Tablets táteis para profissionais: idade da razão?

Dezembro 2016

Popularizado pelo iPad, o tablet tátil, tem futuro no mundo dos negócios? Se julgarmos pelo próximo lançamento de cerca de uma dúzia de tablets para usos produtivos, a adoção desta ferramenta está no bom caminho. Mas, além do impacto do anúncio, este suporte tem, realmente, as características necessárias para atender às necessidades de profissionais móveis? Algumas respostas com a sondagem e as previsões do Instituto Gartner sobre a adoção de interfaces táteis (ou de toque) na empresa, e uma visão geral das ofertas de tablets táteis, serão lançadas antes do final do ano.


O tablet tátil (touch pad) tem seu lugar no ecossistema das empresas?

Reservas sobre os ganhos de produtividade associados à tecnologia de toque


Em um estudo publicado em 7 de abril de 2010, o instituto Gartner prevê um futuro brilhante para os PCs equipados com interfaces táteis, até 2015. De acordo com o Gartner, um, entre dois PCs vendidos, deverá estar equipado com esta tecnologia, dopada pelas aplicações multimídia (ebooks, filmes, jogos)... O voto seria ainda, contra a tendência atual, no mercado de trabalho: o instituto estima que, apenas 10% dos computadores enviados às empresas, estarão equipados com uma interface tátil, em 2015. Porque essa diferença entre público e profissionais? Tudo é uma questão de hábito e de cultura, conforme o instituto Gartner que diz, que "os ganhos de produtividade prometidos pela diversificação dos terminais táteis levarão tempo para convencer os profissionais".

O "casal" teclado-mouse: um freio cultural para a adoção do tátil?


Gartner, também constatou em seu estudo, que um dos principais obstáculos para a adoção dos terminais táteis e, conseqüentemente, os tablets, se situa nos hábitos de trabalho adquiridos do uso do "casal" teclado-mouse. Como os trabalhos comuns requerem a integração de grandes volumes de dados, pelo usuário, o ambiente teclado-mouse, mais eficiente, deverá bloquear, provisoriamente, o caminho para a adoção de interfaces táteis. Enquanto isso, o Gartner mostra que os funcionários estão querendo esta mudança, introduzindo, pouco a pouco, o seu próprio equipamento tátil na esfera profissional, assim como acontece com o iPhone, que reúne utilizações profissionais e pessoais.

Lenovo não acredita nos tablets 100% táteis para profissionais


No início deste ano, o fabricante chinês Lenovo, que se destacou no desenvolvimento dos tablets híbridos (veja abaixo), antecipou, um pouco, os resultados do estudo do Gartner dizendo não acreditar no futuro dos Tablet PC no mundo dos negócios. Ao analisar os feedbacks destas empresas, a Lenovo constatou que o que as empresas querem, absolutamente, é ter um teclado "real". Os fabricantes parciais, especializados em equipamentos de ponta para profissionais, indicam que os conceitos híbridos, misturando portabilidade, funções táteis e teclado se adaptam melhor ao ambiente empresarial e respondem atendem melhor às expectativas dos usuários.

Os "usos" do tátil: análise estatística, restauração, venda a varejo


O uso específico de recursos táteis não é novidade em alguns setores profissionais, como destaca o Instituto Gartner, em sua pesquisa. E ele deverá se abrir, gradualmente, a novas categorias. Como os profissionais da análise estatística, que podem explorar mais facilmente os resultados gráficos através de aplicações táteis (mas estas ainda são raras). Outras profissões, que deveriam adotar, a médio prazo, as funcionalidades oferecidas pelos tablets táteis: as da restauração, da venda a varejo e dos serviços de saúde.

Tablet tátil, terminal de eventualidade... concorrente do netbook?


É difícil não fazer uma analogia entre o entusiasmo gerado pelo netbook e aquele que suscita, hoje, o tablet tátil... Este último terá o mesmo destino? Segundo a empresa de pesquisa Techaisle, depois do ano de 2009 e previsões de vendas bastante satisfatórias do netbook, este deveria conhecer um declínio a partir do próximo ano, depois de ter tirado o máximo de proveito do seu modelo "light and low-cost", um pouco ultrapassado hoje em dia. Segundo a Techaisle, o netbook é usado como um terminal secundário na empresa: "A maioria das estações já estavam equipadas com plataformas mais eficazes e produtivas. O Netbook apareceu no mundo dos negócios como uma oportunidade de equipar os trabalhadores móveis, a baixo custo, com objetivos de produtividade".
Além dos limites relativos à adoção de suas características táteis, os tablets deverão ganhar o seu lugar na oferta de terminais intermediários pletóricos, dos quais o netbook faz parte.

