Malware Digmine minera criptomoedas

MarinaShimamoto - 22 de dezembro de 2017 - 20:36

Malware Digmine minera criptomoedas

Golpe acontece via chat do Facebook e, assim que descarregado no computador, passa a hackear a CPU.

(CCM) — Disseminado através de conversas no Facebook via navegador Google Chrome, um novo vírus, recém-descoberto pela companhia de segurança Trend Micro, tem o objetivo de minerar criptomoedas no computador dos usuários.



O malware, conhecido como Digmine, começa a atuar a partir do momento em que uma máquina que gerencia um programa de PC (chatbot) entra em contato com as vítimas utilizando a caixa de mensagens da rede social. Após o robô encaminhar um arquivo, denominado de 'video_xxxx.zip', o documento, assim que é descarregado, passa a hackear a CPU.

Sem que as vítimas possam perceber, o vírus, ainda de acordo com a empresa, insere no PC um software capaz de fazer uso do processador para realizar a mineração da criptomoeda Monero e, desta forma, transferi-la de forma automática aos cibercriminosos.

Os hackers também passam a ter acesso remoto à conta dos usuários no Facebook, uma vez que o malware instala, de maneira silenciosa, uma extensão para o Chrome. Isso torna mais fácil aos golpistas fazerem com que mais pessoas sejam alvo da ameaça.

No entanto, caso Digmine seja carregado com o smartphone, o vírus não consegue operar. Para evitar quaisquer problemas de contaminação, a Trend Micro recomenda não efetuar download de vídeos em pastas ZIP, mesmo se vindas de conhecidos.

Foto: © Pelykh Konstantin - Shutterstock.com
Adicionar comentário

Comentários

Comentar a resposta do usuário anônimo