Comentar

Laboratória abre curso de programação

MarinaShimamoto - 19 de março de 2018 - 22:45
Laboratória abre curso de programação
Empresa peruana Laboratória abre inscrições para curso de programação. Curso é voltado apenas para mulheres.

(CCM) — As mulheres interessadas em participar de um curso de programação voltado apenas para o público feminino já podem se inscrever para a primeira turma de programação da Laboratória, empresa peruana que está promovendo o evento aqui no Brasil.


Segundo a startup, as inscrições para as aulas já estão abertas e as interessadas não precisam ter experiência em tecnologia. Além disso, o curso será ministrado apenas para as mulheres, que só precisam dispor dos requisitos básicos como ter mais que 18 anos e ter estudado o ensino médio ou ensino superior em instituições públicas ou, ainda, em instituições privadas, desde que tenham cursado a faculdade com bolsa por critério de renda.

Quem tiver interesse não pagará nada durante o período do curso. No entanto, de acordo com uma política da empresa, após as alunas conseguirem um trabalho, elas pagarão apenas uma contribuição para que outras mulheres possam participar de cursos futuros.

As inscrições para o processo seletivo poderão ser realizadas por meio do site da companhia e deverão ser efetivadas até o dia 4 de abril. O processo todo contará com cinco fases: inscrição, prova, pré-trabalho, entrevista e pré-admissão, sendo que as fases de entrevistas e pré-admissão acontecerão em abril, e as aulas a partir de maio, em São Paulo.

O currículo do programa foca no aprendizado do JavaScript. Além disso, as alunas terão aulas sobre HTML e CSS. Com duração inicial de seis meses, elas ainda receberão diretrizes sobre o que é necessário para começar a trabalhar como Programadora Front-end, tendo em seguida a possibilidade de se aprofundarem nos temas que achem mais interessantes.

Ao final do curso, a Laboratória realizará um evento no qual empresas parceiras dispostas a recrutar talentos vão propor desafios reais para que as alunas resolvam e, dentro disso, selecionar possíveis novas colaboradoras para suas companhias.

Vale lembrar que o curso abre portas para empresa desenvolvedoras de software, agências digitais e startups. Além disso, organizações multilaterais e empresas globais também estão de olho nessas profissionais, como IBM, Accenture, Crowdbotics, Walmart, e Thoughtworks.

Foto: © kaprik - Shutterstock.com
Adicionar comentário

Comentários

Comentar a resposta do usuário anônimo