Comentar

Google bane aplicativos que vendem maconha

Ana Paula Cardoso - 31 de maio de 2019 - 12:44
Google bane aplicativos que vendem maconha
Na contramão da onde global de legalização, gigante da tecnologia se posiciona contra a cannabis.

(CCM) — A Play Store divulgou na quarta-feira (29) que vai banir qualquer aplicativo que venda ou dê conselhos de uso da maconha. Em alguns lugares não é considerado crime a venda para fins medicinais ou uso recreativo da Cannabis sativa, nome científico da controversa planta.

Dentro de um mês, não será mais possível as solicitações de vender ou aconselhar o consumidor em potencial de maconha ou produtos que a contenham. E a Google não poupou nem mesmo os moradores dos estados ou países que legalizaram essa droga.

A Google segue os passos da Apple, cuja Apple Store já proíbe os aplicativos que facilitam a venda de maconha, mas também tabaco ou substâncias controladas. De acordo com informações divulgadas pelo jornal francês 'Le Figaro', alguns aplicativos responderam ao endurecimento da Google.

Os desenvolvedores de aplicativos que serão banidos acreditam que a medida, considerada conservadora, vai aumentar o risco do mercado ilegal florescer. A gigante americana, no entanto, diz que os aplicativos direcionados podem se adaptar às novas regras, até evocando a cannabis, mas sem a venda integrada.

Foto: © Jan Faukner - 123RF.com
Adicionar comentário

Comentário

Comentar a resposta do usuário anônimo