A rótula

Dezembro 2016


A rótula é o elemento em que você encaixa a sua câmera quando você quer usar um tripé de câmera ou um monopé. Integrado diretamente em alguns pés, é preciso escolhê-lo quando você compra um tripé de alto nível. Com alças, sem alças, à cremalheira ou com joystick, os construtores estão cheios de ideias para facilitar a vida dos fotógrafos.

Apresentação


A rótula pode ser atarraxada no tripé, quando não estiver integrada. Então, ela tem uma rosca, sendo o padrão de 3/8e ou de ¼ polegadas. Para fixar a sua câmera na rótula, geralmente usa-se uma bandeja rápida. Esta bandeja é parafusada na caixa com uma rosca: o padrão é de cerca de ¼ polegadas nas compactas, bridges, câmeras SLRs ou filmadoras, e de 3/8 no formato médio e nas câmeras (alguns modelos são equipados com as duas).

Depois de fixar a bandeja, ela se adapta e fica bloqueado na rótula. A trava permite desbloquear e remover e retirar a sua caixa, rapidamente.

Algumas rótulas têm graduações, bem práticas para adaptar em diversos eixos, assim como um ou mais níveis de bolhas. Estes são muitas vezes indispensáveis para verificar a sua horizontalidade, sobretudo em paisagem e arquitetura.

A rótula 3D e 5D


É a rótula de referência em fotografia. Ela é guiada por três alças que se atarraxam para bloquear ou desbloquear um eixo.

A primeira alça é usada para selecionar o eixo horizontal do quadro, a segunda para o eixo vertical e a terceira para gerenciar o nível da caixa (para colocá-la em linha reta em relação ao horizonte, por exemplo, ou para alternar entre o modo paisagem e o modo retrato). Também existe a rótula 5D da Induro, por exemplo, que adiciona dois eixos como na imagem acima (ref. 4 e 5).

A rótula 2D


Ela só suporta dois eixos: vertical e horizontal. Ela é usada, principalmente, para vídeo, que não precisa ser posicionado em modo retrato. Ao filmar vídeos de forma contínua, este tipo de cabeça é mais fluido graças a um atrito que evita sacudir a imagem quando mudamos o eixo da patela. Conseguir fazer uma foto panorâmica, horizontal ou verticalmente fluida, é o principal critério de uma boa rótula de vídeo.

A rótula-ball


Ao contrário da rótula 2D ou 3D, ela não tem eixo bloqueado (horizontal ou vertical). O movimento é feito em torno de uma bola que bloqueamos graças a um ou vários parafusos. Muito útil em modo retrato, compacta e leve ela é, no entanto, inadequada para paisagens ou natureza morta, que exigem mais precisão.

A rótula joystick


Construída como a rótula Ball, ele difere em seu modo de bloqueio. Enquanto a rótula Ball precisa de um parafuso para ser fixada, a rótula joystick é bloqueada com um gatilho na alça. Esse gatilho pode estar diretamente na alça vertical ou transferido para uma alça na horizontal. Produto principal da Manfrotto, esta rótula é amplamente usada em retratos e reportagens, quando o fotógrafo precisa enquadrar rapidamente.

A rótula panorâmica


A fotografia panorâmica exige grande precisão, para poder reunir várias fotos, horizontal e/ou verticalmente. É preciso que a pupila de entrada da objetiva (também chamado de ponto nodal) esteja no eixo da rótula.

É preciso que a caixa esteja um pouco descentrada em relação à rótula para que a lente fique no lugar certo (em uma rótula 3D, por exemplo, é o parafuso da caixa que é vertical ao eixo de rotação). A rótula é formada de dois eixos de rotação de 90°, de placas de deslizamento, e de uma graduação horizontal em torno de sua base.

A rótula cremalheira


Ele funciona como a rótula 3D, em 3 eixos, exceto que ela permite que você faça ajustes micrométricos. Diretamente na alça ou na ponta da mesma, é só virar uma manivela ou uma ponta para alterar o eixo da rótula, devagarzinho.

Usada principalmente em natureza morta, quando o quadro exige grande precisão. Porém, é pesada e voluminosa.

A rótula pendular


Ideal para fotos esportivas e de animais com muita distância focal (lentes pesadas) mas, muito voluminosa. Sua vantagem é poder rodar em dois eixos, vertical e horizontal, mantendo um centro de gravidade acima do aparelho. O fotógrafo pode seguir mais rapidamente o movimento do seu alvo.

A rótula inclinada


Especialmente dedicada ao monopé e só se movem sobre um eixo. Como o monopé só tem um ramo, ele pode fazer qualquer tipo de movimento, tanto horizontal quanto vertical. A rótula inclinada deixa passar sua câmera para o modo retrato rapidamente, ou gerenciar um movimento vertical no modo paisagem.

A rótula híbrida


Projetada para máquinas reflex, recentemente equipadas com um modo de vídeo, esta rótula é uma mistura de rótula Ball, 3D e vídeo (2D). Nela, podemos encontrar a bola para a liberdade de movimento, a possibilidade de trabalhar em três eixos, mas também um atrito para os movimentos fluidos verticais e horizontais, para ser usado em vídeo. As três alças desapareceram, ficando apenas uma, para filmar.

Fontes de imagens:
  • Manfrotto
  • Induro



Tradução feita por Lucia Maurity y Nouira

Veja também :
Este documento, intitulado « A rótula »a partir de CCM (br.ccm.net) está disponibilizado sob a licença Creative Commons. Você pode copiar, modificar cópias desta página, nas condições estipuladas pela licença, como esta nota aparece claramente.