Como usar a plataforma Marketplace do Facebook

Faça uma pergunta
Em janeiro de 2018, Facebook implantou a plataforma Marketplace no Brasil, como já vinha fazendo desde 2016 em outros países. A plataforma permite anunciar, comprar e vender produtos dentro da rede social; é possível realizar transações facilmente e com segurança. O serviço coloca vendedores e compradores em contato. No entanto, ela não integra soluções de pagamento e tem alguns limites. Saiba as vantagens e desvantagens do Marketplace para os profissionais.


Como funciona o Marketplace do Facebook

A nova plataforma proposta pelo Facebook oferece ao usuário buscar e encontrar objetos que estão à venda na sua proximidade. Colocar vendedor e comprador em contato é relativamente semelhante as propostas de grupos de vendas e anúncios locais. Primeiramente acessível apenas como aplicativo móvel, o Marketplace agora possui uma interface dedicada Facebook.

Saiba que os grupos de vendas sempre aparecem em um único endereço e permanecem independentes. Ao contrário de mercados que implementam uma série de serviços para seus usuários, o Marketplace não oferece nenhum método de pagamento online ou modo de entrega. Pelo contrário, este recurso favorece vendas e compras em mãos.


Com a integração do Paypal no Messenger, o Facebook poderá, apesar disso, propor um meio de pagamento para seus usuários. Ao clicar em um botão dedicado, os usuários poderão receber ou emitir um pagamento. O recurso está sendo implementado nos EUA desde outubro de 2017 e pode estar disponível nas próximas semanas para usuários europeus. O PayPal estará disponível apenas no iOS e no aplicativo Android no primeiro.

Quais as vantagens e os limites do Marketplace do Facebook

Uma das vantagens do Marketplace do Facebook é facilitar a conexão de vendedores e compradores. A interface permite procurar por categoria, a uma distância mais ou menos importante de um ponto específico. Os compradores podem limitar suas buscas para uma determinada área geográfica.


O Facebook também se beneficia com a visibilidade dos perfis na rede social com transações transparentes. Cada comprador potencial tem acesso ao perfil público do vendedor: filtragem por categoria ou localização; conexão fácil entre vendedores e compradores através de mensagens do Facebook; transparência dos perfis do comprador/vendedor com base em perfis públicos.

No entanto, o Marketplace tem alguns limites. A relação entre particulares, com uma venda mão na mão, é privilegiada. A plataforma não oferece nenhum suporte de pagamento online por exemplo, nem gerenciamento de envio. A integração do PayPal para o Messenger preencheria essa lacuna, adicionando um conceito de segurança para os pagamentos e os envios sobre para usuários.

Não foi estipulado nenhum tipo de nota para vendedores ou compradores. Os profissionais não têm um lugar específico no Marketplace, e os anúncios não são ligados a uma loja aberta na página Facebook de um profissional, por exemplo.

Como um profissional pode usar o Marketplace Facebook

A forma atual do Marketplace do Facebook limita o espaço para os profissionais: não tem suporte para pagamentos; não tem relação com uma página Facebook de uma marca; não há possibilidade de publicar um anúncio com o nome de uma página.


A vantagem, então, é a visibilidade em uma determinada zona geográfica. A plataforma deve ser usada em nome próprio, com um perfil pessoal. Atenção, o Facebook não permite o uso do nome da empresa como um nome de perfil.

O Marketplace pode ser uma força de vendas para setores específicos: serviços imobiliários, pessoais e coaching, já que permite que um profissional apresente seus serviços no BtoC (Business to contact) para um primeiro contato com um público de proximidade.

A plataforma pode ser uma vitrine suplementar para produtos da empresa, ou para recrutamento local. Ao invés de um verdadeiro canal de vendas, o Marketplace Facebook atua mais como uma alavanca adicional para profissionais: é uma nova vitrine de produtos.

Foto: © Facebook.
Jean-François Pillou

Nosso conteúdo é produzido em colaboração com especialistas em tecnologia da informação sob o comando de Jean-François Pillou, fundador do CCM.net e diretor digital do Grupo Figaro. CCM é um site sobre tecnologia líder em nível internacional e está disponível em 11 idiomas.

Mais informações sobre a equipe do CCM

Veja também