Ciberataques via WhatsApp duplicam

MarinaShimamoto - 6 de fevereiro de 2018 - 20:05

Ciberataques via WhatsApp duplicam

Número de ataques cibernéticos no Brasil por meio do WhatsApp duplica no fim de 2017, segundo estudo da PSafe.

(CCM) — O WhatsApp como principal ferramenta de hackers para atacar usuários. Segundo informações da PSafe, a escolha dos cibercriminosos recai sobre o mensageiro pois o app é o mais popular e, consequentemente, mais vulnerável do país.



Os dados do Relatório de Segurança Digital, produzido pelo laboratório da PSafe, apontam que mais de 44 milhões de ameaças foram disseminadas via app de mensagens instantâneas entre outubro e dezembro do ano passado.

O resultado é 107% maior do que o apresentado no trimestre anterior, quando foram registrados 21 milhões de golpes. De acordo com a empresa, "ao utilizar o WhatsApp, os cibercriminosos estão aprimorando suas estratégias por meio de engenharia social. Eles estão investindo contra indivíduos por meio de uma rápida e maciça disseminação de links maliciosos em vez de produzir malwares, que são mais complexos de serem criados e têm menor potencial de viralização".

Ao que tudo indica, os hackers se especializam cada vez mais na criação de sites e ações com visual bastante semelhantes aos originais, conseguindo atingir grande quantidade de compartilhamento em pouco tempo. Além disso, os golpes se tornam ainda mais atraentes quando possuem o pretexto de promoções e até processos seletivos para vagas de trabalho.

A Psafe lembra que o phishing via apps de mensagens e o phishing bancário são os tipos de golpes que mais deverão crescer nos próximos meses. Por isso, é bom os usuários ficarem mais atentos aos perigos do mundo cibernético.

Foto: © Photosani - Shutterstock.com
Adicionar comentário

Comentários

Comentar a resposta do usuário anônimo