Cloud privado nas empresas

Janeiro 2017

. Le point sur les promesses et les enjeux du « nuage privé ».
O lançamento de três ofertas do Cloud privado pelo Amazon, VeePee e EMC marcou as notícias sobre o "Cloud computing", no primeiro semestre de 2010. Este tipo de serviço, destinado a dar às empresas maior controle sobre seus recursos de computação e acesso preferencial às suas aplicações hospedadas, inclui hoje na agenda dos Diretores dos Sistemas de Informação (DSI). Essa tendência é confirmada por vários estudos publicados no início deste ano. Maior modularidade e o cumprimento das regras de governação dos sistemas de informação, contato privilegiado com o prestador de serviços no caso de um Cloud privado "em locação". Este tipo de arquitetura atrai, pela sua flexibilidade e seu caráter evolutivo. "Vamos ver aqui, as promessas e os desafios do «Cloud» privado". </gras>

O Cloud privado, um pé na empresa

O que significa o Cloud privado?


O Cloud privado (interno ou privativo) é definido como o estabelecimento de uma rede informática proprietária ou um centro de dados, fornecendo serviços hospedados por um número limitado de usuários. Concretamente, as aplicações digitalizadas "privadas" ou são administradas, diretamente, pela empresa (que gere as infra-estruturas, sozinha), ou combinadas (um provedor de confiança suporta alguns dos serviços terceirizados). Este modelo é destinado a trazer os benefícios do Cloud computing "público" (ex: menor custo ligado à digitalização dos aplicativos, no caso de uma infra-estrutura compartilhada), sem os inconvenientes: dando ênfase à segurança dos dados, ao respeito da governança empresarial e à fiabilidade dos serviços prestados. As aplicações e Infra-estruturas hospedadas continuam disponíveis em "self-service", e são evolutivas e flexíveis, devido à ligação entre a empresa e o fornecedor.

Uma solução votada pelos tomadores de decisão da informática


Segundo a pesquisa chamada "Cloud Computing, na França", publicada recentemente por uma empresa especializada, com o apoio da EMS, Intel e VMware, o Cloud privado é, hoje, o modelo preferido dos DSI. Assim, em um grupo de 200 tomadores de decisão, 71% preferem investir em uma solução Cloud do tipo privado, contra 13% a favor de uma infra-estrutura híbrida, e apenas 7% de um Cloud público. Um plebiscito que faz sentido, considerando que os DSI estão por trás dos projetos do Cloud computing nas empresas (67%), à frente de sua direção, neste tipo de decisão (18%).

Por outro lado, o calendário de execução deste tipo de infra-estrutura está sujeito a vários fatores externos (ex: concessão de empréstimos): há uma lacuna entre a vontade expressa pelos DSI e a implementação real das soluções Cloud (incluindo o Cloud privado) na empresa.

As aplicações e infra-estruturas interessadas


Por hora, os projetos de Cloud computing na empresa envolvem, apenas, uma parcela minoritária dos softwares profissionais (ERP/CRM) e as soluções do "Business Intelligence". Eles se concentram em mensagens corporativas (de 54%), aplicações de financiamento/contabilidade, recursos humanos, armazenamento, ferramentas de colaboração e, finalmente, bases de dados e servidores.

Três vantagens específicas do modelo privado


Em termos operacionais, uma das principais vantagens do Cloud privado, citado pelo estudo realizado pela Syntec, prestador de conselhos e serviços de informação ("o livro branco do Cloud Computing"), reside na capacidade de abertura deste tipo de infra-estrutura: ele se torna, então, "comunitário", a empresa pode abrir suas aplicações para parceiros de negócios, tais como fornecedores, consultores e prestadores de serviços.

Entre outras vantagens do modelo privado: maior respeito das regras de governança empresarial, especialmente no tocante à política de privacidade; uma característica destacada na conferência "AlwaysOn OnDemand", realizada, recentemente, em Palo Alto, na Califórnia. Para John Weinschenk, diretor da Cenzic, editor de soluções de segurança dos serviços hospedados, o futuro das ofertas SaaS para as empresas se encontra no "Cloud privado e semi-privado, que são sistemas fechados, em que as configurações de segurança e as garantias de serviço são conhecidas".

A decorrência desta vantagem é que lugar do alojamento dos dados e aplicações da empresa é, necessariamente, do conhecimento da empresa (próximo): uma característica que evita problemas jurídicos, que surgem quando os servidores do provedor se encontram em outros países (que direitos se aplicam, em caso de problema)

Podemos adicionar mais três características às vantagens do Cloud privado: redução do tempo de implantação, flexibilidade (criação de módulos ad hoc), demanda do consumidor e melhor controle dos custos (mesmo se o investimento inicial é mais importante para a empresa, no caso do Cloud privado), economia de energia.

O problema da reversibilidade

Apesar de tudo, restam ainda algumas incógnitas relativas à terceirização de dados, que são destacadas pelo estudo da Syntec; além dos problemas, freqüentemente, mencionados (segurança, disponibilidade), uma das perguntas diz respeito à reversibilidade: este problema surge quando os prestadores de serviço implementam normas, padrões e ferramentas pouco conhecidos, que podem tornar as empresas "cativas" da tecnologia utilizada. Um problema de transparência com que as empresas devem ter um cuidado especial.

Novas ofertas do Cloud privado


O primeiro trimestre de 2010 foi marcado pela chegada de três novas ofertas:

O VeePee e o Cloud Computing Privado Terceirizado

Esta oferta atende às necessidades dos planos de recuperação de atividade empresarial: VeePee põe a disposição dois "Datacenters", que permitem aos seus clientes compartilhar os seus custos de infra-estrutura, através de um espaço reservado ao armazenamento de dados, e disponíveis em duas formas: alta disponibilidade (HD) e de altíssima disponibilidade (THD).

O Amazon e o Cloud digital privado

A oferta VPC (Virtual Private Cloud) permite que as grandes empresas conectem os seus datacenters aos recursos de Cloud computing do Amazon, através de uma conexão VPN (rede privada virtual). Eles podem mover suas aplicações (e-mail, ferramentas financeiras, aplicações CRM) no Cloud da Amazon, sem perder o controle de seus dados.

O EMC e o Vplex

Esta solução de digitalização da EMC permite que uma empresa tenha uma visão unificada do seu armazenamento, em um ou mais datacenters, separados por uma distância máxima de 100 km. Ela pode, assim, unir os seus recursos de armazenamento, geograficamente, remotos em um único espaço virtual.

Para saber mais


Cloud privado: A solução ideal para suas aplicações internas
Cloud Computing - A nova geração de hosting
Como acelerar a jornada para o Cloud privado
Outsystems focados nos Clouds privados

Veja também

Artigo original publicado por . Tradução feita por pintuda. Última modificação: 5 de agosto de 2010 às 21:34 por pintuda.
Este documento, intitulado 'Cloud privado nas empresas', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM (br.ccm.net) ao utilizar este artigo.