Incidência da tela na escolha da sua placa gráfica

Janeiro 2017



Quando montamos um PC, é importante ter elementos de potência equivalente para ter um PC homogêneo. No caso da placa gráfica, é preciso ter um processador que tenha desempenho suficiente para não freá-la (fenômeno da CPU limited), mas o que esquecemos, muitas vezes, é a tela. Na verdade, é inútil ter uma placa gráfica super moderna, caríssima, para rodar no meu velho PC, 15", catódico, que não posso mover sozinho.

Que características de tela devo observar?


As telas não são idênticas e, levando em conta a diferença de preços, isso é muito bom.

Assim, nós vamos ver quais são os parâmetros de tela que influenciarão na qualidade da imagem final e na escolha da placa gráfica. Isso sem falar nas diversas tecnologias, conectores, ou tempo de resposta,...

Inicialmente, a freqüência


Naturalmente, o que todos querem, acima de tudo, é uma imagem que não pule e que seja fluida. Para isso, foi inventado algo fantástico: a exibição de várias imagens, por segundo. Conclui-se, rapidamente que, quanto maior o número de imagens, por segundo, mais a imagem será fluida. E entramos na corrida aos FPS (Frame Per Second = Imagem Por Segundo), alguns jogadores se vangloriam por ter mais de 100 FPS.
Mas a tela é limitada. A tela tem uma "freqüência". Esta freqüência é o número de imagens, por segundo, que ela pode exibir. Vê-se logo que, gerar 100 FPS com o seu PC, para enviar tudo em uma tela de 60hz, significa uma perda de 40 FPS.
A maioria das telas é de 60hz. Existem modelos de 100hz (talvez até mais), com uma imagem ainda mais fluida, ou que exibem imagens em 3D (duas imagens se alternam e, com óculos especiais, cada olho vê uma imagem diferente)

Depois, a resolução


Uma imagem é composta de pixels. Se você aumenta o zoom em uma foto, você verá pequenos quadrados coloridos. Cada quadradinho é um pixel. O tamanho de uma imagem digital é, portanto, medido em pixels (largura x altura). Quanto mais pixels, mais a imagem é precisa. Se você não estiver convencido, tente desenhar uma imagem de 2x2 pixels. Aliás, a notação "2x2" ou "800x600" se chama Resolução e não existe sozinha, em geral, falamos de pixels.

Recapitulando


Portanto, para ter uma boa imagem, você precisa de uma alta resolução (muitos pixels) e uma alta freqüência. Só por curiosidade, um filme tem 24 imagens por segundo, por isso é melhor evitar menos de 30 FPS ao jogarmos, para manter essa fluidez.
Atenção, cálculo rápido: Se multiplicarmos o número de pixels por imagem, pelo número de imagens por segundo, obteremos o número de pixels por segundo, que a tela deverá exibir.
E quem manda todos esses pixels por segundo? É a placa gráfica, é claro!

Desempenhos variáveis para a placa gráfica


Vimos que a unidade de saída da placa gráfica são os pixels por segundo. Mas uma placa gráfica não tem um número constante. Por quê? Porque é uma máquina? . Mas não lhe pedimos sempre o mesmo trabalho:

Resolução de texturas


Uma placa gráfica não se contenta, apenas, em exibir uma imagem, ele calcula. A imagem final é composta de pedaços de imagens, que já existem no computador: as texturas. Por exemplo, para exibir uma parede de tijolos, já existe um pedaço de imagem representado os tijolos. E esta imagem é colada na parede. A placa, então, vai calcular para modificar a imagem original (textura), para dar um efeito de profundidade, adicionar sombras, etc...

Logo, quanto maior a resolução (ainda a resolução?) da textura inicial, mais cálculos a placa gráfica terá que fazer e, menos pixels por segundo ela poderá gerar.

Complexidade da imagem


Além disso, conforme a imagem que ela vai gerar há, mais ou menos, cálculos a serem efetuados. Em geometria, é mais fácil desenhar um cubo do que uma bola de futebol (com seus hexágonos). Assim, uma imagem 3D de uma peça branca simples será mais fácil de ser criada, do que um cenário de uma ilha paradisíaca com água, pessoas, carros... É por isso que alguns jogos podem "ficar mais lentos", em algumas cenas carregadas.

Acelerações materiais


Dependendo da configuração, a placa pode adicionar sombras, efeitos de iluminação, efeitos flou, reflexos... Ela também pode filtrar a imagem para evitar defasagens verticais, horizontais, ou "alisar" as cores, para não ver os pixels.

Cada geração de placas tem seu próprio conjunto de filtros e efeitos e, dependendo da ativação, ou não, deles, ela poderá gerar um número diferente de pixels, por segundo.

Recapitulando


Se retomarmos na ordem, o número de pixels, por segundos, criados pela placa gráfica depende:
- Das texturas na entrada da placa
- Da complexidade da imagem solicitada
- Das filtragens e efeitos aplicados à imagem final.

Relação entre a tela e a placa gráfica


Antes de ver o que acontece quando a placa gráfica é desproporcional em relação à tela, sublinhemos um ponto importante:

Mito do tamanho da tela


Como acabamos de ver, a unidade comum entre a saída da placa gráfica e a entrada da tela, são os pixels por segundo. Não tem nada a ver com as polegadas, centímetros, ou diagonal da tela. Por quê? Por que o tamanho da tela não tem nada a ver com a qualidade da exibição da mesma. Existem telas de 22" que exibem resoluções máximas de 1920x1080px, uma freqüência de 100Hz, enquanto que telas de 107cm exibem resoluções de 720x1280px, para uma freqüência de 60Hz.

Lado prático


E agora, o que acontece quando um componente tem se centrado muito em relação aos outros:

Placa gráfica limitada


Se tivermos um número de FPS baixos demais para que a imagem seja fluida, então, talvez seja possível investir em uma placa gráfica mais poderosa, em detrimento da tela. No entanto, é possível diminuir a qualidade da imagem de saída para aumentar o número de FPS.
Como?
  • Diminuindo o número de acelerações do hardware ou a qualidade das texturas de entrada. Se a placa fizer menos de cálculo, ela poderá gerar mais pixels por segundo.
  • Reduzindo o número de pixels por imagem. Para isso, basta baixar a resolução de saída na configuração do jogo. Menos pixels por imagem, para o mesmo número de pixels por segundo, darão mais imagens por segundo (deu para entender?)


Hoje, muitas telas podem exibir alta resolução com uma freqüência de 60Hz, e poucas placas gráficas utilizam "totalmente" uma tela. Então, é melhor privilegiar a placa gráfica do que a tela. Uma tela de 100Hz ou Full HD (1920x1080), só será útil, com uma placa gráfica de alta qualidade.

Placa gráfica "muito" poderosa


Acho que deu para entender que, se a placa gráfica debita mais pixels, por segundo, que a tela pode suportar, eles serão perdidos, e teremos investido em uma placa gráfica poderosa demais, em vez de comprar uma tela melhor. É por isso, ao comprar uma placa de alta qualidade, você deve comprar uma tela compatível.

Veja também

Artigo original publicado por . Tradução feita por pintuda. Última modificação: 31 de agosto de 2010 às 17:31 por pintuda.
Este documento, intitulado 'Incidência da tela na escolha da sua placa gráfica', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM (br.ccm.net) ao utilizar este artigo.