Conselhos de SEO depois do Google Panda

Dezembro 2016

A atualização do Panda - nome de código do novo algoritmo do Google - promete mudar os hábitos de SEO para os editores de sites. Penalizando o ranking dos sites de má qualidade nos resultados do Google, ele favorece o SEO dos sites que produzem conteúdos mais relevantes para o usuário. Com uma abordagem mais centrada na experiência de usuário do que no que agrada os robôs de indexação do Google. Explicação sobre os prós e contras desta grande atualização, com algumas dicas para preservar a indexação natural do seu website, na trilha do "Panda".


O que é o Google Panda

O Google Panda se refere a uma grande melhoria do algoritmo de busca do Google, visando quebrar o ranking dos resultados do motor dos sites de má qualidade, ou firmes em conteúdo (um site “firme em conteúdo” é um site que publica uma série grande de artigos sobre temas específicos que foram previamente identificados como sujeitos procurados por internautas e, portanto, susceptíveis de gerar tráfego e receitas).

A atualização do algoritmo afetou 12% dos resultados no Google, em todas as páginas em inglês, desde o seu lançamento em fevereiro de 2011, de acordo com a empresa. A atualização do Panda do Google foi implantada no Brasil em meados de agosto de 2011. Esta atualização tem um impacto no SEO dos sites, beneficiando aqueles que propõem conteúdos originais e mais relevantes para o usuário.

Sites e conteúdos especialmente visados

Em uma nota explicativa publicada em fevereiro de 2011, Amit Singhal e Matt Cutts, que participaram na evolução do algoritmo de busca do Google (e na luta contra o spam), apontam os tipos de sites e conteúdos que são sujeitos à penalidades no ranking do Google, após a atualização do Panda. Incluindo os sites "sem valor" para os usuários e de má qualidade (uma noção bastante vaga), os sites que copiam o conteúdo de outros sites (conteúdo duplicado) e os sites "que não são muito úteis".


O algoritmo do Google Panda também está mudando de acordo com o feedback dos usuários, que pode denunciar sites e nomes de domínio de má qualidade e/ou enganosos, o "bloqueando-os" a partir da página de resultados do Google (opção exibida ao lado do "cache").

Os sites mais visados - sem serem nomeados -, são os "firmes em conteúdo", que reúnem três características essenciais. É preciso que estes três elementos estejam reunidos para que um site seja, a priori, considerado de má qualidade e, portanto, penalizado pelo algoritmo Panda: um site otimizado para um melhor SEO no Google, com base em consultas frequentemente digitadas pelos usuários. O principal objetivo deste método é criar tráfego para suas páginas web e, assim, aumentar as suas receitas de publicidade. Os conteúdos propostos são de má qualidade (ausência de informações relevantes, conteúdo duplicado, e não em fase com a busca do usuário).

Os sites particularmente vulneráveis a uma desclassificação nos resultados da pesquisa do Google são os sites de comparação de preços na Internet e sites de e-commerce, os sites de diretórios, os sites de perguntas e respostas e alguns sites colaborativos de compartilhamento de conhecimentos, alguns sites e portais de notícias e os fóruns de discussão

Preservar o SEO natural do seu site no Google Panda: alguns conselhos

Ações e precauções

Deletar as páginas de má qualidade e/ou pobres em conteúdo (ou utilizar o arquivo de comando robots.txt para não indexar determinadas páginas da web). Deletar páginas com conteúdo copiado de outros sites. Remover páginas redundantes. Pensar em remover, ao mesmo tempo, páginas pouco qualitativas e pouco interativas (sem opinião ou comentário). Reorganizar a exibição de anúncios (se eles estiverem saturando o espaço visível da página, incluindo os anúncios Adsense). Evitar a linguagem Flash para desenvolver o seu site, para que o Google possa avaliar a qualidade (texto não visível).

Algumas dicas

Em geral

Verificar a regularidade da passagem do robô de indexação do Google em suas páginas (ex: através da plataforma para webmasters do Google). Uma frequência de crawl pode indicar se a qualidade dos seus conteúdos é muito baixa. Verificar a velocidade de carregamento de suas páginas (critério levado em conta pelo algoritmo para o SEO). Favorecer uma árvore superficial, e uma estrutura interna de links simples (as páginas muito profundas podem ser ignoradas pelo Google). A integração do “Rich Snippets” em um website permite destacar certas informações nas páginas de resultados do Google (ex: sistema de notas com estrelas) e oferece dados qualitativos para o usuário.

Palavras-chave

Reduzir o número de palavras-chave redundantes nas tags de título, H1, ou Alt das imagens. Em teoria (ainda de acordo com informações fornecidas por Matt Cutts), um nome de domínio selecionado com base na relevância de palavras-chave que o designam, já não é um critério suficiente para otimizar a indexação.

Links internos, externos e links de retorno

É preciso diversificar a origem dos links de retorno para transferir a Indexação de uma página web para melhorar o seu SEO (o excesso de backlinks da mesma fonte pode ser identificado como spam). Não se contente com plataformas de publicação de comunicados de imprensa para obter links de retorno, já que a transferência de indexação a partir delas é de menor importância (de acordo com Matt Cutts). O ideal é expandir, com racionalidade, a rede de links internos entre as páginas do seu site (os links devem ser relevantes), para tornar visíveis as páginas mais profundas e facilitar sua indexação. Pense também em incluir links externos em suas páginas

Compartilhamento de conteúdos nas redes sociais

O Google também leva em conta a atividade do Twitter e do Facebook relacionada com um site para indexá-lo. Portanto, é importante incluir este aspecto em sua estratégia de SEO. Incluir o botão +1 no seu site, para compartilhar o conteúdo no Google Plus. Utilizar uma ferramenta de análise do tráfego web (ex: Google Analytics) para determinar que plataformas sociais fornecem mais links referentes, principalmente para otimizar a exibição de botões sociais em seu site.

Recomendações gerais do Google sobre a qualidade dos conteúdos

No centro de ajuda para webmasters, o Google dá várias dicas sobre a qualidade dos conteúdos, como fornecer conteúdos pensando, em primeiro lugar, nas expectativas dos usuários, e não nos motores de busca. Propor um conteúdo de acordo com o que ele sugere nas páginas de resultados de pesquisa (evitar o saturar as páginas de palavras-chave irrelevantes). Não participar em esquemas de links "projetados para melhorar, artificialmente, a indexação do seu site". E, evitar os textos e links ocultos.


Para saber mais, consulte estes conselhos dos webmasters, comunicados pelo Google


Veja também :
Este documento, intitulado « Conselhos de SEO depois do Google Panda  »a partir de CCM (br.ccm.net) está disponibilizado sob a licença Creative Commons. Você pode copiar, modificar cópias desta página, nas condições estipuladas pela licença, como esta nota aparece claramente.