Excel 2010 - Gráficos

Janeiro 2017


Um dos maiores interesses das planilhas atuais é a sua capacidade de gerar gráficos a partir dos dados das mesmas, sejam dados brutos ou dados calculados. Antigamente, isso podia ser feito usando softwares distintos ou dedicados, chamados softwares de gráficos, mas agora, eles foram substituídos por poderosas funções gráficas integradas às planilhas.

Existem vários tipos possíveis de gráficos disponíveis: antes de criar um gráfico, pense bem no que você quer demonstrar. Isso vai te ajudar a selecionar o tipo de gráfico adequado.

OBSERVAÇÃO


Onde o Excel usa o termo "gráfico", o Calc usa "diagrama". Estes termos teem exatamente o mesmo significado. Para simplificar, vamos utilizar o termo "gráfico" nesta dica. Com o Calc, substitua-o por diagrama para todos os comandos do menu, barra de ferramentas, etc.

Introdução aos gráficos

Existem diferentes técnicas para criar um gráfico. Você pode usar o menu Inserir > Gráfico (ou Inserir > Diagrama, no Calc), clicar no botão Assistente de gráfico na barra de ferramentas Padrão (ou Inserir diagrama, no Calc), ou ainda, no Excel, selecionar os dados da planilha e pressionar a tecla F11.

O gráfico pode ser colocado na planilha que contém os dados ou criado em outra planilha. Por padrão, o F11 do Excel cria automaticamente uma folha de gráfico separada.

ESTRUTURAÇÃO DOS DADOS


É sempre mais fácil criar um gráfico a partir de dados apresentados corretamente. Uma apresentação ideal inclui títulos na primeira coluna, linha por linha e categorias na primeira linha, coluna por coluna, ao passo que não deve haver nenhuma linha ou coluna vazia entre os títulos e os cabeçalhos e os dados, nem entre os dados.

Muitas vezes, pode ser útil criar uma tabela intermediária para recuperar os dados brutos e apresentá-los de forma estruturada: assim, o gráfico é criado a partir desta tabela intermediária. Consulte a dica que fala sobre filtros.

TERMINOLOGIA


Como em qualquer outro lugar, é necessário entender a terminologia utilizada em gráficos.

Um gráfico básico apresenta uma imagem de dados com um eixo Y (geralmente vertical) ou eixo de ordenadas, que indica uma quantidade ou um valor e, um eixo X (geralmente horizontal) ou eixo de abscissas, que indica as categorias.

De um modo geral, um gráfico inclui uma legenda. A tabela a seguir mostra os diferentes componentes de um gráfico.

Componentes de um gráfico


Elemento Descrição
ValorO valor de uma série (categoria)
Etiqueta de dadosTexto ou valor indicando um valor ou uma categoria específica
Série de dadosIntervalo de valores
Título do gráficoO título escolhido para o gráfico
Eixo das ordenadasO eixo geralmente vertical dos valores
Eixo das abscissasO eixo geralmente horizontal das séries (categorias)
LegendaDescrição em forma de texto e pistas visuais dos dados exibidos
GraduaçãoSeparadores no eixo das ordenadas e abscissas para facilitar a leitura dos dados
Área de rastreamentoA área de exibição onde os dados são desenhados
Área do gráficoA área total do gráfico. Todos os componentes estão incluídos
Título do eixo das ordenadas O título dado ao eixo
Título do eixo das abscissasO título dado ao eixo
Título do eixo ZTítulo do eixo nos gráficos em 3D
Curva de tendênciaIndica a tendência das séries selecionadas
Etiqueta das sériesIndica o nome das categorias de dados

TIPOS DE GRÁFICOS


Dependendo do seu tipo, os dados são mais fáceis de serem interpretados com certos tipos de gráficos, do que com outros. No entanto, nem sempre é fácil determinar que tipo de gráfico corresponde melhor a tal ou tal gráfico. Em geral, as planilhas sugerem uma grande variedade de tipos de gráficos. O Assistente de gráfico propõe um certo tipo de gráfico que interpreta os dados mas, isso não significa que o gráfico sugerido seja o melhor para representar os dados em questão. Às vezes, é preciso experimentar diferentes tipos antes de escolher um. Vamos anveralisar aqui os principais tipos.