Android, iOS, Windows : E o Sistema Operacional?


Se existe um critério de seleção, o sistema operacional do tablet, determina o seu grau de integração, no ambiente de trabalho da empresa. E sobre este ponto, o ano de 2010 ainda se destaca: iOS, com iPad e Android, que já equiparam os tablets de vários fabricantes, tem traçado o seu caminho. Na expectativa da Micorosft, que pretende lançar vários tablets para o Windows 7, nos próximos meses (veja abaixo). Além destes três gigantes, existem atores secundários como o Palm, com o seu webOS.

Tablets táteis profissionais: panorama das ofertas do segundo semestre de 2010

Os tablets táteis para o Windows 7 estão chegando


Para os profissionais que trabalham com o Windows, a chegada dos tablets táteis no W7, prometido pelo presidente da Microsfot, para o fim do ano, é, com certeza, um evento esperado. O editor fez uma parceria com mais de vinte fabricantes para atender às necessidades dos "MS Office-dependentes" interessados pela aquisição dos tablets digitais. Recentemente, Steve Balmer deu, aos profissionais, razões para aguardar mais um pouco: "Haverá muitos designs diferentes, tablets com ou sem um teclado, uma diversidade de preços e tamanhos, mas todos funcionarão no Windows 7, com seus aplicativos e o Office". A HP, assim, confirmou o lançamento do HP Slate 500, um projeto, de tablet tátil para profissionais, que tinha sido abandonado, até agora.

Porém, muitos fabricantes não esperaram por estas parcerias e, muito céticos quanto ao sucesso dos tablets táteis no Windows, se voltaram para o Android OS do Google, convencidos por suas opções de personalização e sua loja de Apps on-line, construída sobre um modelo similar ao do App Store.

Onda de tablets táteis no Android


Os tablets táteis, que incorporam diversas versões do Android vão, certamente, marcar as vendas de hardware, deste fim de ano. Evolutivo e polivalente, o iOS do iPad, o sistema operacional do Google foi escolhido por diversos grandes fabricantes, principalmente para atingir o mercado profissional. Alguns modelos, que acabam de ser lançados, ou que estão por vir:

Dell Streak: este modelo híbrido, entre smartphone e tablet digital, que acaba de ser lançado pela Dell, difere marcadamente do tablet tátil da Apple, com a simplicidade do suporte multitarefa (veja este artigo).

LePad Lenovo: Depois de lançar o seu tablet híbrido ThinkPad x201 Tablet, o fabricante chinês acaba de anunciar a saída, antes do final do ano, de um novo modelo híbrido, provisoriamente chamado de LePad, que também deverá propor um teclado real, mais de acordo com a prática profissional, segundo a Lenovo.

Smartpad Toshiba: previsto para outubro de 2010, a saída deste tablet designado como um IPad assassino deverá responder aos hábitos multimídias.

Samsung Galaxy Tab : Este tablet digital completo, com conectividade avançada (suporta Wi-Fi, Bluetooth, 3G/3G+) será apresentado na Feira IFA, em Berlim, de 03 a 08 de setembro de 2010.

O BlackPad RIM: nada está confirmado ainda, mas o tablet tátil da RIM, fabricante do BlackBerry, prometido para o final do ano, deverá abranger o Android. Uma escolha que, em todos os casos, destaca o lado "profissional" do sistema operacional do Google.

Leia também


Resumo da pesquisa do Instituto Gartner "If Touch Works Everywhere Else, Why Not on Pcs ? (em inglês)"
iPad: mais rumores sobre o tablet da Apple
Um iPad no mundo dos negócios, pra que?

Veja também

Artigo original publicado por . Tradução feita por pintuda. Última modificação: 14 de agosto de 2010 às 17:31 por pintuda.
Este documento, intitulado 'Tablets táteis para profissionais: idade da razão?', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM (br.ccm.net) ao utilizar este artigo.