CeBIT 2017: o futuro acontece na Alemanha

CCM International - 22 de março de 2017 - 14:52

CeBIT 2017: o futuro acontece na Alemanha

De Hannover, na Alemanha, CCM apresenta as novidades da CeBIT 2017 em imagens.

Hannover (CCM) — Robôs que interagem com os seres humanos, ônibus autônomos, cidades inteligentes, drones que entregam pacotes, carros controlados por 5G, segurança na nuvem. Estas e outras (r)evoluções tecnológicas marcam a CeBIT, feira de tecnologia mais importante do mundo que acontece em Hannover, na Alemanha, entre os dias 20 e 24 de março. Além de apresentar as últimas novidades já produzidas, a feira divulga também as tendências tecnológicas do futuro.


Impacto da transformação digital


Com o título d!conomy - no limits, a edição de 2017 do salão CeBIT mostra como as máquinas e os seres humanos podem interagir. "O tema principal deste ano é a evolução das fronteiras entre homem e máquina", diz Oliver Frese, membro do comitê de direção da Deutsche Messe, o salão de exposições onde é realizado este evento, que reúne mais de 3.000 atores tecnológicos de mais de 70 países.

Japão, convidado de honra


O Japão é o país convidado da edição de 2017 da CeBIT. Por conta disso, o primeiro-ministro japonês Shinzo Abe participou da cerimônia de inauguração da feira ao lado da chanceler alemã Angela Merkel. O Japão é um país-chave na revolução digital: um quarto das 100 empresas de tecnologia globais são japonesas. E mais de 120 empresas do Japão estão presentes nesta edição da CeBIT. Entre elas está a montadora Toyota, pela primeira vez na feira. "Temos um amigo no Japão, mas também um concorrente", afirmou Merkel.

Robôs que substituem humanos


Uma das revoluções mais aparentes durante a CeBIT 2017 é a interação entre humanos e robôs, especialmente os modelos que vêm do Japão. "A sociedade japonesa é muito inovadora a este respeito é muito aberta a tudo que se refere ao digital", aponta Oliver Frese, da Deutsche Messe.

Pepper, o robô que entende as emoções humanas


O robô estrela da feira é Pepper. Lançado em junho de 2014, ele é o primeiro robô humanoide social, sendo capaz de compreender as emoções e interagir com os humanos. Pepper analisa as expressões e o tom de voz dos humanos e pode acolher perfeitamente os clientes ou dar informações sobre um produto. Ele também consegue agendar um compromisso a partir apenas de um pedido em voz alta. O robô vai redefinir a experiência de atendimento ao cliente e, certamente, ocupará vários cargos atualmente ocupados pelo homem.

B-Human, o robô jogador de futebol


Assistir um jogo de futebol com jogadores robôs é possível na CeBIT. A equipe B-Human, composta por 10 robôs desenvolvidos pela empresa SoftBank Products, é a campeão do RoboCup, Copa do Mundo de futebol robótico. Ela também foi campeã europeia e alemã por mais de oito anos consecutivos. Os robôs da B-Human são criados com código aberto, o que permite que outros pesquisadores possam explorá-la e melhorá-la.

DuAro, o robô que trabalha por você


Desenvolvido pela Kawasaki Robotics, DuAro pode coexistir e interagir com humanos. O robô possui duas mãos e é capaz, por exemplo, de colocar uma capa de plástico em um smartphone em poucos minutos.

Olli, o transporte que fala com os passageiros


Olli é um veículo elétrico sem condutor, desenvolvido pela startup estadunidense Local Motors. Graças à tecnologia Watson (inteligência artificial) da IBM, ele é capaz de conversar com os passageiros. A maior parte do veículo foi construída com a tecnologia de impressão 3D.

UNI-CUB, o assento móvel


A montadora Honda, outra marca japonesa presente na CeBIT, exibiu um protótipo de 'assento móvel'. Trata-se do UNI-CUB, dispositivo de mobilidade pessoal que permite ao usuário deslocar-se por uma determinada área estando sentado. Ele pode ser utilizado em museus, aeroportos, bibliotecas ou centros comerciais. Basta apenas sentar-se no dispositivo e mover o corpo para dirigir o assento até o destino desejado.

A Internet das Coisas e as cidades conectadas


Dona de um enorme pavilhão na CeBIT, a chinesa Huawei mostra um exemplo claro da evolução da Internet das coisas: um sistema de cidade inteligente que permite ver quais ruas estão com tráfego mais denso e onde estão os serviços de emergência ou de transporte público mais próximos. O objetivo deste sistema é diminuir o tempo de resposta desses serviços e torná-los mais eficientes.

5G e os carros que se comunicam entre si


O uso da tecnologia 5G permite uma comunicação mais direta e mais rápida entre os carros. Por exemplo, este modelo da Audi pode 'conversar' com outros carros para otimizar o fluxo de tráfego e evitar o acidentes. Isso só é possível graças à presença da tecnologia 'See-Trough'.

Fotos: © Israel Ayala - CCM.
Siga o CCM Brasil no Twitter
Adicionar comentário

Comentários

Comentar a resposta do usuário anônimo