Como redigir uma carta de motivação

Julho 2017


Você está procurando um emprego, um estágio ou quer dar continuidade aos seus estudos e, para se candidatar, precisa redigir uma carta de motivação? Veja aqui alguns exemplos que podem te ajudar nesta empreitada.

Uma carta de motivação tem por objetivo principal incitar e chamar a atenção do recrutador ao examinar a sua candidatura. Você deve expor seus pontos fortes para convencê-lo. Escrever uma carta de motivação é uma etapa importante na apresentação de uma candidatura. Neste momento crucial é você quem expressa seus anseios e será julgado tanto pela forma, quanto pelo conteúdo de sua carta. Todas as formas impessoais, verbos no condicional ou na forma passiva devem ser banidos. Ela deve ser manuscrita, clara, redigida num estilo simples, nem muito curta, nem muito longa. Começar a redação de uma carta de motivação é um exercício bem difícil. Fazer um plano da carta, organizar suas ideias e capacidades pode ajudar a expor suas qualidades de uma maneira mais eficaz e que, ao mesmo tempo, te valorize.

Plano da carta

A carta pode ser organizada em várias partes. Para começar, temos a apresentação, que deve suscitar o interesse do leitor relacionando a sua situação atual e a formação almejada, assim como sua bagagem, ou seja, sua escolaridade, o que você conhece sobre a formação solicitada, etc. A seguir, temos a exposição, que é o modo pelo qual devemos nos apresentar ao leitor, fazendo um resumo dos seus conhecimentos e o seu know-how, incluindo estudos, cursos, experiências, estágios, lazeres, etc. Outra fase importante é o objetivo, que informa o leitor sobre suas expectativas ligando suas intenções profissionais e a formação escolhida; indique o perfil que você quer obter com esta formação para as formações futuras. Em síntese, esta carta deve ser compreensível, pessoal, interessante, que valorize as suas qualidades e, sobretudo, objetiva. Para terminar, não se esqueça de fazer uma pequena conclusão.

Dicas de redação

Faça um rascunho com a lista de suas competências, qualidades, conhecimentos e experiências, de modo a organizá-las, selecioná-las e, sobretudo, não esquecê-las:


Escolaridade: vestibular, idiomas, estudos, estágios, etc.

Formações extra-escolares: animações com crianças, carteira de motorista, primeiros socorros, participação em ONGs, atividades esportivas, dons artísticos ou musicais, estágios, lazeres, etc.

Experiências profissionais: estágios, formações profissionalizantes, ajuda em empresa familiar, empregos, trabalhos, etc.

Futuro almejado: formações previstas para depois, empresas ou estabelecimentos relacionados à formação solicitada.

Quadro do futuro emprego: na natureza ou em um escritório, em equipe ou individualmente, no setor social, médico, industrial, viagem para o estrangeiro, grau de responsabilidade do cargo almejado, assim como o ambiente de trabalho e as qualidades que podem te ajudar.

Agora, só resta redigir a carta definitiva, fazendo a síntese deste primeiro trabalho. Você deverá selecionar os elementos relacionados com a formação desejada e tentar estabelecer um 'fio condutor' para a compreensão de sua carta, a fim de mostrar a coerência (se possível) de sua demanda, quanto ao projeto profissional.

Foto: © Pixabay.

Veja também

Publicado por pintuda. Última modificação: 4 de julho de 2017 às 09:42 por pintuda.
Este documento, intitulado 'Como redigir uma carta de motivação', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM (br.ccm.net) ao utilizar este artigo.