Comentar

Anvisa aprova app que auxilia na depressão

MarinaShimamoto - 10 de julho de 2018 - 15:05
Anvisa aprova app que auxilia na depressão
Deprexis é mais uma ferramenta que pode ser útil para psicólogos e psiquiatras no tratamento da doença.

(CCM) — Finalmente aprovado no Brasil pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o Deprexis é um aplicativo que tem como objetivo auxiliar o paciente diagnosticado com depressão. Já aprovado em países da Europa, o Deprexis não substitui os medicamentos e, principalmente, as consultas com psicólogos e psiquiatras. Ele funciona como mais uma ferramenta que pode auxiliar no tratamento.


O aplicativo permite que o usuário faça uma autoavaliação de seus sentimentos semanalmente, dentro de um período de 90 dias. De acordo com as respostas, o Deprexis apresenta soluções com base na terapia cognitivo-comportamental. Para baixar o aplicativo, o usuário precisa incluir o CRM do médico que acompanha seu caso e pagar uma taxa de R$ 990 pelo período de três meses.

Uma pesquisa publicada no Journal of Affective Disorders revelou que o uso combinado de psicoterapia com o Deprexis apresentou mais eficácia do que apenas o tratamento psicoterápico sozinho. O app funciona por meio de diálogos com o paciente, tirando suas dúvidas e ensinando técnicas para que reconheçam seus próprios sintomas. No total, são apresentadas 10 abordagens psicológicas, incluindo, como lidar com pensamentos negativos, melhorias de habilidades sociais e técnicas de resolução de problemas. A recomendação é o uso do aplicativo de uma a duas vezes por semana por pelo menos 30 minutos ao longo dos 90 dias disponíveis.

É muito importante que durante o período de uso do aplicativo, o paciente imprima e leve os resultados de suas 'conversas' para compartilhar com seu médico. Os criadores do app ressaltam, porém, que o Deprexis não deve ser usado no tratamento de outros transtornos que podem incluir a depressão como sintoma, como é o caso do transtorno bipolar, transtorno psicótico e esquizofrenia. O app também não é recomendado para pessoas que enfrentam pensamentos suicidas.

Foto: © SFIO CRACHO - Shutterstock.com
Adicionar comentário

Comentários

Comentar a resposta do usuário anônimo