Comentar

Facebook paga US$ 40 mil para achar falhas

Ana Paula Cardoso - 27 de novembro de 2018 - 06:08
Facebook paga US$ 40 mil para achar falhas
Rede social incentiva especialistas em segurança do mundo todo, a fim de evitar novos casos de vazamento de informações.

(CCM) — O Facebook vai pagar 40 mil dólares a quem conseguir identificar falhas na estrutura da rede social que a deixem vulnerável ao controle de contas de usuários por terceiros.


A informação foi veiculada pela jornalista especializada em cibersegurança, Charlie Osborne, em sua coluna no site 'ZDNet'. "Considerando as recentes falhas de segurança do Facebook, tentar atrair pesquisadores independentes em segurança da informação não chega a ser algo surpreendente", afirmou a jornalista.

De acordo com a publicação, a gigante das redes sociais anunciou na semana passada que o valor das recompensas seria aumentado, a fim de encorajar os pesquisadores de segurança, não-funcionários da empresa, a trabalharem em busca de problemas de alto impacto. No caso, os problemas em questão seriam as sucessivas falhas no sistema, que têm levado ao ataque por hackers de contas de milhões de usuários mundo afora.

As invasões de contas têm sido inquietantes para o dono do Facebook, Mark Zuckerberg. O problema pode levar não somente ao acesso remoto de perfis por terceiros, como também, e talvez o mais grave, suscitar em roubo ou vazamento de dados de contas válidas da rede social.

Caso o pesquisador em segurança voluntário descubra um problema de vulnerabilidade que exija a interação do usuário, como clicar em um link mal-intencionado, por exemplo, a recompensa paga pelo Facebook pode chegar até 25 mil dólares. Agora, se a falha descoberta não exigir participação do usuário, a recompensa pode chegar a 40 mil dólares.

O incentivo faz parte do programa Bug Boundy, cujos detalhes podem ser acessados na página do programa no Facebook. A recompensa do programa é estendida também a quem descobrir falhas no Instagram e WhatsApp.

Foto: © Maglara - Shutterstock.com
Adicionar comentário

Comentários

Comentar a resposta do usuário anônimo