Histogramas


Um histograma fornece barras verticais não contíguas. Os histogramas são adequados à apresentação de valores ou quantidades, ao longo do tempo.


Um gráfico de barras (histograma) empilhadas mostra os diferentes componentes de um dado.

Barras


As barras são bastante parecidas com os histogramas, a não ser pelo fato de que elas são apresentadas na horizontal, e não na vertical. Elas podem ser agrupados, empilhados e em 3D. Enquanto que nos histogramas as informações são apresentadas da esquerda para a direita , no gráfico de barras, elas são exibidas de baix para cima.

As barras são apropriados para a representação de acontecimentos no tempo. Adicionando rótulos de dados às séries e não aplicando qualque formatação às barras, os eventos se transformam em gráfico.



Curvas


As curvas são bem adequadas para a medição de uma certa continuidade no tempo. Elas podem ser combinadas, de forma eficaz, com histogramas ou outras curvas. Eles também são ótimas ferramentas para comparar dois grupos de dados.



Setores (pizza)


Os gráficos de pizza são usados para exibir o percentual de um total. Você pode dispor de setores de 2D, 2D destacados, 3D, 3D destacados, de pizza e de barras de pizza.

Você pode selecionar um setor e movê-lo, como quiser, a fim de destacar certos dados, "explodindo" o gráfico.

Se os seus dados contiverem várias séries, prefira um gráfico de rosca. Os gráficos de pizza são mais adequados para um único conjunto de dados.



Roscas


Os gráficos de rosca são uma variante dos gráficos de pizza, mais adequados à representação de vários conjuntos de dados.

Gráfico de Dispersão (Nuvens de pontos)

As nuvens de pontos são usadas para representar dados de períodos desiguais. Este tipo de gráfico é encontrado, principalmente, nas áreas de ciência e engenharia.

Áreas


Os gráficos de área são semelhantes às curvas e representam a amplitude de variação ao longo de um período dado, de forma contínua. A única diferença é que as áreas são preenchidas. Recomenda-se não usar este tipo de gráfico com mais de cinco conjuntos de dados.


Radares


Os gráficos de radar mostram as relações entre os diferentes conjuntos de dados. As relações são as de um dado em relação ao conjunto, como nas nuvens de pontos (gráfico de dispersão).

Superfícies


Os gráficos de superfície mostram as variações de dois valores como um mapa topográfico. Eles destacam os máximos com um efeito 3D. Existem dois tipos de superfícies, com duas versões cada. A Superfície 3D propõe variações na em cores e superfície 3D, com estrutura aparente propõe um contorno sem variação de cor. Você deverá utilizá-lo raramente ...


Bolhas


Os gráficos de bolhas comparam valores por grupos de três. Os dois primeiros grupos serão usados para o gráfico e o terceiro determinará o tamanho da bolha. O princípio é semelhante ao gráfico de dispersão.


Gráficos de ações


Os gráficos de ações são particulares e se apresentam em quatro versões: Alta-Baixa-Fechamento, Abertura-Alta-Baixa-Fechamento, Volume- Alta-Baixa-Fechamento, Volume-Abertura-Alta-Baixa-Fechamento. Tudo isso pode parecer muito complicado, mesmo para os iniciantes, mas o Excel indica a ordem em que os diferentes conjuntos em questão devem ser apresentados. Um gráfico de ações pode, por exemplo, mostrar o curso mais alto (ou mais baixo) do dia e o curso de fechamento.

