1
Obrigado

Algumas palavras de agradecimento nunca são demais.

Como ser um desenvolvedor de aplicativos

Formação específica e ter perfil autodidata estão entre as exigências para a profissão que tem mais vagas que candidatos


 
Com a consolidação do uso de smartphones a vida passou a ser gerenciada na palma da mão através de aplicativos. Mas eles não surgem como mágica. Ao contrário, a criação destes instrumentos que facilitam o dia a dia depende dos desenvolvedores. Entenda um pouco mais sobre a profissão do momento.


Competências do desenvolvedor de aplicativos

Ser um desenvolvedor de aplicativos depende muito de estudar sozinho e se atualizar o tempo todo, dizem especialistas. Para Will Soares, fundador e CEO da Ever, empresa de tecnologia 100% brasileira e que é desenvolvedor desde os 17 anos, ter feito um curso técnico em Processamento de Dados o ajudou bastante. E ter senso crítico apurado também. “Meu conhecimento e experiência com linguagens de programação, que aprendi sozinho ou com colegas de trabalho, é que foram fundamentais para minha evolução na área”, completa o especialista.

Desenvolvedor de iOS ou Android?

Antes de começar de fato a pensar em ser desenvolvedor, o primeiro passo é definir qual objetivo: fazer aplicativos híbridos, com tecnologia web que funcione tanto para iOS quanto para Android. “Para desenvolver aplicativos é preciso aprender uma linguagem especifica para iOS e outra para Android, por isso, geralmente, é mais difícil achar profissionais habilitados em ambas áreas”. Fellipe Guimarães, CEO da Codeby, empresa de tecnologia e desenvolvimento.

Diferença entre programador e desenvolvedor

Na opinião do CEO da Ever, o termo programador caiu em desuso. “Esse profissional não existe há décadas. O uso desse termo nos dias de hoje virou uma "forma antiga" de se referir a um desenvolvedor”, diz Will Soares. Ele ainda acrescenta que o termo programador refere-se a um profissional com escopo limitado a programar determinadas funcionalidades de um software - sem um compromisso amplo com o que suas tarefas representam ao conjunto da obra, que é o caso do desenvolvedor.

Tarefas do desenvolvedor de aplicativos

O desenvolvedor é um profissional que se compromete com uma gama maior de atribuições, que envolvem arquitetura da solução, boas práticas de usabilidade e também programar. “Esse profissional pode até não ser tão técnico quanto o programador, mas tem uma visão de longo prazo para que a aplicação seja melhorada em oportunidades futuras. Tem um compromisso de melhoria contínua, independente da sua senioridade”, informa o CEO da Ever.

Formação profissional do desenvolvedor de aplicativos

Existem diversos cursos superiores que preparam desenvolvedores. Os principais são Ciência da Computação, Engenharia da Computação e Sistemas de Informação. Há diversas variantes que costumam já focar o profissional em mercados de atuação, como Desenvolvimento de Games, Desenvolvimento para Internet, Desenvolvimento Mobile e por aí vai.

“Admito que (numa faculdade) não é fácil aprender com professores que, em muitos casos, são acadêmicos que estão descolados do mercado de trabalho em que os estudantes entrarão. Mas aqueles que optam por dar uma chance aos cabelos brancos, com certeza estão se preparando de forma mais consistente”, diz o Ceo da Ever.

Posso ser um desenvolvedor de aplicativos sem formação?

É possível um jovem sem formação, do tipo autodidata, se tornar um desenvolvedor de aplicativos profissional. Grandes empresas do Vale do Silício deixaram de exigir faculdade para esses profissionais há um bom tempo. “As fontes de conhecimento estão disponíveis na internet e se o profissional for dedicado e tiver talento, sem dúvidas conseguirá desempenhar um bom papel. Mas veja bem: nem todo autodidata é talentoso, e nada garante que alguém talentoso seja um bom profissional”, alerta Will Soares da Ever.

Onde trabalha o desenvolvedor de aplicativos?

Segundo o CEO da Ever Tecnologia, há 10 anos o desenvolvimento de softwares era mais concentrado em empresas especializadas. Atualmente, já existe um movimento de internalização do desenvolvimento de software pelas grandes empresas. “A cultura digital está se tornando tão importante que desenvolvedores são contratados da mesma forma que analistas financeiros ou de recursos humanos, que não estão diretamente ligados ao core business da empresa, mas que são fundamentais para as operações”, acrescenta Will Soares.

Tem emprego para desenvolvedor de aplicativos?

Segundo os especialistas, a demanda por desenvolvedores é tão alta que existem mais vagas que profissionais. Com o mercado aquecido e uma enorme oferta de vagas, a retenção de bons profissionais passou a ser um grande desafio para as empresas também. Nesse aspecto, além de haver boas ofertas, os profissionais que já estão empregados acabam por ter um bom poder de barganha para pedirem aumento ou melhores condições de trabalho.

Qual é o salário de um desenvolvedor de aplicativos?

Em São Paulo, um estagiário recebe em torno de R$ 1,5 mil. Um Desenvolvedor Júnior pode ganhar a partir de R$ 2, 5 mil e um Pleno, em média, R$ 6 mil. “Já o salário de Desenvolvedores Sênior varia bastante, pois eles podem ser muito importantes para alguns negócios. Não é incomum salários de R$ 15 mil para este profissional”, esclarece o CEO da Ever.

Dicas para ser um bom desenvolvedor

Will Soares diz ter notado que os jovens programadores têm se tornado cada vez mais arrogantes, por conta dessa sensação de independência, por ter conhecimento com certa facilidade e pela farta oferta de empregos do setor. “A armadilha dessa postura é que esses profissionais tendem a ser menos propensos a trabalhar bem em grupo ou serem orientados por outros mais experientes. Costumo dizer que a carreira em tecnologia baseia-se em três pilares: curiosidade, mente aberta e resiliência”, aconselha o especialista.

Já para Fellipe Guimarães, CEO da Codeby a dica importante é a seguinte: se você já passou da fase de aprendizagem e gostaria de trabalhar com isso, comece fazendo um aplicativo de apenas uma única funcionalidade, mas que resolva algum problema do seu dia a dia. “Após desenvolver, publique e divulgue o aplicativo, com isso você pode conseguir um bom emprego com um salário agradável”, sugere Guimarães.

Foto: © Foto Scyther5 – 123RF.com

Veja também

Publicado por . Última modificação: por Bruna de França.

Este documento, intitulado 'Como ser um desenvolvedor de aplicativos', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM (https://br.ccm.net/) ao utilizar este artigo.

0 Comentário