Plataformas Intel 775 Core2Duo

Dezembro 2016


Esta dica explica como fazer um overclocking no seu Core2Duo.

A chegada de novos microprocessadores Intel, desde 2006, tem perturbado, um pouco, a coisa, neste meio, super fechado.

A especificação da Intel era clara: retomar o seu lugar no mercado de alta qualidade (invadido pela AMD com a arquitetura K8).
Aliás, os engenheiros não esqueceram os "geeks", quer dizer, os hackers insalubres, que fazem overclockings.

Na verdade, desde os primeiros testes realizados pela imprensa especializada, verificou-se que esta nova arquitetura tinha um grande potencial de overclocking, engenheiros de Redmond, sugeriram até, que a especificação faça referência explícita à necessidade de desenvolver um [/ pc/processeur.php3 CPU] atraindo para esta área, mas daí dizer que o C2D foi concebido por e para os overclockers ...

Resumo

Vamos ao que interessa


Como temos que começar por alguma coisa, falemos sobre o hardware.

Um overclocking bom é, em primeiro lugar, uma boa placa-mãe, depois, é óbvio, vem o microprocessador e, finalmente, a memória.

Preâmbulo


Como a AMD, a Intel utiliza uma freqüência básica, gerada pelo chipset da placa-mãe, chamada de FSB, para a Intel e HTT, para a AMD.

Os primeiros C2D funcionam com um FSB 266 MHz, é esta freqüência inicial, que, multiplicada pelo multiplicador do CPU, obtem uma freqüência final para o CPU. Por exemplo, um E6300, que roda a 1.86 GHz, é o resultado de 266 x 7 ou 7 é o coeficiente do processador (multiplicador interno do CPU, não pode ser aumentado).

Mas você, provavelmente, já ouviu falar, com mais freqüência, do FSB 1066 ou do FSB 1333. Estes são os nomes comerciais dados às freqüências de 266 e 333 MHz dos C2D, porque a tecnologia utilizada pela Intel, hoje, transita quatro vezes mais informações, na mesma freqüência, que na época dos Pentium 3. Este é o famoso barramento "Quad Pumped", que apareceu com os P4 (um pouco parecido com o barramento hiper transporte da AMD).

Para simplificar, este barramento é o resultado de uma multiplicação, por quatro, do FSB básico da placa-mãe.

Por exemplo, o barramento FSB 1333, é 333 x 4.

Você já deve ter percebido que, para aumentar a freqüência do CPU, é preciso aumentar o FSB, mas o problema é, que todas as freqüências são múltiplos desta freqüência básica: Barramento PCI e PCI Express, mas também memória RAM. Nós voltaremos a falar no assunto mais adiante, mas saiba, que quando aumentamos o FSB indiscriminadamente, também aumentamos todos os outros, tornando, rapidamente, o PC muito instável.

Escolha da placa-mãe


Para qualquer overclocking, é melhor comprar uma placa-mãe, tendo em mente, o seu uso futuro.

Eu não vou entrar em detalhes sobre os construtores das placas-mãe mas, os chipsets com melhor desempenho para conseguir fazer um overclocking no C2D são, para Intel:
O P965 e o 975X, o novo P35, muito promissor, ele gerencia o FSB 1333 nativo.

Para o Nvidia: o 680SLI e o 650SLI.

Todos estes chipsets, implementados em ótimas placas, são capazes de atingir, sem problemas, FSB de 380/400 MHz (estou falando de placas-mãe cujos preços ultrapassam 130 €).


Processador


Sendo a freqüência do processador o resultado da operação FSB x coeficiente, para aumentar a velocidade do CPU, é preciso aumentar a freqüência do FSB básico, sendo o coeficiente bloqueado para cima.

Mas o coeficiente desempenha um papel importante na escolha do processador que pretendemos dedicar ao overclocking.

Veja o exemplo:

Imagine que você tenha uma placa-mãe capaz de ter um FSB de 350 MHz estável.

Você a inicializa com um E6300 (coeficiente 7), "overclockado" dessa maneira, obtemos 350 x 7 = 2450 MHz

Você decide mudá-lo e instalar um E6400 (coeficiente 8), este último rodaria com 350 x 8 = 2800 MHz!

Entendeu o truque ?
Para enfrentar uma possível fraqueza da placa-mãe, quanto à sua capacidade de subir em freqüência, temos de escolher um CPU com um coeficiente elevado.
E é aí que a Intel presenteou os "overclockadores": no final de 2006, foram comercializados os "pequenos" E4300 e, logo em seguida, o E4400.
Cadenciados, respectivamente, a 1.8 e 2 GHz, eles funcionam com um FSB200 básico (FSB800 Quad Pumped) e, um coeficiente respectivo de 9 e 10.

Sendo estes processadores disponíveis entre 100 e 150, eles são os melhores para uma plataforma dedicada ao overclocking.

Vejamos, de novo, a demonstração acima, com o E6300 em 2450 MHz.

