3
Obrigado

Algumas palavras de agradecimento nunca são demais.

Assistentes de voz: como será o uso no dia a dia?

O que vai mudar no comportamento social e das famílias com a popularização dos novos assistentes de voz como o Home, da Google? São questões que normalmente não nos fazemos, apenas vemos chegando novas tecnologias e elas vão entrando em nossa rotina. E então, sem sentirmos o impacto, já não conseguimos pensar como seria a vida sem certas funcionalidades trazidas pela modernidade. Para tentarmos prever um pouco como será o futuro com assistentes de voz, seguem algumas pistas identificadas em conversas com especialistas.

Assistentes de voz mais conhecidos

Lançado em 2011, o assistente de voz mais conhecido dos brasileiros é a Siri, disponível para iPhone, iPad, MacBooks, Apple Watch e Apple TV e que se tornou popular no Brasil após a atualização do IOS 5, que trouxe a versão em língua portuguesa.


Já nos Estados Unidos e Europa, os assistentes de voz já existem não mais inseridos somente nos smartphones, mas em formatos de caixa de som, como o Google Echo, a primeira caixa de som inteligente, lançada pela Amazon no fim de 2014. Home, a caixa de som inteligente do Google tem previsão para chegar Brasil em 2019. Para completar, em recente entrevista para a revista 'Época', o presidente da Amazon, Alex Szapiro, diz que a empresa tem planos de lançar a Alexa, também uma assistente de voz em forma de caixa de som, no Brasil até o fim deste ano.

Popularização dos assistentes de voz

Um dado apresentado na CES 2019, maior feira de tecnologia do mundo, que ocorre anualmente em Las Vegas, causou certa surpresa no público presente. De acordo com a pesquisa The Smart Audio Report, realizada pela consultoria Edison para a NPR, Rádio Pública Nacional americana, 8% dos americanos ganharam uma caixa de som inteligente de Natal em 2018.


Isso representa cerca de 25 milhões de pessoas, uma fatia de mercado de consumo que nenhuma empresa acharia ruim. Os números demonstram a tendência de popularização do produto no mundo inteiro, tendo em vista que o planeta costuma seguir os americanos quando se trata de espelhar os hábitos de uso de tecnologia.

Assistente de voz X tela do smartphone

Na prática, um assistente de voz responde ou obedece a demandas feitas através de uma voz humana. Ou seja, em vez de consultar a tela do smartphone para saber os horários de uma sessão de cinema, basta perguntar em voz alta à caixinha de som. Mas o que isso traz de vantagem? Para Marco de Cardoso, coordenador da Pós-Graduação em Mídias Digitais e Interativas no SENAC/RJ, os assistentes de voz poderão nos ajudar a nos livrar do vício de olhar a tela dos smartphones .

“Mesmo os desenvolvedores de tecnologia do Vale do Silício têm cada vez mais se ressentido do tempo que se gasta na visualização de telas de celulares. Tim Cook, CEO da Apple, já demonstrou preocupação com quem usa o celular de forma exagerada. Vislumbro o assistente de voz funcionando como uma espécie de eletrodoméstico inteligente, que não vai nos distrair, apenas nos servir”.

Assistente de voz promove interação

Pierre Cortois, engenheiro de telecomunicações da empresa Altim, concorda com a ideia de que a voz traz uma capacidade de agregar mais do que isolar as pessoas . Ele faz uma ligação entre a tendência de popularização dos produtos justamente ao fato de um comando de voz ser menos suscetível de causar dispersão.

“Faça um teste: pegue o celular para fazer uma consulta ao Google de uma receita de bolo. Ali estarão as sinalizações das ligações, e-mails, mensagens recebidas pelo WhatsApp. Como não se distrair com tamanha quantidade de informação?’, provoca o especialista. No caso de um assistente de voz, Cortois reforça que será uma ferramenta de inteligência artificial que não vai segregar o convívio social. E por isso as apostas do mercado de tecnologia nos assistentes de voz são altas.

Qual assistente de voz escolher?

Ambos os especialistas são categóricos: não é possível ainda destacar qual das marcas oferecem as melhores funções como assistente de voz. “Mas de todo modo, no momento, a tendência é apontarmos o Home, do Google, como aquele que vai sair na frente. Afinal, o Google é uma espécie de oráculo moderno. E se a proposta dos assistentes de voz é a interação, as buscas coletivas através da palavra falada, isso parece combinar mais com um sistema de busca”, aposta Cortois.


Já Cardoso relembra que Nokia era a marca mais querida de celulares quando eles chegaram ao mercado. “Atualmente a marca finlandesa não emplacou em smartphones”. Portanto, no quesito popularidade, será preciso mesmo esperar até que os assistentes de voz emplaquem como um produto popular para poder classificá-los e apontar os mais adequados para diferentes fins. O tempo será a voz da razão.

Foto: © James Copeland – 123RF.com

Publicado por . Última modificação: por Ana Paula Cardoso.

Este documento, intitulado 'Assistentes de voz: como será o uso no dia a dia?', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM (https://br.ccm.net/) ao utilizar este artigo.

0 Comentário