Alta-Baixa-Fechamento
Abertura-Alta-Baixa-Fechamento
Volume-Alta-Baixa-Fechamento
Volume-Abertura-Alta-Baixa-Fechamento

Cones, cilindros e pirâmides


Os gráficos em cone, cilindro e pirâmide são os gráficos em 3D com uma forma específica. Quando um histograma apresenta uma forma de base retangular, cada um destes tipos de gráficos propõe uma representação correspondente ao seu nome. Estes gráficos propõem subtipos.


Gráficos personalizados


A maioria das planilhas oferecem, como o Excel, gráficos personalizados. São combinações de cagráficosrtas padrão. A maioria desses gráficos são formatados para melhorar a apresentação ou trazer um pouco de variedade em relação aos gráficos de base. Você pode, principalmente, escolher um tipo particular para cada conjunto de dados, como mostrado no exemplo dos gráficos de áreas onde a tendência foi representada como uma curva.

Gráficos tridimensionais


Os gráficos podem ser em duas (2D) ou três (3D) dimensões. Um certo número de gráficos em 3D são, na realidade, gráficos em 2D com uma perspectiva que dá um efeito de 3D. Um verdadeiro gráfico em 3D tem três eixos.

Se você ainda não escolheu entre 2D ou 3D ou, se você já criou um gráfico em um formato e quer ver como ficaria em outro, use o Assistente de gráfico para alterar o tipo ou o subtipo e ver como fica.

Acrescentar uma terceira dimensão em um gráfico em 2D dá a este um interesse visual adicional, mas pode torná-lo mais complexo de entender ou interpretar. Use o estilo 3D com cuidado.

A criação de um gráfico


Dependendo da sua planilha, os passos para a criação de um gráfico diferem. Porém, os elementos necessários são os mesmos, embora você possa voltar atrás ou alterar o gráfico mais tarde. Desta maneira, não tem problema nenhum se o seu gráfico não corresponder ao projeto inicial. Ao criar uma tabela a ser apresentada em forma de gráfico, tente estruturá-la de modo que a planilha possa interpretá-la corretamente. Defina títulos e cabeçalhos e selecione-os com os dados para criar o gráfico.

Depois de estruturar corretamente a planilha fonte e selecionar os dados, comece a criação do gráfico. Durante o processo, e isso vale para uma série de tipos de gráficos, várias soluções padrão serão proposas, assim, você poderá clicar no botão Terminar (ou Criar Calc) logo na primeira etapa. O gráfico será gerado automaticamente.

Para criar um gráfico, faça o seguinte:
  • Crie a planilha fonte.
  • Selecione a tabela.
  • Escolha na barra de menu Inserir > Gráfico ou clique no botão adequado da barra de ferramentas.
  • Siga os passos propostos respondendo às perguntas. Clique no botão Terminar (ou Criar) para criar o gráfico, quando quiser.


De acordo com a tabela empregada, a ordem das etapas pode diferir. Aqui, vamos seguir a ordem do Excel.


ESCOLHA DO TIPO DE GRÁFICO


Aqui você deve escolher um tipo e um subtipo de gráfico, conforme detalhado acima na seção "Tipos de gráficos". Clique no tipo desejado. A lista de subtipos adapta-se à escolha do tipo de gráfico principal.


Se o Calc propõe uma visualização automática, no Excel você precisa clicar e manter pressionado o botão do mouse sobre o botão "Manter pressionado", para ver o resultado do que foi feito. Esta visualização é uma boa indicação de que você está fazendo e pode te ajudar a economizar tempo no desenvolvimento de um gráfico, que não responda às suas expectativas. Este passo é o primeiro do Excel e o segundo do Calc.

SELEÇÃO DOS DADOS


Em princípio, você já deve ter selecionado os dados para o gráfico. No entanto, você pode ter que mudar o intervalo de dados a serem levados em conta para criar o gráfico ou, ter esquecido de fazer essa seleção previamente.



