O Wi-Fi e o suposto perigo para a saúde

Novembro 2017

Não é verdade que as ondas Wi-Fi prejudicam a saúde e que é essencial desativar o Wi-Fi do roteador quando não for usá-lo. Hoje em dia, recebemos ondas de todos os lados: ondas de rádio, ondas emitidas por satélites, ondas de celular, ondas de TV, ondas de telefone sem fio e também ondas de Wi-Fi.

No entanto, você deve saber que não é recomendado colocar o telefone celular em contato demasiado com uma pessoa (suspeita de câncer inicial em alguns casos). As ondas Wi-Fi usam o mesmo princípio, mas em proporções menores. Se um celular pode enviar uma onda por vários quilômetros, uma onda Wi-Fi pode enviá-la apenas por uma centena de metros.

Muitos locais públicos, como aeroportos, estações de trem, bancos, hotéis, restaurantes, centros comerciais, prédios públicos, universidades, parques e até escolas primárias, usam Wi-Fi. Porém, até hoje, não houve morte ou doença grave atribuída especificamente ao Wi-Fi.

Concluindo, a menos que você tenha uma antena de Wi-Fi apoiada em você 24 horas por dia, há apenas uma chance mínima de que você seja danificado por essas ondas. Um telefone celular é muito mais perigoso. Mesmo que você desative o seu Wi-Fi, o do seu vizinho pode estar ativo e pode haver alguma antena próxima para retransmissão nas redondezas; portanto, o que você faz não fará a menor diferença.


Foto: © Pixabay.

Veja também

Publicado por pintuda. Última modificação: 23 de outubro de 2017 às 11:37 por Pedro.CCM.
Este documento, intitulado 'O Wi-Fi e o suposto perigo para a saúde', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM (br.ccm.net) ao utilizar este artigo.