IPTV: o que é e como funciona

Faça uma pergunta
A tecnologia IPTV (Internet Protocol Television) permite distribuir programas e ou qualquer outro conteúdo televisivo pela Internet de banda larga. Ela funciona sem cabos ou antena, já que só precisa do sinal de Internet. Saiba mais sobre essa tecnologia e como utilizá-la de maneira legal.


O que é IPTV

Associada principalmente às smarts TVs e set top boxes, a tecnologia IPTV é cada vez mais usada nos computadores e dispositivos móveis Android e iOS, por meio de aplicativos. O único pré-requisito é uma conexão à Internet de no mínimo 5 MB para transmissão por rede de dados (e não por ondas eletromagnéticas como nas TVs convencionais).


O diferencial deste tipo de tecnologia é funcionar como uma televisão on demand, ou seja, o usuário escolhe o que e quando assistir. Além disso, ela garante qualidade de transmissão, pois é distribuída por meio de redes próprias.

IPTV é legal?

Cada emissora de televisão tem regras próprias para disponibilizar sua programação. Ela pode ser transmitida por meio de canais abertos (gratuitos) ou fechados (pagos). Sendo assim, no caso dos canais fechados, devem ser respeitadas as regras preestabelecidas pelas emissoras e operadoras que oferecem esses canais.

Se o sinal do canal pago for disponibilizado por meio de serviços de streaming e compartilhado na rede, essa retransmissão é considerada um ato ilícito. Ou seja, se você contratou uma assinatura de TV a cabo e decide disponibilizar o sinal dos canais através da rede com outros usuários, você estará praticando pirataria, pois uma das cláusulas do contrato assinado com a provedora do pacote de TV limita seu uso apenas ao contratante do plano.

O que são as listas de canais

A IPTV funciona com listas de canais que podem ser encontradas em vários sites. As listas são como playlists de endereços de internet (URL), nos quais podem ser acessados os canais de televisão a partir de dispositivos e softwares compatíveis. Existem listas pagas (disponibilizadas através de servidores) e gratuitas (disponibilizadas por compartilhamento gratuito de uma assinatura paga).

A transmissão das listas pagas, disponibilizadas por meio de servidores, não trava nem é lenta, porque é feito um controle independente do fluxo para cada usuário. Já a transmissão das listas gratuitas, que será compartilhada por sinal de terceiros no formato IPTV, terá recepção mais lenta e sujeita a travamentos, pois os canais serão compartilhados e copiados por milhões de outras pessoas ao mesmo tempo que você.

Como estes sites se beneficiam da venda de espaço publicitário, o uso destes canais é considerado ilegal. Assim, se uma lista encontrada na Internet possuir canais pagos sendo disponibilizados gratuitamente, os responsáveis (site e usuários) podem ser penalizados com base na lei de direitos autorais.

Como usar o serviço legalmente

Atualmente, várias empresas usam a tecnologia IPTV para transmitir programas, filmes e eventos esportivos de maneira legal a partir da cobrança de planos de assinatura. Esse mercado, aliás, tem crescido muito nos últimos anos a partir do crescimento de serviços como Netflix e Amazon Prime Video.

Aplicativos que dão acesso à IPTV, como o Kodi (XBMC), também não são considerados ilegais. O Kodi cria um Media Center que suporta listas de canais emitidos por IPTV. Outros apps similares são o Ace Stream, Wiseplay e Perfect Player. Porém, vale lembrar que o uso desses aplicativos requer o uso legal da IPTV (através de serviços pagos).

Considere também que os aplicativos citados acima podem sofrer modificações por piratas, que vão burlar a lei, programando extensões e plugins para transmitir de forma ilegal canais de emissoras de TV por assinatura. Essa ação, além de mudar o sistema dos aplicativos, também deixa os dados privados dos usuários expostos ao uso por hackers.

Por fim, os set top boxes são receptores e conversores de dados em imagem. Eles são oferecidos pelos próprios fornecedores de IPTV ou podem ser comprados em lojas de aparelhos eletrônicos.

Foto: © Subhan Baghirov - 123RF.com

Veja também

Como se desinscrever da Netflix
Criar o seu WebRádio