Qual é o melhor navegador para usar no Windows

Fevereiro 2017

Nós comparamos o desempenho dos principais navegadores, o Internet Explorer 9, o Firefox 4, o Chrome 10, o Safari 5.0.3 e o Opera 11.10. Não há notas subjetivas, mas medidas, testes e comparações. A competição de desempenho entre os navegadores tem um duplo interesse. Todos agora são utilizáveis no dia a dia e todos têm feito esforços significativos em termos de rapidez e segurança. Mas nós também temos novas ferramentas para analisar cuidadosamente o desempenho de cada um deles.


Configuração de teste: Intel Core 2 Duo E7500, com 2GB de memória DDR3 e uma pequena placa gráfica Radeon HD 3450 da ATI. É importante esclarecer porque ela afeta o desempenho (veja abaixo). Pode haver diferenças de um PC para outro, principalmente em termos de aceleração gráfica. Tudo isso no Windows 7.

O desempenhos dos navegadores no Windows

Em termos de desempenho, nós excluímos, por razões óbvias, alguns testes, que apesar de populares, foram desenvolvidos por editores concorrentes, como o Dromaeo DOM e Kraken, testes Javascript realizados pela Mozilla e o Benchmark V8e do Google. Outros testes Javascripts existem e Peacekeeper leva em conta as transações DOM (ligar uma página Web, HTML ou XML ao código Javascript), logo, nada será negligenciado.

Vamos começar pelo Peacekeeper, o teste de desempenho desenvolvido pela Futuremark. Este é um teste de desempenho JavaScript bastante completo. O escore final do browser é a adição de vários testes destinados a ver como ele se comporta em matéria de renderização gráfica, incluindo as renderizações complexas com HTML5 com cálculos físicos ("Rendering" e "Complex Graphic"). A nota Social Network mede as funções de download de uma página padrão, pesquisa e classificação, aplicações essas, amplamente usadas no Facebook ou no Gmail. Data é outra nota importante, medindo a capacidade em uma página dinâmica com áreas Javascripts, para adicionar, remover ou editar elementos (como textos ou imagens no Facebook). O Text Parsing mede especificamente o texto, como a aplicação de filtros de linguagem ou dimensionamento:


Aqui, nós devemos moderar o desempenho do Chrome, que só obtém esta nota graças ao processamento Data, onde ele supera todos os outros, de longe. Ele não é o melhor em nenhum outro critério. O Opera é o último neste mesmo ponto, mas primeiro, em relação à renderização gráfica, aplicações DOM, texto, etc. Em suma, todos os outros critérios.

Os navegadores não são iguais em matéria de HTML5. Especialmente porque o IE9 e o Firefox 4 podem, em alguns sites, usar a placa gráfica para aumentar o seu desempenho. Geralmente, em todos os benchmarks (testes de fluidez GUIMark2 no Nevermind the Bullet), encontramos o IE9 na frente do Firefox 4, seguido do Opera e do Chrome. O Safari fica em último, precisando de uma atualização.

Uma palavra sobre o flash, tecnologia polêmica, que podemos testar no FlashBenchmark 8, que mede o desempenho especialmente em jogos Flash. Desta vez, o Safari está na liderança, bem na frente do Opera e do IE9. Em seguida, logo atrás, vem o Firefox e o Chrome.

Outro teste muito revelador é o desempenho dos navegadores em termos de estilo CSS2.1 e CSS3.0. Ele mede a capacidade do navegador de se sentir à vontade entre as folhas de estilo e os layouts HTML complexos. Desta maneira, somos obrigados a desviar da nossa regra e utilizar um teste da Microsoft, pois não existe outro que seja tão pertinente. O navegador deve tentar sair de um labirinto complexo (40x40 para este teste) o mais rapidamente possível. O Opera domina com 16 segundos. O IE9 vem logo atrás com 32 segundos e o Safari fica no 3º lugar com 221 segundos. Precisamos ser bem mais pacientes para esperar o Firefox (809 segundos) e o Chrome, em último lugar, com 869 segundos.


Classificação dos navegadores de acordo com seu desempenho
NavegadorPeacekeeperSunspiderHTML5FlashCSS2.1/3Total
Opera 1124321
IE931132
Chrome12455
Firefox 453244
Safari 545513

Como gerenciar os recursos

Este é um ponto importante. Medimos a carga de memória e os picos de utilização do processador de cada navegador, com várias abas, e após vários minutos de uso. O navegador pode ser regulado ou torna-se cada vez mais "guloso"? Nós decidimos usar como página de referência a página principal do site "linternaute.com". Uma página carregada, animada com anúncios e painéis que desfilam, incluindo com flash. Os dados que confirmamos no Youtube (10 abas de vídeo abertas durante 30 minutos).


Carga de memória em MB e utilização do processador em %
NavegadorInternaute.com 20 abas Internaute.com 30 minutos depois
Opera 1196 MB /de 0 a 6 %318 MB /de 2 a 15 %270 MB /de 2 a 25 %
IE970 MB /de 0 a 3 %700 MB /de 20 a 40 %500 MB /de 10 a 30 %
Chrome56 MB/de 0 a 4%290 MB /de 0 a 8 %De 225 a 350 MB /de 2 a 40 %
Firefox 459 MB / 1 %290 MB / 10 %400 MB /de 10 a 40 %
Safari 556 MB /de 0 a 10 %215 MB /de 2 a 35 %310 MB /de 8 a 55 %


Saiba que o Firefox abre o conteúdo flash e outros Silverlight em um processo separado, nós levamos isso em consideração. A carga da memória básica do Opera é explicada pela riqueza de base (cliente de e-mail e ftp integrado).