Em vez disso, instale um E4300, e você obterá 350 x 9 = 3150 MHz!

Se o seu CPU agüenta esta freqüência, você está acima de um Core 2 Extreme X6800!, Somente o cache L2 (2 x 1 MB para o E4300) ainda dará vantagem ao X6800.

Naturalmente, tudo isso é apenas teórico, já que muitas placas-mãe não serão capazes de chegar a 350 MHz do FSB, assim como é possível que o seu processador nunca consiga ultrapassar 2.800 MHz (embora se saiba que, a maioria dos C2D, são capazes de "aguentar" 3 GHz)


Memória


O caso da memória é mais delicado.
Para começar, sem memória de qualidade, não há salvação!
E, sobretudo, isto dependerá do chipset da sua placa-mãe, por um lado, e do BIOS, por outro.

Por exemplo, o excelente P965 reclama uma RAM de alta freqüência, porque, na maioria dos casos, é impossível dessincronizar a RAM; é preciso, então, que ela seja capaz de agüentar o aumento da freqüência.
No Nvidia, os 680 e 650SLI têm mais flexibilidade nesta área, é possível dessincronizar a memória definindo-a com o valor da sua certificação através de uma opção do BIOS ("INLINKED ", por exemplo, nos nforce 650/680)

Assim como o CPU, a freqüência aplicada à memória é o resultado de um cálculo, baseado no FSB do chipset.

É o BIOS que aplica uma proporção, em função do tipo do DDR2 que ele detectou (através do SPD)

Da DDR2-667 (que roda com uma freqüência real de 333 MHz) a proporção aplicada é de 5/4 para um FSB266: 266 x 5/4 = 332

Se você aumentar o FSB para fazer o overclocking do processador, sem outras precauções, você também aumentará a freqüência da RAM.

Mantenhamos o nosso exemplo do FSB a 350.

350 x 5/4 = 437 MHz.
Melhor dizer que a sua memória RAM não agüentará essa freqüência, o PC vai parar, bem antes de atingir esse valor.

Daí a importância de dessincronizar a memória, quer através de uma proporção mais baixa (caso de P965), quer usando a opção apropriada do BIOS (As proporções, em geral, são encontradas nas placas-mãe baseadas no chipset da Intel)

No mesmo exemplo, mas com a DDR2-800 (freqüência real = 400 MHz) e, forçando a proporção no BIOS para a DDR2-667, a freqüência de 437 MHz pode funcionar com a DDR2-800 de boa qualidade.

Com um E6400, você teria um ótimo overclocking.

Resumindo, com um chipset Intel, use, no mínimo, a DDR2 800.

Com um 650/680 NVIDIA, você pode usar a DDR2 667 mas, não menos.

Preparar o overclocking


Entre no BIOS e passe o FSB para ajuste manual.
Bloqueie a freqüência do barramento PCI a 33 MHz.
Bloqueie a freqüência do barramento PCI Express a 100 MHz.
Desative todas as opções do "spred spectrum"
Desative o suporte "C1E"
Desative "vanderpool technology" (VT)
Instale CPU-Z, software indispensável
para seguir a evolução das freqüências do CPU, mas, sobretudo, da
RAM.site

Começar o overclocking


Escolha uma proporção de memória que deixe a freqüência da memória abaixo do seu valor de certificação (se você tiver uma DDR2 800, ajuste-a em DDR2-667)

Aumente, aos poucos, o FSB de base em intervalos de 10 MHz, por exemplo.

Verifique, sistematicamente, a evolução das freqüências através do software CPU-Z, principalmente, a frequência da sua memória RAM; não ultrapasse (ou só um pouco) a freqüência de certificação, use proporções mais baixas para poder continuar, caso seja preciso.

Teste o seu PC com os softwares estressantes para o hardware (Super Pi, OCCT, etc.) para detectar instabilidades.

Quando isso ocorrer, retorne para o valor estável anterior do FSB.

Se o resultado não satisfizer, você deverá proceder de forma diferente, testando os limites de cada um dos elementos-chave do overclocking: o FSB, o CPU e a RAM.

Depois de conhecidos esses respectivos limites, você poderá fazer uma combinação dos resultados.

Para ir ainda mais longe, você deve ajustar, para cima, as tensões de alimentação dos componentes. Aí entramos no overclocking avançado, mas isto talvez seja o tema de outra dica.

Saiba que os C2D são capazes de obter alta freqüência, deixando o Vcore no valor original.

É sabido que é fácil ganhar entre 20 e 40% de freqüência adicional, dependendo do seu C2D, já que a margem de aumento é maior para os CPUs de menor frequência da e coeficiente elevado.
Também é interessante começar a rodar a RAM rapidamente, o ganho em desempenho pode ser significativo.

Bom overclocking !

Veja também

Artigo original publicado por . Tradução feita por pintuda. Última modificação: 14 de julho de 2010 às 13:36 por pintuda.
Este documento, intitulado 'Plataformas Intel 775 Core2Duo', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM (br.ccm.net) ao utilizar este artigo.