Como proteger seus documentos do Word contra macrovírus

Faça uma pergunta
Um macrovírus é uma macro, ou seja, um script integrado em um documento para automatizar determinadas tarefas. Os scripts geralmente são desenvolvidos em VBA. O objetivo das macros é registrar uma série de ações que são sempre executadas na mesma ordem, de forma repetitiva. Com a ajuda de macros, é possível salvar uma lista de ações sucessivas para que possam ser iniciadas ao mesmo tempo. Desta forma, você pode economizar tempo. Os macrovírus usam linguagens de programação (como o VBA - Visual Basic for Application) para alterar o bom funcionamento de um programa.


Você provavelmente já ouviu que documentos simples não podem ser infectados. Isso não é verdade. Hoje em dia, existem vírus que chamamos macrovírus, que podem infectar documentos. O grande alvo de macrovírus são os produtos da Microsoft como Word, Excel, Access, PowerPoint e Outlook.

Quais são os sintomas de uma infecção por um macrovírus

Um dos sintomas da infecção por macrovírus é o aparecimento de macros desconhecidas ou não autorizadas, como AAAZFS no arquivo Normal.dot do Word.

Quais são as consequências da infecção

Os macrovírus se apegam a todos os documentos salvos e passam de um usuário para outro, por e-mail, ou por disquete. Os softwares do Office incluem macros de comando que simplificam as tarefas do usuário. Os macrovírus são capazes de interromper as ações de backup de arquivos, de controlar o armazenamento dos dados, de manipular informações, de destruir dados e até mesmo de executar formatações de disco.
Imaginem as consequências que isso pode ter quando esses tipos de documentos infectados circulam em uma grande empresa.

Na abertura de um documento com uma macro infectada, o vírus se esconde no documento padrão, então todos os documentos criados ou abertos com este programa serão infectados.

Outro macrovírus, Payload, tenta apagar arquivos de sistema como IO.SYS, COMMAND.COM, MSDOS.SYS.

Alguns macrovírus assumem o controle dos softwares de mensagens ou de e-mail, hackeando seu caderno de endereços. Eles enviam a todos os seus contatos um documento aleatório pego em seu disco rígido.

Como se proteger do macrovírus

Essa é a grande questão. Saiba que é muito fácil proteger o software do Word contra os macrovírus conhecidos.

Primeira solução

Observação: este método pode não ser válido nas versões do Word de hoje, mas ele pode ser usado no Word 1997.

Escolha a opção Macro nas Ferramentas > Criar uma nova macro > Chamada: AutoExec onde você digita:
Sub Main
DisableAutoMacros
MSGBOX "AutoMacros are now turned off.", "Virus protection", 64
End Sub

Segunda solução

O Word também fornece níveis de segurança para reduzir as infecções de seus documentos pelo macrovírus. Para aumentar ou diminuir o nível de segurança, faça o seguinte:


Vá no menu Ferramentas > Macro > Segurança. Na guia Nível de segurança, selecione o nível de segurança desejado e clique em OK. Ai, você terá a escolha entre quatro níveis: baixo, médio, alto e muito alto.

Terceira solução

Este terceiro método consiste em bloquear o seu Model Global (Normal.dot) com uma senha. Isso permite reduzir o risco de acesso de macrovírus aos seus documentos.

Para isso, vá no menu Ferramentas > Macro > Editor do Visual Basic e escolha ThisDocument na janela do projeto. Aí também, vá em Ferramentas > Propriedades do projeto. Na guia Proteção, ative a caixa Bloquear o projeto para a exibição. Digite uma senha (eu aconselho usar uma combinação de letras, números, + caracteres especiais e maiúsculas) . Exemplo de uma senha segura: UmN4t%^^p2tL123!.

Digite a mesma senha no campo Confirmar senha e clique em OK. Vá no menu Arquivo e clique em Fechar e retornar ao Microsoft Word. Pressione a tecla Shift e a mantenha pressionada > Arquivo > Salvar tudo.

Se a seguinte mensagem aparecer: Alterações foram feitas no modelo global. Salvar estas alterações?, clique em Sim.

Quarta solução

Use um bom antivírus, atualizado regularmente, para remover esse tipo de vírus. Faça uma varredura completa do sistema com seu antivírus para detectar quaisquer macros infectadas.


Foto: © Microsoft.