Finalmente o Google arma o Android para igualar a fluidez do iPhone

Fevereiro 2017


Com o projeto Butter, o Google pode fornecer uma interface visual realmente fluida e sensível ao seu sistema Android 4.1 "Jelly Bean", como a Apple oferece em seu iPhone.

Muito tempo negligenciada, a fluidez e reatividade da interface visual dos smartphones Android deveria melhorar significativamente graças ao projeto Butter (manteiga, em inglês). Esta novidade é apresentada como um meio para satisfazer o usuário. Porque o cérebro humano é "capaz de perceber atrasos ínfimos, de 10 ms apenas", explica Dave Burke, arquiteto-chefe do Sistema Operacional móvel do Google, durante a apresentação do projeto Butter para o Google I/O 2012. O gigante da Net acabou de enfrentar seriamente essa problemática de fluidez, amplamente criticado durante muitos dos nossos testes de smartphones e tablets Android.

Aumentar o número de imagens por segundo




O objetivo do projeto Butter é mostrar constantemente 60 imagens por segundo na tela, para fornecer uma verdadeira sensação de fluidez ao seu usuário. Para isso, o Android 4,1 explora duas técnicas de visualização (sincronização vertical e tripla memória buffer) utilizadas há muito tempo em aplicativos em 3D, como os jogos de vídeo. Isso é normal, visto que a interface do Android nada mais é do que uma sucessão de imagens em três dimensões directamente suportadas pelo circuito gráfico do processador, como um jogo em 3D.
O Android 4, conhecido como "Ice Cream Sandwich" já incluía um pequena aceleração gráfica. O Android 4.1 "Jelly Bean" aperfeiçoou este processo para competir - a sério desta vez - com a fluidez do sistema iOS presente nos smartphones iOS da Apple.

Antecipar as ações do usuário


A fluidez das animações não faz tudo. A interface do Android também deve ser muito reativa, para nunca fazer o usuário esperar. O Google diz ser capaz de prever onde o dedo do usuário vai se posar: assim, o sistema antecipa as operações e os downloads, garantindo uma reação quase instantânea da interface.

Outra técnica: aumentar a frequência de funcionamento do processador para o máximo assim que o dedo do usuário tocar a tela tátil do smartphone. O suficiente para dar um impulso à interface para garantir mais reatividade. Uma excelente ideia, emprestada dos hackers da comunidade do Android, que o desenvolveram há vários meses para a versão atual (4.0) do sistema. Veja a ilustração da toda poderosa comunidade open source do Android, gratuitamente disponível para a sorte do Google ! Esta dica, presente principalmente no kernel Semaphore sob o nome de "Smooth UI" agora é chamado de " Touch Input Boost" pelo Google. No entanto, este último,, pode reduzir um pouco a autonomia da bateria dos dispositivos Android.

Mais uma vez, tudo dependerá dos fabricantes




Finalmente, o Google pôs à disposição dos fabricantes de smarpthones e tablets, uma ferramenta de otimização para monitorar o desempenho do Android e melhorar a organização das diversas atividades do sistema. Dave Burke explica que essa ferramenta, chamada Systrace, é destinada aos fabricantes e aos desenvolvedores de aplicativos. Porque, mais uma vez, tudo depende da capacidade das grandes marcas (HTC, Samsung, LG, Sony, etc) de usarem, adequadamente, todas estas melhorias a fim de proporcionar um sistema Android realmente fluido e reativo, comparável ao do iPhone. Nada é garantido: o Google fornece as ferramentas mas cabe aos fabricantes aproveitar !

Usando uma câmera com captura de 300 images por segundo, o Google mostra em que o http://www.youtube.com/watch?v=krrLfZjirv8 projeto (vídeo).

Artigo original
Tradução feita por Lucia Maurity y Nouira

Veja também

Publicado por pintuda. Última modificação: 19 de outubro de 2012 às 09:53 por pintuda.
Este documento, intitulado 'Finalmente o Google arma o Android para igualar a fluidez do iPhone', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM (br.ccm.net) ao utilizar este artigo.