Quais formatos utilizar para uma boa impressão

Novembro 2017

A publicação de um documento implica na escolha do formato para obter o melhor resultado na impressão. Existem certas regras a serem respeitadas para evitar surpresas na impressão.


Qual o melhor modo de trabalho

Trabalhar em modo CMYK pode gerar resultados desagradáveis. Por sua vez, o modo RGB (Red, Green, Blue) permite ter cores fortes, embora válidas apenas na web. Para a impressão, portanto, aplique diretamente o modo CMYK e procure escolher, na biblioteca de cores, os tons Focoltone. É o equivalente direto do CMYK, porém sem surpresas desagradáveis.

Qual resolução para a melhor impressão

A escolha da resolução dependerá do objetivo desejado para o seu trabalho. Se você precisar de uso para Web, a resolução deverá ser de 72 pixels por polegada (Apple) ou 96 PPI (Microsoft).


Para imprimir em papel escolha uma resolução de 300 pontos por polegada (DPI) para a qualidade de alta definição. Considere que uma alta resolução varia entre 250 e 300 PPI. É claro que você poderá descer para 200 DPI para uma imagem em escala de cinzas. Em compensação, tudo o que está abaixo deste valor não será conveniente para uma impressão de qualidade.

Salvar o arquivo em qual formato: TIFF, EPS ou JPEG

Veja as principais características de cada formato:



TIFF (Tagged Image File Format): para imprimir em alta resolução, convém trabalhar com este formato. Você poderá fazer todas as alterações possíveis em sua imagem, sem comprometer a qualidade. Se você trabalha em paralelo com o InDesign, este formato é o mais adequado.

Eps (Encapsulated PostScript): esse formato é utilizado principalmente quando há recortes ou traçados. Esse formato também é usado para imagens vetorias e bitmap. A esse respeito, mapear bem o seu recorte, pois o branco, que você não precisa ao redor da imagem, pesa bastante no registro do arquivo.

Jpeg (Joint Photographic Experts Group): se a imagem vai ser impressa, saiba que cada vez que você salvá-la, sua qualidade baixará. É melhor fazer todas as alterações no formato TIFF e só salvar no final no formato JPEG para não alterar a qualidade.

Quando você estiver trabalhando com vários softwares, unifique seu trabalho. Evite importar para um arquivo In Design imagens com formatos diferentes (TIFF e JPEG misturados). Para evitar erros durante a impressão, não importar formatos de imagem em PDF no In Design (embora alguns o façam).

Não deixe de solicitar um Cromalin (sistema de provas na pré-impressão) antes de qualquer impressão. E, se por sorte, você puder fazer a configuração da impressora, não só você poderá direcioná-la de acordo com suas necessidades, como também ganhará em tempo e em produção.

Foto: © Pixabay.
Publicado por pintuda. Última modificação: 28 de novembro de 2017 às 12:46 por Pedro.CCM.
Este documento, intitulado 'Quais formatos utilizar para uma boa impressão', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM (br.ccm.net) ao utilizar este artigo.