Comentar

Google mira fake news nas eleições brasileiras

MarinaShimamoto - 29 de junho de 2018 - 16:06
Google mira fake news nas eleições brasileiras
Gigantes Google e Facebook anunciam medidas para combater fake news nas eleições brasileiras deste ano.

(CCM) — Após notícias falsas terem sido alvo de investigações relacionadas às eleições presidenciais dos Estados Unidos em 2016, o mundo da tecnologia vem passando por diversas mudanças, principalmente no quesito 'política de uso e segurança' das grandes empresas do ramo.


O compartilhamento das famosas fake news nas redes sociais tem colocado os governos em constante alerta, além de fazer com que as empresas de tecnologia trabalhem mais arduamente em prol de soluções que combatam essas disseminações descontroladas.

A verdadeira notícia, agora, é que o Brasil também entrou na guerra para tentar blindar as eleições que acontecerão em outubro deste ano no país. A iniciativa em questão visa atingir não só o Brasil, mas também outros países da América Latina.

Os principais nomes que têm anunciado que estão de olho no que acontece na internet são o Google e o Facebook. A rede social mais famosa do mundo chegou a tirar do ar mais de 10 mil contas e páginas falsas no México e outros países latinos e, segundo a empresa de Mark Zuckerberg, o motivo para essa exclusão é que as páginas violavam os padrões de comunidade do site. Além disso, a companhia também afirmou que a limpeza na plataforma é totalmente necessária, pois garante que as corridas eleitorais na região não sejam prejudicadas.

A gigante Google foi outra que decidiu se manifestar anunciando na quinta-feira (28), o lançamento da 'Comprova', uma parceria entre a empresa, organizações e veículos de comunicação nacionais que visa analisar as notícias compartilhadas pelos internautas.

Em um comunicado, a companhia garantiu que o trabalho feito junto a diversos veículos de notícias servirá para manter a qualidade do jornalismo e combater o conteúdo enganoso.

De acordo com o Google, dentre diversas ações a serem tomadas, serão produzidos recursos visuais que poderão ser compartilhados com o intuito de comprovar a autenticidade dos boatos. Além disso, os internautas também conseguirão enviar sugestões sobre histórias que eles gostariam de saber se possuem fonte e veracidade.

Foto: © Denis-Linine - Shutterstock.com
Adicionar comentário

Comentários

Comentar a resposta do usuário anônimo