O WiFi é perigoso para a saúde

Agosto 2017



Mito: as ondas WiFi são muito (ou até, demasiadamente) intensas e, às vezes, podem causar danos irreversíveis.


Realidade: FALSO.

Hoje em dia, você "nada nessas ondas".

Se definirmos uma onda de maneira imaginativa: Imagine uma grande rodovia (a onda portadora) com centenas de pistas indo na mesma direção (com freqüências diferentes), onde andam carros ("dados" transmitidos), mas para cada pista um limite de tempo de chegada (chamado de comprimento de onda).

Tecnicamente, quanto menor o comprimento de onda (mais os carros correm), mais perigoso. O comprimento de onda começa a ser perigoso a partir de cerca de 10 cm, tornando-se cada vez mais perigoso, na medida em que essa distância diminui.
  • Rádio: as ondas FM e todas as estações nacionais (ou mais ainda, se você mora perto da fronteira) emitem o mesmo tipo de onda, mas com freqüências diferentes. "O caminho te atravessa" ... mas não é nada perigoso: fica entre 80 e 120 Hz e seu comprimento de onda não passa do decâmetro.
  • Televisão terrestre: Frequencia entre 150 e 900 MHz (comprimento de onda de 1 m a 10 cm). Ela é mais perigosa que o rádio, mas apenas com uma exposição direta e demorada (vários anos... tipo, dezenas de anos...). Logo, quase nenhum risco.
  • Satélites: Televisão/GPS/Telefonia (ondas de rádio): semelhantes às ondas da televisão terrestre, frequencias de 950 à 2 150 MHz, comprimento de onda de 1 m a 10 cm.
  • Ondas eletromagnéticas: usadas em telefones celulares. Essas ondas são emitidas em todos os lugares, à sua volta (sem contar com o retorno da antena). Assim, você é "atravessado" por todas as chamadas da sua cidade. Os comprimentos de onda são de cerca de 1 m a 10 cm. Estas ondas são mais perigosas, porque os celulares estão sempre perto de nós. Alguns chegam a colocá-los diretamente sobre a pele, isso deve ser evitado. No entanto, se você não o mantiver 24h colado a você, o risco é mínimo. Convido-vos a dar uma olhada na dica: Essa história de pipoca.

  • As ondas WiFi pertencem à esta última categoria, mas seu alcance é limitado (cerca de 100m). A freqüência padrão é de 2,4 ou 5 GHz, e o comprimento de onda não passa do decímetro. É perigoso, assim como o laptop, mas a potência é 20 vezes menor e eu duvido que você tenha um transmissor WiFi colado em você, permanentemente ...
  • Você nunca digitalizou? Já fez radiografia? Estes também são casos de ondas. E aqui elas são usadas para tratá-lo. Leia este artigo sobre a radioterapia ...


Você pode ver que este raciocínio é estúpido: só apenas após uma exposição prolongada e direta, que as ondas eletromagnéticas podem causar problemas de saúde , provocando apenas desconfortos "reparáveis", hoje em dia.

Cortar o seu WiFi não vai mudar o resto ... Se você quiser parar as ondas, pare o mundo, ou tranque-se em um cofre de banco... No entanto, existem outros tipos de ondas (que nada têm a ver com o Wi-Fi) muito mais perigosas: a onda submilimétricas (1 mm a 100 microns), pouco ou quase nada utilizadas, ou, um pouco acima do WiFi , as ondas milimétricas (1 cm a 1 mm), mais usadas, principalmente, nos radares de precisão.



Tradução feita por Lucia Maurity y Nouira

Veja também

Artigo original publicado por jak58. Tradução feita por pintuda. Última modificação: 5 de janeiro de 2011 às 07:54 por pintuda.
Este documento, intitulado 'O WiFi é perigoso para a saúde', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM (br.ccm.net) ao utilizar este artigo.