Em nossa opinião é o Opera que está se saindo melhor. Nós demos preferência ao uso no tempo e uma carga em recurso que continua razoável e estável, ou seja, que diminui com o tempo, quando ficamos nos mesmos sites. O Chrome também se sai bem, com uma atualização regular da memória usada. O IE 9 é guloso, mas torna-se razoável com o tempo. O Firefox 4 e o Safari, por sua vez, veem sua carga de memória aumentar com o tempo, com terríveis picos de atividade da CPU, no caso do navegador da Apple. São os dois únicos browsers que devem ser reinicializados com bastante regularidade, se você não quiser sufocar o seu PC.

Como são os navegadores quanto à conformidade com os padrões da Web

Em termos de respeito aos padrões da web, muito progresso foi feito, principalmente pela Microsoft, que, aliás, está bem atrasada. Os testes ACID são quase irrelevantes, exceto o IE9 com 95 e o Firefox com 97, que quase atingem a nota máxima. Idem quanto aos seletores CSS (que definem o layout do conteúdo), todos têm a nota máxima, exceto o Chrome que ainda precisa de alguns pontos. A constatação está próxima no que se refere aos padrões Javascript. Sputnik testa os navegadores sobre 5.246 pontos. A menor nota é a do Firefox 4 com 5.065 testes bem sucedidos, o melhor sendo o IE9 com 5174. Resultados geralmente muito bons, embora ainda aperfeiçoáveis, os 5 navegadores testados são grandes concorrentes.


Quanto ao HTML5, não há um teste oficial, já que nem o HTML5 Working Group, nem o W3C retornaram sua cópia sobre o que serão os padrões desta linguagem. No entanto, o site HTML5Test propõe vários testes sobre a compatibilidade do navegador com recursos autorizados pelo HTML5 em matéria de vídeo, áudio, paginação ou aplicativos, por exemplo. Assim, o resultado deve ser observado com muito cuidado. O Chrome domina com um escore de 288/400, seguido pelo Opera (258), pelo Firefox (240), pelo Safari (187) e pelo IE9, em último lugar, com 130 pontos. Estamos falando de respeito aos padrões e não de desempenho HTML5, como anteriormente. O IE9, que era o melhor em desempenho HTML5 não é, ao que parece, o melhor navegador para aplicar as recomendações de base do HTML5.

Como se comportam os navegadores em matéria de segurança

Em termos de segurança dos navegadores, grandes esforços foram feitos, principalmente o tempo de reação dos editores para corrigir uma falha descoberta. Em 2009, a Apple levava, em média, 13 dias para corrigir uma falha no Safari, podendo chegar a 40 dias, em certos casos! Hoje, os editores levam, em geral, 24 horas, podendo chegar a 4 dias em alguns erros na Microsoft. A Apple, levou três semanas para resolver um problema com o certificado SSL (para proteger as transações pela Internet).


O tempo de reação é o mais importante. Mas, quantas falhas encontramos por ano? Isso depende dos browsers. A Symantec nos mostra em seu relatório anual, que é no Chrome que foram descobertas mais vulnerabilidades. O tempo de reação do Google reduz este valor. Veja o gráfico do relatório anual Internet Security Threat Report 16 da Symantec, que é muito esclarecedor sobre este ponto, mostrando o número de falhas identificadas em cada navegador entre 2009 e 2010:


Nós deixamos de lado o aspecto "proteção da privacidade". Parecia impossível separar os pontos fortes e os pontos fracos dos navegadores no que diz respeito aos sites, motores de busca e cookies, como hábitos do usuário. Portanto, não encontramos como testá-lo de maneira pertinente.

Conclusão

Na nossa opinião, o Opera mantém um passo à frente. Muito bom em desempenho global, embora precedido pelo IE9, ele se comporta muito bem em termos de gestão de recursos. É um navegador que respeita os padrões da Web e, ainda por cima, se mostra muito seguro, com poucas falhas descobertas, todas corrigidas em, mais ou menos, 24 horas.


Por outro lado, o IE9 representa um passo de gigante. Muito eficiente, é o que arranca mais rápido e é o mais confortável no uso diário. O Chrome também é bastante útil. O Firefox 4 decepciona um pouco. Ele guardou um lado lento desagradável e pode se empolgar e monopolizar até 1 GB de memória RAM. Quanto ao Safari 5, atualmente, é um navegador ultrapassado no Windows. Não é vergonhoso, mas nitidamente atrás dos outros.
Foto: © Pixabay.

Veja também

Artigo original publicado por . Tradução feita por pintuda. Última modificação: 19 de fevereiro de 2017 às 07:12 por pintuda.
Este documento, intitulado 'Qual é o melhor navegador para usar no Windows ', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM (br.ccm.net) ao utilizar este artigo.