Comentar

PowerGhost é nova ameaça às criptomoedas

MarinaShimamoto - 31 de julho de 2018 - 19:14
PowerGhost é nova ameaça às criptomoedas
Brasil está entre os países mais afetados pelo novo minerador de criptomoedas usado por cibercriminosos.

(CCM) — A Kaspersky Lab informou que seus pesquisadores descobriram um novo minerador de criptomoedas que atingiu redes corporativas em várias regiões do mundo. De acordo com a empresa, o PowerGhost atua especialmente na América Latina e traz riscos muito preocupantes.


Os mineradores são cada vez mais usados por criminosos virtuais em ataques direcionados para obter lucro. O PowerGhost está sendo distribuído em redes corporativas, infectando estações de trabalho e servidores.

De acordo com a empresa de segurança cibernética, as maiores vítimas desse ataque são usuários do Brasil, Colômbia, Índia e Turquia. No entanto, outros países também já registraram os mesmos tipos de ataques.

Para quem ainda não conhece, o golpe usa várias técnicas sem arquivos para se estabelecer nas redes corporativas de maneira discreta. Com isso, o minerador não chega a armazenar seus dados diretamente em um disco, dificultando sua detecção.

Quando o computador é infectado, o minerador é baixado e executado sem ser armazenado no disco rígido. Após esse processo, os criminosos virtuais conseguem fazer com que o minerador se atualize, se propague pela rede e inicie a mineração de criptomoedas, tudo de forma automática.

Para reduzir o risco de infecção por mineradores, a Kaspersky Lab recomenda que os usuários sempre mantenham o software atualizado em todos os dispositivos que usam, não ignorem alvos menos óbvios - como os sistemas de gerenciamento de filas, terminais de PDV e até máquinas de venda automática - e usem uma solução de segurança dedicada.

Além disso, as empresas devem orientar os funcionários e as equipes de TI, mantendo os dados sigilosos separados e restringindo o acesso a eles.

Foto: © iStock.
Adicionar comentário

Comentários

Comentar a resposta do usuário anônimo