vezes na pasta USERS (Usuários). Ela se abrirá assim:


Então, vamos encontrar a pasta com o nosso nome e outras pastas de arquivos, às vezes, nunca vistas no Windows. Também não remova nenhuma! Clique duas vezes na nossa pasta, com o nosso nome (Jeremy, no meu caso) e a pasta vai se abrir assim:


Veremos muitos arquivos, pastas com um linguajar super estranho, Na imagem abaixo, podemos ver que as pastas Imagens, Músicas, Vídeos, Downloads e Documentos não existem. Isso se deve ao fato delas terem sido movidas para o segundo disco rígido. Porém, se você só tiver um disco rígido, as suas pastas aparecerão. Se você tiver dois discos rígidos, clique duas vezes no segundo disco rígido presente no Desktop (geralmente chamado de “D:”), ele se abrirá e, dependendo da configuração, se parecerá com isso:


Resta agora, percorrer cada pasta duplicada clicando em cada uma delas e verificar os nossos preciosos dados, que pensávamos tê-los perdido para sempre.

Ao conectar um disco rígido externo para a recuperação, ele aparecerá no desktop. Como anteriormente, clique duas vezes nele para começar as transferências, selecionando os nossos arquivos no disco rígido do PC e, com um clique direito, selecione CUT (Cortar). Vá no disco rígido externo, clique com o botão direito e escolha a opção PASTE (Transferir). E repita esta operação até que tudo esteja armazenado no disco rígido externo. Ao terminar a transferência no explorador de arquivos, clique com o botão direito no disco rígido externo (marcado em vermelho) e escolha <bold>EJECT<bold> (Ejetar):


Assim, o disco rígido externo, ou outro suporte móvel, poderá ser removido do PC de forma segura.

Veja também

Artigo original publicado por . Tradução feita por ninha25. Última modificação: 7 de junho de 2016 às 05:28 por ninha25.
Este documento, intitulado 'Utilizar o Xubuntu no live pen drive', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM (br.ccm.net) ao utilizar este artigo.