Mitos - O formato MP3 é pago

Janeiro 2017



Image by Grace - under CC license - flickr.com/photos/grace_land/

Mito:


O formato MP3 é pago.

Realidade:


Não é completamente falso...

Explicações:

Para resumir rapidamente :


Para os usuários de softwares que lêem e escrevem arquivos MP3 : nenhuma restrição, nada a pagar.

Para os criadores de softwares capazes de codificar em formato MP3 : É necessário pagar uma licença à Fraunhofer s seu software não for opensource.

Explicações detalhadas


O formato MP3 (para ser preciso : MPEG-1, Audio Player 3) foi criado pela sociedade Thomson e o instituto Fraunhofer. Eles possuem o brevê deste formato.

Desde a sua criação, a produção e a leitura dos arquivos MP3 foram sempre gratuitos e sem impedimentos.

No entanto, em 1998, o Instituto Fraunhofer decidiu exercer seus direitos e exigiu que todos os programadores de softwares com código MP3 pagam uma licença

Esta exigência inesperada, depois tantos anos de liberdade de utilização, motivou a criação de formatos alternativos como o OGG Vorbis (libre) e WindowsMedia (Microsoft).

Assim, no final das contas, o instituto Fraunhofer decidiu não coletar royalties sobre os códigos opensource a fim de deixá-los se desenvolver.

Os usuários do formato MP3 e dos softwares de codificação jamais foram o alvo desta decisão : Somente os criadores de softwares de codificação foram visados.

A criação de softwares de código MP3 não opensource fica submetida à uma licença paga.

A criação e a leitura do arquivo MP3 pelos usuários destes softwares (opensource ou não) sempre foi livre e gratuita.


Parece que Fraunhofer tentou igualmente coletar royalties dos artistas que desejavam distribuir suas obras em MP3, sem grande sucesso.

O instituto Fraunhofer trabalhou igualmente sobre o formato MP3 Pro que é igualmente brevetado e sob licença. O formato OGG Vorbis substitui com vantagens os formatos MP3 e MP3 Pro em termos de qualidade e de riscos legais.

O brevê do formato MP3 expira este ano, 2010, mas sua utilização continua com riscos pois Thomson e Fraunhofer foram também atacados pela justiça em relação ao formato MP3. os riscos legais não podem ser, desta forma, descartados pelos desenvolvedores de códigos MP3, mesmo se você pagar uma licença à Thomson/Fraunhofer.

O fato que o formato MP3 seja uma norma ISSO não faz dele um formato livre de utilização (mesmo se para o usuário final isto não representa muita diferença).


Veja também

Artigo original publicado por . Tradução feita por ninha25. Última modificação: 21 de junho de 2010 às 03:17 por ninha25.
Este documento, intitulado 'Mitos - O formato MP3 é pago', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM (br.ccm.net) ao utilizar este artigo.