Drupal : O CMS Open Source todo terreno

Abril 2017

Nas vésperas do lançamento de sua versão 7, o sistema de gerenciamento de conteúdos Open Source Drupal continua a crescer no mercado dos CMS. Este projeto, iniciado em 2000 pelo desenvolvedor belga Dries Buytaert, tem tudo para competir com "gigantes", tais como Wordpress e Joomla, os dois pesos pesados de sua categoria. Dos micro-empresários às PME, passando por grandes coletividades, Drupal apresenta, em todos os casos, um sucesso crescente, há vários anos. Este sistema é, de fato, utilizado para o desenvolvimento de cerca de 500.000 sites em todo o mundo. Entre estes, Rue89.com: o site de informação e debate participativo que utiliza o CMS Open Source desde o seu início em 2007 e que, hoje, desenvolve outros sites com o Drupal. A atualização sobre as características e aplicações dos CMS para os profissionais e, o ponto de vista do diretor Damien Cirotteau, diretor técnico do Rue89.com.


Drupal : para o que serve?


Drupal é um gerenciador de conteúdos (CMS) Open Source lançado sob a licença pública geral GNU, que é baseado na linguagem de script PHP. Este software permite, principalmente, a publicação, o gerenciamento e a organização dos conteúdos de um site, e também o gerenciamento da organização e dos direitos de acesso de uma comunidade de usuários.
Ele é organizado em torno de unidades de conteúdos mínimos, chamados de "nós", que correspondem a diferentes elementos: artigo, blog, comentário, formulário de inscrição, imagem ou galeria de fotos, pesquisa, wiki, etc.
Drupal foi definido, inicialmente, como um " montador rápido de sites " pelo seu criador Dries Buytaert, isto é, uma plataforma para facilitar a criação de conteúdos de forma colaborativa, em um site, usado por várias pessoas.
A estrutura modular e evolutiva do CMS (veja abaixo), que adiciona vários recursos, torna possível a realização de inúmeros projetos de diferentes tamanhos, especialmente nos seguintes domínios:

- Publicação na Web (criação de plataformas e sites de comunidades na Internet)
- Criação de sistemas de gestão de conhecimentos (principalmente através de uma classificação taxonômica - por categorias - de conteúdos)
- Criação de grupos de trabalho (intranet).

O que Drupal não é!

Ao contrário de outros CMS (Wordpress), Drupal é uma ferramenta "chaves em mãos" e seu uso requer a intervenção de um desenvolvedor experiente, devido à sua estrutura modular e sua grande adaptabilidade.

Uma organização modular, flexível e extensível


O Drupal é baseado em uma estrutura modular, que combina módulos "nativos", disponíveis no pacote básico do programa, e um pouco mais de 6.000 "módulos comunitários"

Alguns módulos nativos são indispensáveis para o funcionamento do Drupal (gerenciamento de usuários, por exemplo), alguns são opcionais (ex: adição de um blog ao site). Entre os módulos nativos: criação e organização de conteúdos (data de publicação, classificação em ordem alfabética, etc), gerenciamento de templates (modelos), sistema de taxonomia (ex: classificação de palavras-chave atribuídas aos artigos e criação de categorias), fórum etc.

Os módulos comunitários são o fruto do trabalho da comunidade de usuários organizada em torno do projeto Drupal. Os administradores do CMS podem adicionar esses módulos para construir seus sites, com base em suas necessidades de desenvolvimento. Estes módulos, que são muitos hoje, abrangem uma variedade de necessidades, incluindo:

- Newsletter
- Bate-papo
- E-comércio (ex: pagamento eletrônico)
- Gestão semântica dos conteúdos (estruturação de metadados)
- Ferramentas multilíngües
- Otimização do referenciamento
- Aplicações móveis (código 2D, gestão de um site Drupal a partir de um smartphone)

Muitos módulos complementares estão disponíveis nas seguintes áreas: estatísticas, segurança, navegação na web, distribuição de conteúdo, integração de aplicações de terceiros (ex: Twitter)

Drupal e a otimização do referenciamento


Além da sua grande modularidade, o Drupal tem diversas características funcionais que o distingue de outros CMS, principalmente em termos de ferramentas de ajuda ao referenciamento. Incluindo:

- O controle avançado de escrita do URL (e possibilidade de automação da escrita do URL através do módulo de Pathauto) para a otimização do referenciamento.

- O sistema de classificação de conteúdos (taxonomia), que permite organizar os conteúdos por palavras, de maneira sofisticada.

- O gerenciamento simplificado do título das páginas e os metatags

A comunidade Drupal


A comunidade que participa do desenvolvimento do CMS Drupal possui centenas de milhares de usuários e milhares de desenvolvedores. Ela participou da concepção de módulos adicionais e da produção de documentos e tutoriais sobre a utilização do CMS. O sucesso atual do Drupal é, em grande parte, devido ao dinamismo desta comunidade, como é o caso de muitos projetos de Open Source.

Drupal se baseia em diversas áreas de partilha de conhecimentos, incluindo:

- Site oficial em inglês et aqui em português
- Um blog
- [Fóruns de discussão (em inglês)] e em português
- Documentação técnica e prática
- Listas de e-mail

Que sites profissionais utilizam o Drupal?


