HTML5: o que mudou

Setembro 2017

Você provavelmente já ouviu falar da chegada progressiva da HTML5 como linguagem de desenvolvimento. É que esta nova versão da linguagem oferece maiores possibilidades para os comerciantes e abre caminho para aplicativos mais acessíveis disponíveis a partir de uma navegação móvel. HTML5 é ainda apresentada como uma sucessora ou um sério concorrente do formato Flash. Mais fechada e dentro dos padrões W3C (World Wide Web Consortium), HTML5 poderá se tornar a coqueluche dos programadores nos próximos anos.



O que é o HTML5

Como o próprio nome sugere, o HTML5 é o sucessor do HTML 4.0.1. Esta nova versão da linguagem de desenvolvimento se mantém na linha da HTML que permitiu a publicação das primeiras páginas da web, mas introduziu uma série de inovações que o tornam um sério concorrente ao formato Flash desenvolvido pela Adobe. As especificações da HTML5, realizadas pelo W3C, ainda não estão finalizadas. Contudo, já é possível notar que navegadores como Opera e Internet Explorer 9 já tratam a HTML5.

Quais as novidades do HTML5

Uma nova organização dos documentos

Basicamente toda a estrutura e organização de códigos serão revistas com o advento do HTML5. Com esta nova versão da linguagem, abandona-se a organização com base nos blocos e linhas. Os programadores passarão a privilegiar um conjunto de grandes categorias com o HTML5. Veja alguns dos elementos presentes:


Metadata content: encontramos nesse grande tema todas as informações sobre meta balizas que são encontrados sempre no cabeçalho de um documento HTML.

Flow content: esta categoria inclui todos os elementos encontrados entre as tags < body > e < /body >.

Sectioning content: esta categoria irá ajudar a definir as diferentes seções visíveis na página (como rodapé, por exemplo).

Heading content: todas as informações encontradas no cabeçalho agora serão armazenadas nesta seção do documento.

Phrasing content: esta categoria inclui todos os elementos necessários para formatar o texto do documento HTML.

Embedded content: permitirá importar um recurso para o documento ou para servir-se de um componente desenvolvido em linguagem diferente daquela da página.

Interactive content: estão incluídos nesta categoria todos os elementos que permitirão a interação entre a página e o usuário.

Avanços em relação à HTML 4.0.1

Além desta nova organização dos documentos, HTML5 introduz, sobretudo, uma nova camada de API. No total, são oito novas APIs que serão apresentadas nesta primeira versão da HTML5, entre as quais:

Uma API de desenho 2D, graças à nova tag canvas;

Uma API para vídeos e sons/músicas, graças às tags vídeo e áudio;

Uma API para aplicações offline;

Uma API de edição, graças ao atributo dos contenteditable;

Uma API de 'arrastar-soltar' em combinação com o atributo rolante;

Uma API que permite acesso ao histórico e que possibilita as páginas de agregar para prevenir os problemas de botão "volta para trás";

Uma API de geolocalização;

Uma API que permite analisar e reproduzir uma página HTML graças à tag inner-HTML.

Esta nova camada de API permitirá aos programadores limitar a utilização de bibliotecas ou de funções javascript. Neste sentido, os API devem permitir aos programadores oferecer um código mais bem organizado e conforme os padrões do W3C.

A chegada da HTML5 alerta também para uma série de atributos cuja presença é ainda aceita nos documentos em HTML4 e dá lugar à uma série de novos atributos e de novas tags.

Quais as aplicações para as empresas

Para as empresas, esta nova versão da HTML abre novas perspectivas, principalmente no domínio do webmarketing. Esta nova montagem permite integrar melhor as funcionalidades interativas e também propor novos conteúdos sem recorrer sistematicamente ao flash e seu formato fechado e limitando a utilização do javascript.

A HTML5 poderá também ser utilizada no quadro de operações de marketing móvel, pois deveria ser legível a partir dos navegadores móveis. Isso é particularmente interesse para os processadores de iPhone, pois a empresa já anunciou que o formato flash será abandonado pelos iPhones e iPads.

A adoção do HTML5 permitirá principalmente propor publicidade e aplicações mais interativas e acessíveis a partir dos navegadores móveis.

Links úteis

A evolução dos formulários em HTML5, em português;
Introdução ao HTML5, em português;
As novidades de nova versão do HTML, em português;
Demonstração do HTML5, em francês.



Foto : © Paul Pirosca | Dreamstime.com

Tradução feita por Ana Spadari

Veja também

Artigo original publicado por Carlos-vialfa. Tradução feita por ninha25. Última modificação: 19 de maio de 2017 às 13:42 por Pedro.Saude.
Este documento, intitulado 'HTML5: o que mudou ', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM (br.ccm.net) ao utilizar este artigo.