Ecrã plano

Dezembro 2016

Os monitores de ecrã plano


Os monitores de ecrã plano (notados às vezes FPD para Flat panel display) generalizam-se cada vez mais na medida em que o seu factor de obstrução e o seu peso são muito inferiores aos dos ecrãs CRT tradicionais.

Além disso, as tecnologias utilizadas nos ecrãs planos são menos consumidoras de energia (consumo inferior a 10W, contra 100W para os ecrãs CRT) e não emitem radiação electromagnética.

A tecnologia LCD


A tecnologia LCD (Liquid Crystal Display) baseia-se num ecrã composto por duas placas paralelas sulcadas transparentes, orientadas a 90°, entre as quais é bloqueada uma fina camada de líquido que contém moléculas (cristais líquidos) que têm a propriedade de se orientar quando são sujeitas à corrente eléctrica.

Combinada com uma fonte de luz, a primeira placa estriada age como um filtro polarizante, que só deixa passar as componente da luz cuja oscilação é paralela às ranhuras.



Na ausência de tensão eléctrica, a luz é bloqueada pela segunda placa, agindo como um filtro polarizante perpendicular.



Sob o efeito de uma tensão, os cristais vão progressivamente alinhar-se no sentido do campo eléctrico e assim poder atravessar a segunda placa!

Controlando localmente a orientação destes cristais é possível constituir pixéis. Distinguem-se habitualmente dois tipos de ecrãs planos de acordo com o sistema de comando que permite polarizar os cristais:

  • Os ecrãs chamados de "matriz passiva", cujos pixéis são controlados por linha e por coluna. Assim, os pixéis são dirigidos por linhas e por coluna graças a condutores transparentes situados no ladrilho. O pixel acende-se aquando do seu endereçamento e apaga-se entre dois varrimentos.

Os ecrãs de matriz passiva utilizam geralmente a tecnologia TN (Twisted Nematics). Os ecrãs de matriz passiva sofrem habitualmente de uma falta de contraste e de luminosidade.

  • Os ecrãs ditos de "matriz activa", em que cada pixel é controlado individualmente.
  • A tecnologia mais utilizada para este tipo de afixação é a tecnologia TFT (Thin Film Transistor, ), permitindo controlar cada pixel com a ajuda de três transistores (correspondendo às 3 cores RVB). Assim, o transistor acoplado a cada pixel permite memorizar o seu estado e, se for caso disso, mantê-lo acendido entre dois varrimentos sucessivos. Os ecrãs de matriz activa beneficiam assim de uma melhor luminosidade e uma afixação mais fina.

Quer os ecrãs sejam de matriz activa ou passiva, têm necessidade de uma fonte luminosa para funcionar. Os termos seguintes definem a maneira pela qual o ecrã é iluminado :
  • Os ecrãs reflexivos são ecrãs iluminados pela frente, por uma luz artificial ou muito simplesmente pela luz ambiental (como é o caso da maior parte dos relógios digitais).
  • Os ecrãs transmissivos utilizam uma retro iluminação para afixar as informações. Este tipo de ecrã está particularmente adaptado para um uso em interior ou em condições de fraca iluminação e fornece habitualmente uma imagem contrastada e luminosa. Por outro lado, são dificilmente legíveis utilizados no exterior (ao sol, por exemplo).
  • Os ecrãs transflectivos utilizam uma retro iluminação bem como um polarizador composto de um material translúcido capaz de transmitir a luz de segundo plano, reflectindo ao mesmo tempo uma parte da luz ambiental. Este tipo de ecrã convém em especial aos aparelhos destinados a uma utilização tanto no interior como no exterior (aparelhos foto numéricos, PDA).

Ecrãs plasma


A tecnologia plasma (PDP, Plasma Display Panel) baseia-se numa emissão de luz graças à excitação de um gás. O gás utilizado nos ecrãs plasma é uma mistura de argónio (90%) e de xénon (10%). O gás está contido em células, correspondendo aos pixéis, nas quais é dirigido um eléctrodo pauta e um eléctrodo coluna que permite excitar o gás da célula. Modulando o valor da tensão aplicada entre os eléctrodos e a frequência da excitação é possível definir até a 256 valores de intensidades luminosos. O gás assim excitado produz uma radiação luminosa ultravioleta (por conseguinte, invisível para o olho humano). Graças a luminoforos azuis, verdes e vermelhos respectivamente, repartidos pelas células, a radiação luminosa ultravioleta é convertida em luz visível, que permite obter pixéis (compostos de 3 células) de 16 milhões de cores (256 x 256 x 256).

A tecnologia plasma permite obter ecrãs de grande dimensão com muito bons valores de contrastes mas o preço de um ecrã plasma continua elevado. Além disso, o consumo eléctrico é 30 vezes superior ao de um ecrã LCD.

As características


Os ecrãs planos são frequentemente caracterizados pelos dados seguintes :

  • A definição : é o número de pontos (pixéis) que o ecrã pode afixar, este número de pontos está compreendido geralmente entre 640x480 (640 pontos em comprimento, 480 pontos em amplitude) e 1600x1200, mas resoluções superiores são tecnicamente possíveis.
  • A dimensão: Calcula-se medindo a diagonal do ecrã e é exprimida em polegadas (uma polegada equivale a 2,54 cm). É necessário ter cuidado para não confundir a definição do ecrã e a sua dimensão. Com efeito, um ecrã de uma dimensão dada pode afixar diferentes definições; não obstante, de maneira geral, os ecrãs grandes possuem uma melhor definição.
  • A resolução: Determina o número de pixéis por unidade de superfície (pixéis por polegada linear (em inglês DPI: Dots Per Inch, traduz-se como pontos por polegada). Uma resolução de 300 dpi significa 300 colunas e 300 alinhamentos de pixéis sobre uma polegada quadrada, o que daria por conseguinte 90000 pixéis sobre uma polegada quadrada. A resolução de referência de 72 dpi dá-nos um pixel de 1 " /72 (uma polegada dividida por 72) ou seja 0.353mm, correspondente um ponto pica (unidade tipográfica anglo-saxónica).
  • O tempo de resposta : Definido pela norma internacional ISO 13406-2, corresponde à duração necessária a fim de fazer passar um pixel do branco para o preto, seguidamente outra vez para o branco. O tempo de resposta (definido em milissegundos) deve ser o mais pequeno possível (de modo pragmático, inferior a 25 ms).
  • A luminância : Exprimida em candelas por metro quadrado (Cd/m2, permite definir "a luminosidade" do ecrã. A ordem de grandeza da luminância é de cerca de 250 cd/m2.
  • O ângulo de visão vertical e horizontal : Exprimido em graus, permite definir o ângulo a partir do qual a visão se torna difícil quando não está em frente ao ecrã.

Veja também


Flat monitor
Flat monitor
Pantalla plana
Pantalla plana
Écran plat
Écran plat
Schermo piatto
Schermo piatto
Última modificação: 8 de novembro de 2012 às 10:12 por noctambule28.
Este documento, intitulado 'Ecrã plano', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM (br.ccm.net) ao utilizar este artigo.