Na internet, sites que oferecem conteúdos muito diferentes, utilizam o Drupal. Podemos citar, principalmente, as seguintes categorias:

- Sites de informação, e-zine: na França, Rue89 (veja entrevista abaixo), Mediapart, Slate.fr, Rádio França, etc. Na Inglaterra, o The Economist. No Brasil, Galeria de sites e, Quem usa Drupal pelo mundo afora
- Portais de informação: o portal comunitário que reúne sites de lazer Popsugar.com.

- Sites de empresas/intranet: Yahoo Research !
- E-comércio (através do módulo Ubercart)
- Lista de referenciamento
- Sites web incorporando conteúdos multimídia (com fotos, música, playlists, vídeos, etc). Por exemplo, Warner Bros Records
- Sites web institucionais/educativos : site da da Pensilvânia
- Redes Sociais: a plataforma comunitária GoingOn.com

Focus: Os desenvolvedores de projetos Drupal mais bem pagos?


Um estudo feito, recentemente nos Estados Unidos, pelo site da comunidade DoNanza, uma plataforma comunitária que se especializou em emprego de webmasters/webdesigners freelance esclarece sobre a "economia" dos CMS, comparando Wordpress, Joomla e Drupal. Se o Wordpress e o Joomla são utilizados, respectivamente 6,5 e 3,5 vezes mais do que o Drupal, este último é o único quem colhe os maiores orçamentos: assim como um desenvolvedor Freelancer que usa o Drupal ganharia, em média, 915 dólares por projeto, contra 455 e 473 dólares, respectivamente, para o Wordpress e o Joomla.

O ponto de vista do perito: Damien Cirotteau, Rue89.com


Damien Cirotteau é o gerente técnico do site de informações e do debate participativo Rue89.com que utiliza o Drupal para o seu desenvolvimento, desde o seu início.
Kioskea - Desde quando Rue89.com usa Drupal e quais foram os critérios levados em consideração para escolher este CMS?

Damien Cirotteau - Estamos usando o Drupal desde fevereiro de 2007, um pouco antes do lançamento do Rue89.com, em maio de 2007. Havia vários critérios de seleção: em primeiro lugar, um critério de modularidade, ou seja, ser capaz de se apoiar em um sistema cujo coração pode ser estendido, se necessário. Houve também um critério de funcionalidade: ou seja, um sistema que propõe recursos suficientemente ricos, ou já presentes na versão básica, ou através dos módulos disponibilizados pela comunidade. E, finalmente, um critério de qualidade de código.

Kioskea - Um dos pontos fortes do Drupal é a presença de ferramentas de otimização do referenciamento natural dos conteúdos. Este aspecto tem desempenhado um papel na escolha do CMS?

DC - Sim. Este aspecto foi levado em conta porque nós quisemos: um sistema que implementa as melhores práticas do referenciamento como a reescrita do URL, um código limpo, a possibilidade de gerar estruturas adequadas para o referenciamento natural. Drupal propõe estas soluções. Depois, uma boa parte do trabalho será responsabilidade dos desenvolvedores: por exemplo, a versão básica do Drupal permite a reescrita do URL, mas a geração automática do URL com base em vários critérios (títulos, palavras-chave, data, etc), prevê a criação de um módulo adicional. Se existem necessidades de referenciamento muito específicas, os desenvolvedores também podem ser chamados a projetar seus próprios módulos. Há, apesar de tudo, um trabalho de configuração e de desenvolvimento, se quisermos ser evoluídos.

Kioskea - Muitos redatores e colaboradores participam do Rue89: Você já trabalhou na ergonomia do Drupal para facilitar seu uso?


DC - Drupal permite o desenvolvimento de ferramentas ergonômicas, interfaces, painéis limpos mas, inicialmente, é menos intuitivo do que o Wordpress ou o Joomla. Mas, como ele é modular e codificado corretamente, é relativamente fácil adaptar um back office, que atenda às necessidades de uso.

Kioskea - Rue89 utiliza o Drupal para desenvolver outros sites como prestador de serviços, o que motivou o site a propor este tipo de oferta?
DC- é uma atividade que foi posta em prática rapidamente, poucos meses depois do lançamento Rue89.com em setembro de 2007, tratava-se do site Bibliobs do "Nouvel Observateur". Nós queríamos ser inovadores, tanto no plano do conteúdo jornalístico, quanto no plano do desenvolvimento web. Depois de ter interiorizado o desenvolvimento do site Rue89, nós quisemos diversificar o nosso modelo econômico, e desenvolver outros projetos baseados em nossa experiência.

Kioskea - Hoje, Drupal é formado de cerca de 6.000 módulos comunitários, que permitem a evolução da interatividade dos sites, rapidamente. O que será o Rue89.com nos meses que virão?

DC - Vamos lançar uma nova versão do site, em abril de 2011, que será baseada na versão do Drupal 7, e que proporá formatos ainda mais participativos, do que o que está sendo feito atualmente. Também vamos propor um novo Back Office mais eficiente e mais conveniente para os redatores e colaboradores do site. Para concluir, a nova versão agregará outros sites que funcionam em sincronia com o compartilhamento dos bancos de dados dos usuários.

Mais informações

Baixar Drupal
Os Oscars das melhores aplicações Open Source de 2010
Sobre o Drupal

Veja também

Artigo original publicado por . Tradução feita por pintuda. Última modificação: 14 de novembro de 2010 às 12:59 por pintuda.
Este documento, intitulado 'Drupal : O CMS Open Source todo terreno', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM (br.ccm.net) ao utilizar este artigo.