Por padrão, uma série de dados corresponde à uma categoria da sua tabela. Se você selecionar uma coluna, você selecionará uma série de dados. É possível alterar a orientação dos dados alternando entre as linhas (padrão) e as colunas (isso é feito com o Calc na etapa seguinte). Se você passar das linhas para as colunas, a planilha reorganizará as séries de dados como colunas individuais.

Quando as séries de dados são apresentadas em linhas, cada linha é supostamente um conjunto de dados com o cabeçalho da linha na legenda. Quando os conjuntos de dados são apresentados em colunas, cada coluna é supostamente um conjunto de dados, com o cabeçalho da coluna na legenda.

Feitas as escolhas, você pode voltar para a primeira etapa, passar para a terceira ou clicar no botão Terminar (ou Criar) para gerar o gráfico.

OPÇÕES DO GRÁFICO


No terceiro passo, você pode intervir na apresentação do gráfico, de diversas maneiras. Você pode adicionar ou apagar o que quiser e, como quiser. Lembre-se que a formatação dos diversos elementos adicionados só poderá ser feita depois que o gráfico estiver acabado. Nesta etapa, você também dispõe de uma visualização para ver o efeito de suas ações.

Títulos


Você pode dar um título para o gráfico, o eixo X (categorias) e o eixo Y (valores). A visualização mostra as suas ações.

DICA


Se for o caso, depois de criar o gráfico, você ainda pode acrescentar um subtítulo.

Legenda


A legenda em um gráfico dá as informações necessárias para a compreensão dos dados. Se um gráfico inclui diversas categorias, uma legenda é útil para indicar quais são as cores ou os padrões de preenchimento. Nesta etapa, você pode optar por exibir, ou não, a legenda.

ESCOLHA DE UM LUGAR PARA O GRÁFICO


O Excel (o Calc não) propõe uma quarta e última etapa: a escolha da localização do gráfico. Você tem as seguintes opções:
  • "Como um objeto em... "Por padrão, a planilha com os dados fonte. Você pode escolher outra planilha na lista suspensa.
  • Em uma nova planilha. Você cria uma planilha independente na pasta de trabalho. Neste caso, o assistente vai criar uma nova planilha chamada Gráfico1, por padrão. Assim como todas as outras planilhas do Excel, você pode, naturalmente, dar um nome significativo para esta nova folha.



Contrariamente às aparências, a localização do gráfico em uma planilha é muito importante. Se você quiser combinar dados e gráficos em uma mesma planilha, é essencial que a disposição seja pertinente para o leitor. Isso merece uma análise mais detalhada.

Gráfico incorporado


Um gráfico incorporado tem muitas vantagens:
  • Ele pode ser movido e o tamanho modificado à vontade.
  • Ao colocar o gráfico ao lado dos seus dados, você pode ver imediatamente, no gráfico, o efeito das alterações sobre os dados.
  • Você terá os dados e sua representação na mesma janela.
  • Você pode imprimir os dados e o gráfico de uma vez só.
  • Você pode usar as ferramentas de desenho para melhorar ou comentar o gráfico com relação aos seus dados.



Em compensação, é relativamente fácil destruir um gráfico incorporado ao excluir linhas ou colunas na planilha.

Gráfico independente


Um gráfico independente tem mais desvantagens do que um gráfico incorporado: seu deslocamento é limitado e menos compreensível, devido à falta de exibição simultânea dos dados.


Por outro lado, todas as opções para modificar o gráfico continuam disponíveis (com excepção do deslocamento), ele dispõe de mais espaço na janela e a impressão do gráfico sozinho em uma página à parte é simples.

Artigo original publicado por CommentCaMarche
Tradução feita por Lucia Maurity y Nouira

Veja também

Publicado por pintuda. Última modificação: 9 de novembro de 2012 às 14:33 por n00r.
Este documento, intitulado 'Excel 2010 - Gráficos ', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM (br.ccm.net) ao utilizar este artigo.